Acríticos conformados: uma forte tendência na Igreja brasileira.

55

Um perigoso bloqueio intelectual está sendo inserido na mente dos cristãos da Igreja brasileira. Trata-se de uma onda de conformismo acrítico, ou seja, a aceitação cômoda de não criticar as palavras e atitudes das pessoas no ambiente eclesiás- tico, impossibilitando o crente de provar pensamentos e atitudes de maneira biblicamente racional.

O apóstolo Paulo adverte que a nossa fé não deve ser irracional: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12:1, negrito meu).[1] O reformador Calvino alertou que “a fé não consiste na ignorância, senão no conhecimento; e este conhecimento há de ser não somente de Deus, senão também de sua divina vontade.”[2] Excluindo o senso racional, o cristão ficará intelectualmente enfraquecido e mais propício a aceitar os enganos dos falsos profetas que Cristo nos alertou: “levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos” (Mt 24:11).

Em primeira análise, percebemos que este bloqueio intelectual é resultante dos famosos terrorismos espirituais, causados por clichês como “não toqueis nos ungidos de Deus” e “não devemos julgar”, que infelizmente são ensinados e defendidos por muitos líderes. Porém, é importante salientar que na verdade trata-se de conceitos teológicos errôneos, dos quais tem como objetivo impossibilitar a pessoa de desenvolver suas faculdades mentais de raciocínio lógico, facilitando o falso líder a ter um controle manipulável dos membros de sua respectiva comunidade.

Aqueles que são resignados a esta condição acrítica, acomodam-se na posição irracional de “crente manipulado”, bloqueando qualquer ação iniciativa e inibindo o desejo de evoluir teologicamente. Ou seja, o crente estará sujeito à restrição de qualquer questão doutrinária e/ou moral, aprisionando sua mente ao ponto de não conseguir discernir mais o certo do errado. Neste caso, as verdades absolutas estão enganosamente contidas nas palavras de seus respectivos líderes e não na Bíblia. Com isso, não há entendimento bíblico correto dos textos sagrados, fazendo com que nos ambientes eclesiais os falsos conceitos ensinados sejam tidos como verdades espirituais absolutas e inquestionáveis.

Para as pessoas nessas condições, uma exortação vinda de alguém sobre o perigo eminente decorrente de algum erro teológico, praticamente não possui efeito, pois a comodidade e a cegueira espiritual é um impedimento para tais pessoas crescerem e se aprofundarem nas verdades bíblicas, bem como desenvolver a verdadeira fé cristã com discernimento e senso crítico. Afinal, a mentira dita várias vezes pelo falso líder torna-se verdade absoluta e a ideia apócrifa do “ungido de Deus incriticável” é facilmente implantada.

Na verdade, seguir este conceito é um tremendo engano, pois a Bíblia mostra exatamente o contrário! Um exemplo claro está em Atos 17:11, onde narra que os crentes de Beréia eram pessoas nobres, porque conferiram nas Escrituras o que ouviram de Paulo, para ver se, de fato, era verdade. Caro leitor, seja sincero! Você tem o costume de conferir na Bíblia tudo o que ouve e vê? Se a resposta for não, você pode estar vivendo algo parecido com o que descrevi acima.

Neste caso, é necessário uma atitude urgente, voltando-se para a Bíblia antes que seja tarde, pois se a mesma é a nossa única regra de fé e conduta, devemos tê-la como bússola para todas as nossas atitudes. Caso contrário, estaremos inconscientemente negando a Bíblia e depositando a nossa esperança em homens. O primeiro passo é desmistificar os dois pontos principais que causam o comodismo acrítico, citados no começo desse artigo.

1 – Não toqueis nos ungidos de Deus!

As passagens bíblicas utilizadas para defender que não devemos “tocar nos ungidos de Deus” são 1Sm 24:6 “E disse [Davi] aos seus homens: o Senhor me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, isto é, que eu estenda a mão contra ele, pois é o ungido do Senhor. Dizendo: Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.” e Sl 105:15 “Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas”.

Baseado nesses dois versículos, muitos líderes tendenciosos criaram uma classe especial de crentes que, segundo eles, seriam absolutamente incriticáveis ou inquestionáveis, como se fossem mediadores exclusivos entre o homem e Deus. Isso é um tremendo engano, pois o nosso único mediador é Jesus Cristo (1Tm 2:5).

Biblicamente, ungir significa “derramar óleo sobre”. Na cultura judaica antiga, era a forma de oficializar um ofício de sacerdote, ou de reis, para credenciá-los a serem mediadores entre Deus e a humanidade. Por esta razão, Jesus é chamado de Cristo ou Messias, palavras que significam “ungido”.

