Artigos

A Laicidade do Estado e a presença de Bíblias em escolas públicas e privadas

Comments (14)
  1. Sandro disse:

    Parabéns, Johnny Bernardo, você tem discernimento, sensibilidade e sabedoria. Sou seu fã!

  2. clamando disse:

    APAGANDO FOGO COMM GASOLINA

    1. Obrigado Sandro e Manoel. Há um longo caminho a trilharmos. Avante!

  3. Frank disse:

    Ditadura evangélica !

  4. Elder Lima disse:

    Johnny Bernardo, um cristão mais falso que uma nota de três reais!

    Deveria ir pregar suas idiotices na revista “carta capital”, que aceita bem esses conceitos furados!

    1. Carvalhi disse:

      Essa é a nova tendência, infiltrar comunas no meio cristão para tentar destruí – lo de dentro para fora. Não só esse Johnny é um falso cristão, esse site também.

      1. Errou feio Carvalhi – é a CIA que se infiltrou na redação!!!

        Obrigado por nos premiar com seus comentários inteligentes.

        É justamente o que não precisamos no Brasil.

        1. Carvalhi disse:

          Você é esse site são tão cristãos quanto o papa é ateu.

  5. alexei disse:

    Como poderia um autodenominado cristão que clama pelo respeito a sua fé defender que essa mesma fé seja imposta aos outros? Claro, se desejamos que nos tratem com igualdade e dignidade não deveríamos nós, usar da mesma medida e tratar o próximo, independente de religião de tal maneira????
    Se se exige respeito, dê-se o respeito,
    Se se exige tratamento digno, dê-se o tratamento digno,
    Se se exige a igualdade, dê-se a igualdade.
    Fico pensando em como seria se a maioria no Brasil fosse dos que se denominam cristãos. O que aconteceria com as minorias religiosas? Temo somente de pensar. Creio que não seria muito diferente de outros radicais não-cristãos. Nisso haveria igualdade.
    Por outro lado, tenho a mais pura certeza que se um País tivesse em seu seio a maioria de cristãos verdadeiros daria-se o respeito que tanto se pede, o tratamento digno que se exige e a tão sonhada igualdade que se suplica. E que se todos colocarem em vigor as palavras do Senhor Jesus de que “todas as coisas que quereis que os homens vos façam, fazei-lho vós também” de Mateus 7:12, com certeza, não somente o Brasil, mas todas as nações teriam verdadeira paz e justiça.
    O que falta somente é os cristãos seguirem a palavra de Cristo.
    Parabéns ao sr. Johnny Bernardo pelo texto cheio de sensatez.

    1. Sandro disse:

      E parabéns ao seu comentário, Alexei.

  6. Sandro disse:

    Se a Bíblia merece lugar de destaque, então o merecem também as Sagradas Escrituras Hinduístas, Hare Krishna, Jainistas, Budistas, Muçulmanas, Xamânicas, entre muitas outras.

  7. Gilberto disse:

    Não vejo mal nenhum em ter Bíblias nas escolas… É um excelente livro de história, geografia, cultura de povos, poesia, etc. Se não querem utilizá-la como Palavra de Deus, nada impede de conhecer o livro mais importante do mundo (até mesmo pelo seu legado!).

  8. rafael disse:

    Engraçado uma minoria de ateus falam mal de Jesus kkk e na hora da dor gritam seu nome, esse Deus que servimos foi aquele que na hora da dor estava em uma cruz sofrendo por mim e por quem os segue. Ele não precisa de ninguém pra ser Deus Tanto faz acreditar ou não acredite se quiser a palavra que “tantos” crucificam diz não é Por força e nem violência e pra aqueles que dizem que Deus mandou mandar crianças o coitado esse precisa do nosso Deus. Acredito e tenho Fé nele e não preciso ver sinto em meu coração e isso que importa é uma vergonha ver cristão discutindo religião preguem ela vivam esqueçam a eles Jesus nos ama espero que ame a eles que não podem sentir neste momento o Tão poderoso Deus. mas chegara o grande dia que todos os joelhos se prostraram e dirão rei dos reis e senhor dos senhor dos senhores.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Colunas Gospel+ é um espaço de opinião, voltado ao público cristão, com abordagem de diversos assuntos ligados à jornada de fé, sociedade, política, música e muito mais.

Aproveite o conteúdo e compartilhe o conhecimento através das redes sociais.