Frente Parlamentar Evangélica não se envolve pela aprovação das Medidas Anticorrupção

8

anticorrupcao1

Acostumada a levantar a bandeira da ética e da moralidade, o silêncio da Frente Parlamentar Evangélica contra as Medidas Anticorrupção causa estranheza

O coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) que atua na Operação Lava-Jato, responsável por investigar o megaesquema de corrupção na Petrobras, o procurador Deltan Dallagnol foi enfático ao apontar a necessidade do engajamento da população no combate à corrupção. Para ele, 2015 foi um ano de evolução na luta contra os atos ilícitos diante de grandes operações, sobretudo porque houve uma conscientização maior da sociedade sobre o problema.

O procurador afirma que as leis no Brasil fazem do sistema judiciário “disfuncional” e aponta mudanças necessárias, principalmente, para acelerar o trâmite de processos e revisar o sistema prescricional de penas, a fim de evitar a impunidade. Para isso, ele defende que as alterações sejam propostas por meio de projetos de lei de iniciativa popular. “A corrupção é um mal devastador. Nós devemos encarar esse monstro como ele é, enfrentá-lo e derrubá-lo”, diz, conforme o Correio Braziliense.

Ressalta-se que o procurador Deltan Dallagnol – fervoroso defensor das Medidas AntiCorrupção – é evangélico da igreja batista e não tem encontrado algum engajamento explícito e veemente da Frente Parlamentar Evangélica, composta por 188 deputados e 4 senadores, conforme consta no site da Câmara dos Deputados, nem dos líderes religiosos acostumados a envolver-se intensamente em campanhas políticas em período eleitoral, além daquelas contra o aborto, ideologia LGBT e outras que afrontam os princípios judaico-cristãos. Apenas um ou outro parlamentar da bancada tem se manifestado, isoladamente, a favor das Medidas, mas de pequena repercussão na imprensa, como é o caso do Senador Magno Malta (PR/ES).

Seria, então, o combate à corrupção considerado pequeno, levando os parlamentares da bancada a não gastarem energias para envolver-se nessa luta?

O que faz muitos deles dormitar nesse combate? Seriam cristãos de fachada apenas para obter votos do eleitor cristão, não tendo, com isto, compromisso algum ao que determina a Bíblia?

Diz a Bíblia, “os teus príncipes são rebeldes, companheiros de ladrões; cada um deles ama o suborno, e corre atrás de presentes. Não fazem justiça ao órfão, e não chega perante eles a causa das viúvas”. Isaías 1:23

Uma vergonha para nossos parlamentares da chamada bancada evangélica.

COMPARTILHAR
Paulo Teixeira é carioca, cristão evangélico da igreja Assembleia de Deus e atua na internet como blogueiro e articulista, desde 2007, focando assuntos sociais, políticos e religiosos, analisando-os sob a ótica cristã. Licenciado em matemática pela Universidade Castelo Branco (UCB/RJ) e graduando em história pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Perfil no Twitter: @PauloTeixeiraRJ

8 COMENTÁRIOS

  1. Lamentável, me sinto envergonhado com esta situação, a população precisa conhercer esses falsos crentes, pois entendo que são todos aproveitadores e enganadores, a bíblia nos relata que os que usa de engano não ficará dentro da minha casa; o que peofere mentiras não estará firme perante os meus olhos.(Salmos101.7). Que Deus possa fazer justiça no meio do seu povo, pois o exemplo Ele confio, que venha de nós.

  2. Uma vergonha, estes “evangélicos” que não pregam a justiça, mesmo que indiretamente. São “profetas” de quatro paredes, em defesa de interesses próprios e obscuros.

  3. Já faz muito tempo que deixei de acreditar nos políticos de forma geral, incluindo claro, os ditos evangélicos. Termo este que não sei bem o que define, pois acredito na verdade que, quem acredita em Cristo é cristão. Se esta autodenominação procura referir-se a uma qualidade de evangelizar nas câmaras baixas e altas do nosso sistema político, não é isto que vejo. Pergunto? Que evangelho estão pregando? Pois é sabido que ajudaram a chegar e se manter no poder, esta corja de socialistas comunistas ateus, que destruíram o nosso país conhecido como de maioria cristã.
    Confesso, nada espero destes vendidos a Mamon. As nossas igrejas estão impregnadas de heresias e falsas doutrinas. Não poderia ser diferente, pois são estes mesmo políticos que delas são pastores, evangelistas, apóstolos que ninguém sabe quem os consagrou. A bíblia é só um meio de engano, nunca uma ferramenta da verdade. Por isso não me surpreende mais quando os tais deixam de fora de seus objetos de defesas o que a bíblia apresenta como a verdade. Mas a palavra de Deus prevê, uma limpeza, e o vento que vai soprar as cinzas do engano será uma perseguição que vindo mostrará quem são os verdadeiros cristãos. E podem acreditar não vai demorar.

  4. É vergonhoso,se esquecem que usam o nome de Deus em vão.E um dia vão ter que dar conta a Deus,não brinquem com aquele que pode pesar sua mão,melhor é estar debaixo da sua proteção.

  5. Não mexendo com os interesses das igrejas evangélicas, como por exemplo os pastores milionários ostentando carrões ou emissoras de rádio e TV com o dízimo alheio eles não fazem nada mesmo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here