Em 1Sm 24:6, Davi está falando exclusivamente de Saul, que era ungido como rei. Em Sl 105:15, o salmista fala dos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Em ambos os casos, o sentido de “tocar”, segundo o contexto, significa utilizar de violência física, maltratar, estender a mão contra. Em momento algum estas passagens são direcionadas contra questionamentos e/ou críticas. Do contrário, invalidaria a repreensão do profeta Natan a Davi (2 Sm 12:1-15), a crítica e repreensão de Paulo para com Pedro em seu erro doutrinário (Gl. 2:11-16) e até mesmo o próprio Jesus em várias críticas e repreensões que o mesmo fez aos fariseus (Mateus 23:23 e Lucas 11:23).

No Novo Testamento, o termo “unção” (grego=chrisma) aparece apenas três vezes, dentro de uma mesma passagem, 1 Jo 2:20 e 27, na qual afirma que todos nós recebemos e temos conhecimento da “unção que vem do Santo“, ou seja, todos nós somos capacitados pelo Espírito Santo (2Co 1:21-22). Em comparação, a palavra “ungido” (grego=Christos) é direcionada exclusivamente para Cristo, nunca para os líderes da igreja, nem mesmo aos apóstolos.[3]

Portanto, não existe qualquer possibilidade exegética que dê margem para aplicar as passagens veterotestamentárias em questão aos líderes da igreja, tornando-os incriticáveis e imunes a repreensões.

 2 – Não devemos julgar!

A primeira passagem Bíblica que devemos analisar, talvez seja a mais usada para afirmar que não devemos julgar aqueles que ensinam conceitos contrários as Escrituras. Trata-se de Mateus 7:1 “Não julgueis, para que não sejais julgados.” Pegando este versículo isolado, de fato, a interpretação será absoluta para “não julgar”. Porém, jamais devemos interpretar textos bíblicos de maneira isolada, retirando as passagens de seus respectivos contextos. E o contexto direto da passagem nos diz claramente que Jesus não proibiu o julgamento em si, mas um tipo de julgamento específico. Vejamos: “Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão.” (Mt 7:2-5)

No versículo 1, Jesus disse aos judeus que eles não deveriam julgar. Já do versículo 2 em diante, Cristo dá a razão pela qual eles não poderiam julgar: o julgamento hipócrita! Os judeus estavam condenando os pecados dos irmãos, porém eles próprios estavam praticando as mesmas coisas (e até piores). Imagine como exemplo, uma mulher que abortou uma criança criticando um bandido que matou alguém em um assalto! Por fim, no versículo 5, Cristo diz que devemos primeiramente corrigir os nossos próprios pecados, para somente depois ajudar o nosso irmão, corrigindo-o de seu erro.

Outra passagem bastante utilizada pelos líderes manipuladores é Romanos 14:10, onde diz: “Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo“. Da mesma forma que Jesus, Paulo não está condenando o julgamento em si, mas sim um julgamento específico. Segundo o contexto, alguns irmãos recém convertidos eram legalistas, com isto os cristãos mais experientes estavam ficando impacientes. Paulo faz uma exortação para que os mesmos sejam mais tolerantes e não julguem os débeis (fracos) na fé, acolhendo-os com aceitação, pois com o tempo o amadurecimento viria naturalmente. Vale lembrar que, o que estava em questão não eram assuntos que comprometiam a ortodoxia cristã, mas sim pontos secundários da fé. Se fosse algo que comprometesse a fé cristã, Paulo com certeza teria outra atitude (Gl 1:6-7, 3:1-5, Fp 3:2, 18-19).

A Bíblia claramente instrui os cristãos a julgar todas as coisas. Prova disto está em João 7:24: “Não julgueis segundo a aparência, e sim pela reta justiça”. No contexto da passagem, Cristo está confrontando os judeus que questionaram sua doutrina, e tinham-no acusado de ter um diabo (vs 20) e de quebrar o dia do Sábado curando um homem (Jo 5:1-16). A questão colocada por Jesus é o ato de julgar de maneira exterior e superficial, ou seja, sem conhecer realmente os fatos, tornando o julgamento injusto. O ato de julgar “pela reta justiça” tem como premissa a lei de Deus como padrão pelo qual discernimos as coisas, pois a Bíblia é a nossa única regra de fé e prática.

