O Protestantismo e o Estado de bem-estar social

9

Dois elementos caracterizam os países escandinavos: o protestantismo histórico e o Estado de bem-estar social. Com maiores índices de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), Noruega, Suécia, Islândia e Dinamarca desbancam países de maioria católica, como Polônia, Espanha, Malta, Andorra. Mas à que se deve o crescimento verificado nos países escandinavos? Poderíamos atribuir ao Protestantismo Histórico, ou a política de bem-estar social promovida pelo Estado? São processos combinados, intercalados, indissociáveis? Seja qual for a posição defendida, o fato é que os Estados Escandinavos são exemplos de como um Estado deve funcionar, da maneira como deve se dirigir ao povo, aos cidadãos de seu domínio.

Desenvolvido a partir da década de 1930, o Estado de bem-estar social foi principalmente impulsionado pela Social-Democracia, em um meio caminho entre o capitalismo e o socialismo. Passou por um período de crise na Inglaterra, sendo substituído pelo Neoliberalismo – fato que ocasionou a perda de direitos adquiridos, levando a uma nova crise social. Nos países nórdicos, no entanto, o modelo progrediu e hoje é referência mundial em “políticas públicas”. Diferente de alguns países latino-americanos – que tratam as “políticas sociais” como assistencialismo -, os países escandinavos as veem como um “investimento”, uma maneira de “impulsionar o crescimento”. É o que defendia o sociólogo, economista e social-democrata sueco, Gunnar Myrdal (1898-1987).

Acompanhe a nossa página no Facebook

A lógica é a seguinte: com a população desfrutando de bens públicos de qualidade, obviamente haverá reflexos no mercado de trabalho, na economia nacional. São elementos, características, indissociáveis. Matéria publicada em 2013 pela The Economist (revista com base em Londres, Inglaterra), afirmou que os “países escandinavos são provavelmente os melhores governados no mundo”. No mesmo ano, um relatório da ONU (o World Happiness Report 2013), sublinhou que os países mais “felizes do mundo estão localizados no norte da Europa, e tem a Dinamarca como cabeça”. Além de melhor IDH do mundo, os nórdicos também possuem o mais alto PIB (Produto Interno Bruto) em relação a outros países desenvolvidos. Prova do Estado de bem-estar social, a primeira vítima fatal da polícia islandesa ocorreu em dezembro de 2013, quando um senhor de menos de 60 anos foi morto após troca de tiros. Foi um “incidente sem precedentes”, demonstrou o chefe de polícia nacional, Johannessen, em uma coletiva com a imprensa em Reiquejavique.

Diretamente ligada à pobreza, ao baixo nível social de um indivíduo, a violência é característica comum não somente de países subdesenvolvidos, mas também dos que ficam ao Norte do hemisfério, como Estados Unidos e Canadá. Apesar de avanços econômicos, a ausência de políticas sociais nestes países levou à formação de “bolsões de pobreza”, de “núcleos de violência urbana”, típicas de cidades como Nova Iorque, São Francisco e Quebec. O crescimento econômico não necessariamente acompanha o nivelamento social, como a exemplo do que ocorreu durante os anos de 1964 e 1985, no Brasil. Por exemplo, segundo matéria publicada recentemente pela revista Época, se “dermos à desigualdade notas de 0 a 100, pelo Índice de Gini (uma medida da má administração), a chaga aumentou de 53,5, em 1960, para 60,7, em 1990”. Tal ocorreu, segundo a revista, pela combinação de vários fatores, “como as décadas de hiperinflação, a dificuldade de negociações trabalhistas durante o período e a ausência de uma rede de proteção social no país”.

Voltando aos Países Nórdicos (Escandinavos), o crescimento econômico se dá também em decorrência ao nivelamento social, à política de Estado de bem-estar social. Kevin Drum, em We Can Reduce Poverty If We Want To. We Just Have To Want To (Mother Jones, 26/9/2013), observou que o “modelo nórdico tem sido bem sucedido em amenizar significativamente a pobreza”. Curiosamente, os países nórdicos estão entre os de maior número de protestantes históricos do continente europeu, sendo o Luteranismo o de maior predominância na Região. Há um indicador de que o principío evangélico dos crentes luteranos têm se mesclado às políticas de bem estar-social, em uma engrenagem jamais observada no subcontinente brasileiro, onde movimentos demonizam políticas sociais, de incentivo ao crescimento das camadas inferiores. Há uma verdadeira guerra de informações, de prenoções características do senso comum. O princípio científico de análise é que a Religião tem e pode fazer mais pela sociedade, pelo crescimento de todas as faixas sociais.

9 COMENTÁRIOS

  1. Promessas de utopia constituem a estratégia dos malandros para chegar ao poder e enriquecer às custas do impostos do povo. Vide PT e toda corja de socialistas existentes no mundo…

  2. Se o Brasil não se pode comparar a nenhum país do norte da Europa, o que dizer de África? Bom, paciência e esperamos a nova Jerusalém. Alí talvez haverá esperança para nós. De momento conviveremos mesmo com a Falta de Água potável, Proliferação da malária, HIV, ébola, falta de energia eléctrica e com o maior índice de corrupção sem investigação, passividade da população, Autoritarismo e Ditadura, e uma educação da pior qualidade possível. Que fazer?

  3. Caro Johny, vou ser bem bonzinho e só fazer uma pergunta afim de que eu não seja como sempre bloqueado e censurado pelo senhor.

    Pegue todos os países do mundo e me diga onde há mais miséria e fome? Nos países Capitalistas ou nos países que eram ou são Socialistas?

  4. Notas sobre o artigo:

    Primeiro: O desenvolvimento econômico dos países nórdicos nasceu do liberalismo econômico e da ética de trabalho protestante, não das políticas de bem estar

    Segundo: São países em geral grandes com populações pequenas e com grandes recursos naturais per capita e bem explorados à exemplo do petróleo norueguês e das florestas finlandesas.

    Tem mais coisas na Internet provando que a propaganda de sucesso do welfare estate nórdico é uma mentira propagada nos outros países por vagabundos que querem colher antes de plantar…e por fim precisamos lembrar que a unidade nacional destes povos foi forjada com muita luta e sangue, então quando por lá se fala em “nosso povo” é “nosso povo mesmo”

    Em resumo totalmente equivocado economicamente e deturpado ideologicamente…

    “Welfare State: Europe’s Economic Armageddon – CBN.com”

    https://www.youtube.com/watch?v=kM-tq2vIsdE&feature=youtube_gdata_player

  5. Olá querida, Prazer em te conhecer, Como vai você e sua família? Meu nome é Deema Abdel, estou feliz por entrar em contato com você, eu só visto o seu perfil agora e tornou-se interessado em você para um relacionamento sério, eu espero que você vai ser a pessoa honesta e carinho que eu tenho procurado, a idade não importa, mas o amor e cuidado, se você não se importa, por favor contacte-me em meu endereço de e-mail privado em: (deemababy@hotmail.com) para que eu possa lhe dizer mais sobre mim e também enviar as minhas fotos diretamente para você, Obrigado por sua compreensão, esperando para ler seus e-mails em breve, ter um dia nica, Atenciosamente senhorita Deema.

    (deemababy@hotmail.com)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here