1ª Coríntios 5 também é uma base bíblica importante a respeito do nosso dever de julgar. No versículo 3 Paulo declara, sob a inspiração do Espírito, que ele tinha julgado um membro da igreja em Corinto que estava vivendo no pecado de fornicação. Seu julgamento a tal pessoa foi “seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no Dia do Senhor Jesus”. Já nos versículos 9 a 13, Paulo lembra aos santos do seu dever de julgar as pessoas que estão dentro da igreja, se elas estão ou não obedecendo à lei de Deus. Aqueles que alegam ser cristãos e são membros da igreja, mas que são julgados como sendo desobedientes a qualquer mandamento da lei de Deus (vs 9-10), devem ser excluídos da comunhão da Igreja. Paulo, sob a inspiração do Espírito, diz para a igreja não tolerar pecadores impertinentes.

Outras passagens bíblicas também indicam que é de nossa responsabilidade julgar. Jesus pergunta às pessoas em Lucas 12:57: “E por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?”. Paulo orou para que o amor dos crentes em Filipos “aumentasse mais e mais em pleno conhecimento e toda a percepção” (Fl 1:9). Ele disse aos Corintos: “Falo como a criteriosos; julgai vós mesmos o que digo” (1 Co 1:15).

Os cristãos são solicitados a examinar tudo e reter o bem (1 Ts 5:21). Eles também são obrigados a provar se os espíritos são de Deus: “Irmãos, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas tem saído pelo mundo afora” (1 Jo 4:1). Mesmo nas reuniões cristãs eles devem “julgar” o que ouvem: “Tratando-se de profetas, falem apenas dois ou três, e os outros julguem” (1 Co 14:29). Os Crentes de Corinto receberam ordens para julgar imediatamente a imoralidade existente entre os seus membros (1 Co 5:1-8). Mesmo o estrangeiro de passagem não deve ser hospedado se for verificado que não se trata de uma pessoa alicerçada na verdadeira fé ( 2Jo 10,11). Deve ser considerado como anátema (maldição) àqueles que apresentarem algum tipo diferente de evangelho (Gl 1:9).

Portanto, concluímos que biblicamente é dever de todo Cristão Julgar, fazendo juízo através de suas faculdades mentais de raciocínio. Se alguém ensinar algo em desacordo com as Escrituras – mesmo partindo do líder de sua igreja, esta pessoa deve ser confrontada com a Bíblia, obviamente com respeito e submissão. Ninguém, absolutamente, é intocável ou incriticável, pois não há respaldo bíblico para afirmar que exista um nível de “unção especial” que anule o raciocínio para o entendimento de qualquer coisa falada, ensinada e praticada. Tudo deve ser conferido na Bíblia.

Por fim, alerto que este ato de julgar não significa fazer injúrias ou calúnias, com comportamentos de sarcasmo e desprezo sobre a pessoa que está no erro, mas sim deve ser feito com linguagem sadia e irrepreensível, no âmbito teológico e moral (Tito 2:7-8, 1Pe 3:15-16). Se alguém está desviando-se do Evangelho e pregando heresias, a nossa obrigação é alertar, repreender, exortar e conduzir o pecador ao entendimento bíblico (2Tm 4:2-4). Caso a disciplina seja indispensável, a mesma deve ser aplicada com seriedade, amor e tristeza, sempre objetivando o arrependimento, e não a condenação eterna do pecador, algo que cabe exclusivamente a Deus.

Soli Deo Gloria!

Notas:
[1] – A tradução bíblica utilizada no artigo é a Almeida Revista e Atualizada – SBB.
[2] – CALVINO, João. As Institutas Vol. 3. Casa Ed. Presbiteriana. São Paulo, 1985. P. 25.
[3] – Concordância Fiel do Novo Testamento Grego-Português, Vol 2. – Editora Fiel

COMPARTILHAR
Cristão reformado, casado com Sandra Nara e pai do Davi. Diretor de arte, designer gráfico por formação. Teólogo, apologista cristão e blogueiro, autor de diversos artigos referentes à defesa da fé cristã, bem como refutações de práticas anti-bíblicas, de seitas e heresias. Editor do Blog Bereianos e articulista de outros blogs e sites. Twitter @ruymarinho

55 COMENTÁRIOS

    • Olá Daniel, muito obrigado!

      VI os comentários de seu artigo, realmente alguns se enquadram na questão abordada neste meu artigo. Muito triste!

      Grande abraço!

      Ruy

  1. Que o senhor desperte o seu povo em toda justiça e verdade à luz da sua palavra. Muito boa essa matéria. E o que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui.Gálatas 6.6

  2. Ruy, a paz.
    Permita-me admoestá-lo e corrigi-lo em sua exegese e texto.
    1. O ato do crente “provar pensamentos e atitudes de maneira bíblica racional” é antibiblico, pois fé e razão não se dão e não concordam. Os milagres, a salvação e o poder sobrenatural de Deus não se podem provar cientificamente e não podem ser produto da razão humana natural, pois eles são sobrenaturais.
    2. Paulo nunca adverte que nossa fe não deve ser irracional, pois a fe sim é irracional. Não ha razão para crer-se em alguém que não se vê, pois “Deus jamais foi visto por ninguém”, diz João. Os milagres são inexplicáveis, bem como o poder sobrenatural de Deus. No versículo de Rm 12:1, Paulo se refere ao “verdadeiro culto” conforme traduz a Reina-Valera 1995, pois “culto racional” se entende como (Gr. latreia= ministraçao, culto ou serviço a Deus; e Gr. logikós=ajustado à verdadeira natureza, relativo ao genuíno, verdadeiro, racional) um culto genuíno ou verdadeiro ao qual demanda a apresentação voluntaria do individuo a Deus, apresentando seu corpo em sacrifício vivo, santo e agradável. É impossível cultuar a Deus de forma racional, pois a pessoa automaticamente está rendendo culto (cantando, ouvindo a palavra, ofertando, servindo e ministrando) a Alguém invisível que É Deus. Isso só se pode fazer pela fé, que não é racional.
    3. Seu argumento neste segundo parágrafo se baseia em que “excluindo o senso racional, o cristão ficará intelectualmente enfraquecido e mais propicio a aceitar os enganos dos falsos profetas…” Em nenhum lugar da Biblia nos diz para ter fe com razão, nem a render culto com a razao, mas sim a não aceitar os enganos dos falsos profetas e ser biblicos. É aí onde há tanta discrepância: em discernir quem são esses falsos profetas e o que é uma heresia. Neste ponto, vejo que julgar a lideres de outras igrejas evangélicas como falsos profetas não é bíblico, nem tomar a hermenêutica que usam ou sua interpretação do texto das Escrituras como heresia. Simplesmente não há concordância doutrinaria entre as milhares de igrejas evangélicas existentes, pior ainda de correntes teológicas como Calvinismo e Arminianismo, Teologia da libertação e teologia da prosperidade, e por aí vai… A pergunta é: Como promover a Unidade do Corpo de Cristo, da Igreja que Ele comprou com Seu Sangue? Simplesmente deixando as acusações, calunias, murmurações, os juízos temerários, e aceitar seu irmão como Jesus o aceitou. Não mande pro inferno nem chame de perdidos aos salvos que O Senhor salvou. Deixe essa divisão de lado.
    4. Se tiver tempo, posto as correções do resto do texto (que é longo). Fica a ultima admoestação: Pastor Alexsander, o que faço com meu hobby de escrever??? Escreva A Palavra de Deus aos que pertencem a tua linha teológica, com o fim de edifica-los, pois para isso Deus levantou os 5 ministerios de Ef 4:11-16 (se é que você foi consagrado a um desses 5 ministérios). Mas escreva para edifica-los. E para alerta-los do engano, escreva sobre as seitas: Tjs, Mormons, Catolicos Romanos, Budistas, Muçulmanos, etc, pois eles sim são hereges, e NÃO os teus irmãos evangélicos que receberam a Jesus como Único Salvador, foram comprados, redimidos perdoados e lavados com Seu Sangue. Que em suas igrejas louvam o Nome do Senhor e que são tão santos como qualquer que, por Sua Graça é justificado e santificado.
    Sinceramente, Deus te abençoe
    Em Cristo
    Pr. Alexsander – um feliz neopentecostal, salvo pela graça de Deus e chamado para a pregação do Evangelho de Jesus Cristo Quem É O Único Mediador entre Deus e os homens.

    • Caro Pr. Alexsander:

      Com todo o respeito, mas a sua correção não é válida, pois sua explicação exegética está errada e não confere! Você cita corretamente os significados das palavras no grego, porém sua conclusão é totalmente equivocada!

      Em primeiro lugar, nesta passagem de Rm 12:1, o significado da palavra “racional” no grego é bem claro: Logikos = “que pertence ao discurso ou fala – que pertence à razão ou à lógica – espiritual, que pertence à alma – que concorda com a razão, que segue a razão, razoável, lógico.” (Fonte: Dicionário Bíblico Strong). Ao utilizar a palavra “lógikos”, Paulo claramente está afirmando que o nosso culto (grego=latreia) deve ser racional! Ao contrário de ser irracional (de forma inconsiente, sem entendimento, sem compreensão, fora da realidade etc.). É impossível afirmar o contrário do que o texto bíblico claramente afirma!

      Veja a explicação de um renomado dicionário exaustivo sobre a palavra “racional” desta passagem:

      – Racional (grego=logikos), pertence à faculdade do raciocínio, razoável, racional. É usado em Rm 12:1 acerca do culto (latreia) a ser feito pelos crentes ao apresentarem seus corpos em “sacrifício vivo, santo, agradável a Deus”. O sacrifício deve ser inteligente, em contraste com os oferecidos por ritual e compulsão: a apresentação deve estar em conformidade com a inteligência espiritual daqueles que são novas criaturas em Cristo e estão cientes da “compaixão de Deus”. (Fonte: Dicionário VINE, pág. 991)

      Em segundo lugar, sobre a “fé ser racional”, o Sr. novamente se equivocou!

      Fé e a razão não são mutuamente exclusivas. Não se deve crer em alguma coisa sem antes verificar se tal coisa é digna de ser objeto da nossa crença. Por exemplo, bem poucas pessoas se submeteriam a uma grave operação médica por uma pessoa totalmente desconhecida, de quem não se tenha informação alguma, a não ser a suspeita de que seja um charlatão.

      Da mesma maneira, Deus não exige de nós que exerçamos uma fé cega.

      Como Deus é um Deus racional (Is 1:18), e como nos fez criaturas racionais à sua imagem (Gn 1:27; Cl 3:10), ele quer que olhemos antes de pularmos. Nenhuma pessoa racional deve pisar num elevador sem primeiro constatar que nele há um piso. De igual modo, Deus quer que o nosso passo de fé seja dado à luz da evidência, e não como um salto no escuro.

      Ao contrário que o Sr. afirma, a Bíblia é cheia de exortações para que façamos uso da razão. Jesus ordenou: “Amarás o Senhor teu Deus… de todo o teu entendimento” (Mt 22:37). Paulo disse também: “tudo o que é verdadeiro,… nisso pensai” (Fp 4:8). Paulo ainda “argumentava… com os judeus” (At 17:17) e com os filósofos no Areópago (v.22), convertendo muitos para Cristo (v. 34). Os bispos foram instruídos a “encorajar a outros pela sã doutrina e… refutar os que se opõem a ela” (Tt 1:9). Paulo declara ter sido “posto para defesa do evangelho” (Fp 1:17). Judas instou conosco para batalharmos “diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos” (Jd 3). E Pedro ordenou que estivéssemos “sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós” (1 Pe 3:15).

      Há dois tipos de fé. O entendimento da relação entre esses dois tipos é uma chave para discernirmos a relação que há entre a fé e a razão.

      FÉ:

      QUE > Anterior, Com evidência, Mente, Prova, Razão humana.
      EM > Posterior, Sem evidência, Vontade, Persuasão, Espírito Santo.

      O diabo crê que Deus existe, mas ele não crê em Deus. A fé que está no âmbito da mente funciona com base numa evidência que a razão humana pode ver. A fé em Deus (em Cristo), entretanto, é um ato da vontade humana, sob a persuasão do Espírito Santo. Portanto, “crer que” nunca salvará ninguém (Tg 2:14-20) – somente crer em Cristo é que proporcionará isso.

      Entretanto, nenhuma pessoa, por ser racional, deveria crer em alguma coisa, a menos que primeiro tivesse evidências para crer que isso fosse verdadeiro. Nenhum viajante sensível entra num avião que esteja com uma das asas quebrada. Assim, a razão é válida como base para se crer que, mas é uma exigência errada para se crerem (Jo 20:27-29).[1]

      [1] Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições da Bíblia” – Norman Geisler e Thomas Howe

      Em Cristo, Ruy!

      • Ruy, a minha correção é totalmente valida. É bíblica e está conforme a tradução respeitadíssima usada no mundo hispano que é a Reina-valera 95. Creio que voce não tem a mesma erudição que os tradutores de dita versão. E não distorciono As Escrituras nem as uso para julgar, caluniar, falar mal e matar a influencia do meu irmão, como você faz. Não preciso escrever uma tese cheia de versículos (usados como pretexto) como você para provar um ponto. Deus nao precisa de advogados, Ele é O Advogado.
        Ele precisa de testemunhas que testemunhem Sua Palavra para conversão dos pecadores. Ele não precisa de filhos que fiquem brigando em Sua Casa e Reino, e com isso dando mal testemunho e levantando escândalos (“ai por quem vem o escândalo”).
        Use os versículos supra citados para as seitas de verdade, não contra teus irmãos.
        E certamente você não sabe o que é Fe, ignora os milagres e não sabe nada acerca do poder sobrenatural de Deus. Arrazoar sobre isto é uma loucura. A Deus não se entende, se crê. A fé é sim um salto no escuro, pois é crer no que não se vê.
        A conversão não é um tratado racional, senão uma convicção do Espírito Santo no coração do pecador, através da Palavra pregada. Palavra esta que chamamos de Evangelho, que conta do Cristo Crucificado e ressurreto que o pecador crê sem poder “conferir” ou ver a veracidade dos fatos. É como Jesus disse: “Bem aventurado os que não viram e creram”. Isso não dá pra raciocinar, é só crer.
        Abrahao e os heróis da fé não viram nenhum “elevador com piso” para entrar, ao contrario, se lançaram sobre A Palavra… como Pedro, na pesca maravilhosa, lembra? Eles creram sem ver, nem raciocinar se havia ali algo, porque não viam nada. Depois de crer e fazer ações correspondentes, aí sim viram o milagre!
        Eu cultuo a Deus sem vê-lo. Sinto Sua presença em mim. Porém o cientista e o ateu me dizem: “Isso não é racional, pois não O vejo nem tampouco O sinto, logo, não existe… não creio nem o cultuarei”. Assim que essa tua fé com base na razão é totalmente desprovida de respaldo Bíblico, meu irmão!
        Deixa essa teologia morta, pois muitos teólogos pensam sobre Deus, mas nunca tiveram uma experiência pessoal com Ele, e ficam divagando em seu muito saber.
        Renuncia a esse tradicionalismo que invalida A Palavra de Deus, renuncie a esta religiosidade que te cega e te faz passar ridículo ao ponto de viver atacando igrejas com uma hermenêutica diferente da sua, pois ao final, é só uma releitura a que tem direito todo o que se achega a Deus.
        Outra coisa: dicionário de grego serve para dar mais luz, mas comentários de gente que viveu lá no passado, quando o pentecostalismo não estava restaurado, vão te dar informação e não vão transmitir-te a experiência que só O Espírito Santo pode te dar. São experiências espirituais descritas na Bíblia, que se chamam milagre e manifestações do Espírito Santo com Seus dons. Isso é coisa que os reformadores do século 16 e comentaristas tradicionais não tiveram.
        Agora, se você é anti-pentecostal e anti-neopentecostal, lamento, pois representamos a 70% dos evangélicos a nível mundial e você se atribui autoridade de promover a divisão do Corpo de Cristo, sim, de Sua Igreja que Ele comprou com Seu Sangue.
        Aprenda a amar aos pentecostais e neopentecostais como nós amamos a vocês tradicionais, pois Deus sim, julgará a todo discensor.
        Seu artigo ensina as pessoas a serem rebeldes e contenciosas com seus pastores e igrejas. Hebreus nos exorta ao contrario, a obedecer os pastores e sujeitar-se a eles porque velam pelo rebanho.
        Confundes totalmente o que é apologética e usas de versículos bíblicos mal interpretados como pretexto para o pecado. Arrependa-se disso, e sirva a Cristo ganhando pecadores para o Reino de Deus.
        A paz, até logo e já basta de discutir contigo, pois se voce não se abre para a revelação do Espirito Santo, vais ser um instrumento maligno para disseminar essas praticas de rebeldia entre o povo de Deus. Pobre de quem te escuta.
        Não te ofendas, essa não é minha intenção.
        em Cristo
        Pr. Alexsander

        • Caro Pr. Alexsander,

          Eu poderia responder-lhe ponto a ponto esta sua última resposta, que por sinal é desrespeitosa e há muitas falácias, principalmente “ad hominem”, bem como carece de base bíblica que refute o que coloquei sobre Rm 12:1. Porém, como o sr. se propôs a não mais discutir comigo, vou respeitar a sua decisão.

          Deus te abençoe!

          Em Cristo, Ruy.

          • Ruy , ipsis literis , pelo seu arrazoado . O oponente verborragiou o tempo todo , e não conseguiu , sola scriptura , contestar seus argumentos . O próprio Apóstolo Paulo chamou a atenção da Igreja de Roma ao dizer : ” Porque lhes dou testemunho de que têm “ZELO” ( gr. zelos TDNT-2:877,297; n m/n 1) excitação de mente, ardor, fervor de espírito ; 1a) zelo, ardor em abraçar, perseguir, defender algo 1a1) zelo no interesse de, por uma pessoa ou coisa ; 1a2) fúria de indignação, zelo punitivo;1b) rivalidade invejosa e contensiosa, ciúme de Deus ) , mas não com ENTENDIMENTO ( gr. epignosis de 1921; TDNT-1:689,119; n f 1) conhecimento preciso e correto1a) usado no NT para o conhecimento de coisas éticas e divinas ) .” (Romanos 10 : 2)

          • È meu caro Ruy, confesso que fiquei pasmo,com a reação e inquietude
            deste que te contestou. Não quero ser exagerado,mas eu li no texto,palavras tipo mordaça.Como, deixa pra lá,não fica falando tais coisas, deixa as coisas com está. Se ficar falando pode despertar as
            outras pessoas..

            Eu acho lamentável,alguém usar o conhecimento que tem para torcer a verdade.Não aceitar óbvio,por estar comprometido,com o
            sistema.Se Deus quer e vai salvar,esses até então, quarenta e tal
            milhões de evangélicos,manifestando a fé,damos glorias a Deus por isso.
            Eis aqui um pecador ignorante e falho,necessitado da misericórdia do Senhor.E com a mesma esperança.Porem não dá para fechar os olhos e não ver.Que esta multidão são frutos de um evangelho,barato
            relativista,sem nenhuma anuência com o evangelho,recebido ,crido
            vivido e pregado pelos Santos Apóstolos do Senhor Jesus.

          • Lamentavelmente, penso que nosso Pr Alexsander foi desrespeitoso com o autor e perdeu o controle no uso de suas palavras. E também não interpretei em momento algum que o autor é antipentecostal. Ao contrário, passar a mão na cabeça de pastores que infelizmente buscam outros interesses a não ser a edificação do Corpo e a glorificação do nome de nosso Senhor Jesus não é certo. Não é necessário revelação espiritual para se chegar à conclusão de que usar mal o dinheiro arrecadado nas igrejas, ensinar doutrinas estranhas aos ensinamentos da Bíblia ou cometer outros abusos que desagradam a Deus sejam inaceitáveis. Para isso, usamos nossa razão, que nos foi dada por Deus e não devemos descartá-la de nossas vidas. No fundo, é isso que nosso estimado autor quer nos alertar.

  3. Alex Sander

    “seitas: Catolicos Romanos”

    O Deus da cruz não faz mais tanto sucesso quanto deveria, o Deus salvador de Jesus que, não tinha nem, onde encostar a cabeça, não é muito popular entre muitas denominações e seitas, inclusive muitas que você se referiu.

    A mensagem de salvação e libertação, a riqueza teológica, e o tesouro da fé que, espera, confia e transcende a mera existência nesta terra, fica em segundo plano. É fácil constatar essa verdade, a partir de uma simples caminhada pelas ruas de nossas cidades e nas periferias. Igrejas do tipo empreendimento individual (comércio da fé) que se prolifera e ganha adeptos aos milhares . Ex: igreja do Pastor fulano, culto de cura e finanças, culto dos empresários, onde abertamente se prega a teologia da prosperidade sem nenhum pudor, estratégias que deixam os mais conceituados marqueteiros com inveja, culto dos solteiros, culto dos separados, culto dos endividados, culto das curas divinas onde a moeda de troca é o dinheiro, mas pode ser também, o relógio o anel, o cordão de ouro e até o cartão de crédito ou débito entre outros. Propaganda do tipo: pare de sofrer, venha ser feliz com agente, venha se libertar de todos os problemas, entre outros, sem falar da igreja tal que inclusive tem como propaganda a foto do individuo que, diga-se de passagem, se auto intitula apóstolo.

    Hoje o evangelho da promessa do sucesso financeiro, da casa própria, do carro novo, do apartamento, da conta bancária, da empresa próspera, da saúde e da libertação de todos os problemas, atrai a milhares, por ser, estrategicamente direcionado para uma clientela de homens que, cada vez mais, buscam soluções rápidas e imediatas para problemas, intrínseco a vivencia do homem nesta terra e situações ligado ao desenvolvimento ao capitalismo que privilegia o capital em detrimento ao homem.

    Posso citar aqui uma dezena de lideranças ou donos dessas “igrejas” que possuem patrimônio financeiro superior ao de muitos grandes empresários brasileiros. Bens, como mansões, iates, helicópteros, aviões, rede de telecomunicações, editoras , contas no exterior e empresas que atuam nas mais diversas áreas, são quase que normais e corriqueiras para esse grupo seleto.

    Alguns também trabalham por metas de arrecadação de dízimos e oferta que deixariam qualquer gerente comercial sonhando em ter uma equipe tão focada e eficaz..

    A plenitude da vivência cristã passa pelo crucificado, passa pelo: tomar a cruz e seguir. Cristo veio ao mundo para salvar o homem, visto que, até o momento da encarnação do verbo, a eternidade não era uma realidade para o povo, Jesus do alto da cruz Nos ensinou que é preciso haver um relacionamento de amor, aceitação, coragem, desprendimento, perseverança e renúncia no seguimento de Cristo.

    Jesus não promete benefícios nem favores individuais aos que o seguiam, (ver história dos apóstolos, mortes, martírios, decapitação entre outros) mas promete a vida eterna que é o centro e objetivo da vida cristã. Não negamos com isso os milagres operados na vida de tantos por esse mundo afora, mas, esses milagres sempre são concedidos em virtude a salvação do indivíduo. Quero apenas refletir e lançar luz sobre a atitude mercadológica, sectária, perversa e direcionada de, comprar e vender o que não se compra com dinheiro, e que e dom gratuito de Deus, e denunciar o que nunca foi, e jamais será o cristianismo genuíno pregado nestes dois mil anos e vivido em plenitude por muitos santos declarados ou não pela minha Igreja Católica.

    Somente o conhecimento e a verdadeira conversão do coração, poderão, libertar os filhos de Deus dessa lógica de mercado, desses balcões de negociação que levam os corações humildes a crer que, doando uma grande quantia financeira, moverão a mão de Deus em seu favor, ou poderão de alguma forma, comprar ou negociar o favor, a graça e a misericórdia divina.

    É dever de cada um, denunciar esse conluio de mentes astuciosas, demoníacas e maquiavélicas, que, como lobos, arrebanham almas simples, e criam um ambiente de alienação e manipulação de pessoas necessitadas e carentes das mais diversas demandas espirituais e temporais, e que no entanto necessitam de um encontro com o verdadeiro e único e soberano senhor JESUS CRISTO.

    Pax et Bonum

    +++

    “As seitas vêm-se multiplicando no mundo contemporâneo. Suscitam certa confusão pela maneira convicta como se apresentam, dando a entender que são as portadoras exclusivas de salvação para a humanidade”.

    Dom Estêvão Bettencourt (1919-2008)
    Ínclito Teólogo Beneditino

    • Mauro, a paz
      Me referi ao catolicismo romano como seita porque já fui por muitos anos católico romano, e como um católico sincero, tive que assumir minha errônea fe e praticas, ao conhecer A Palavra de Deus, sair de lá e converter-me a Jesus, pelo seguinte:
      O catolicismo crê na Tradiçao igual ou mais que na Biblia. A Tradiçao é pagâ e anula A Palavra de Deus;
      O catolicismo crê na subserviência aos santos, com rezas e fé. A Biblia diz que somente devemos orar a Deus, em Nome de Jesus. E nossa fé deve estar em Deus, e não em homens.
      O catolicismo divide a Gloria de Deus com os santos mortos e com Maria, que deu a luz o corpo físico e humano de Cristo, sendo sua mãe terrenal (pois a Deidade, ou seja, Deus, não tem mãe, pois nunca nasceu, É Eterno). A Biblia diz que somente a Deus devemos adorar e dar Gloria.
      O catolicismo cultua, reverencia, venera, adora e serve as imagens de escultura, sendo estes atos denominados pela Biblia de idolatria.A Biblia diz que devemos adorar e cultuar somente a Deus.
      O catolicismo pratica a comunicação com os mortos, em forma de rezas e conversas com as imagens de santos que já morreram, bem como petições, pedidos de intercessões, etc. A Biblia condena isto e ordena orar somente a Deus, em nome de Jesus.
      Não sei se você é um católico sincero, mas se for, faz tudo o acima descrito. Entao, meu querido, converta-se a Jesus.
      Em relação ao teu ponto de vista respeito as igrejas evangélicas, me desculpe, mas o teu telhado é de vidro. O papa e alto mando Catolico Romano, nada no ouro, assim de simples. Eu (em minhas limitações) nunca vi ou ouvi falar de algum templo católico alugado, senao todos próprios e nos melhores lugares de cada cidade ao redor do mundo, perfazendo a organização a mais provista de riquezas do planeta. A maioria dos padres, todos os bispos, cardeais e o papa, vivem e disfrutam de toda essa riqueza. Só não deixam herança porque não podem se casar (outra heresia da Tradiçao).
      Por ultimo, digo a voce que em mais de 20 anos como evangélico, nunca vi nenhum pastor “vender” a salvação ou alguma cura, milagre ou qualquer outra coisa.
      Saiba, meu caro, que ao contrario do Catolicismo que confiscava os bens dos países ao longo da historia e sim, vendia indulgencias, a igreja evangélica nunca fez tal coisa.
      Digo isto em amor, e não para ofender-te. Quer seguir esse caminho, é teu direito e livre escolha.
      O que mencionei, é historia, sem embargo, o que você disse é fruto da inveja, do ódio, da maledicência, da calunia de gente incrédula, gente de outra religião, gente ateia e inclusive irmãos evangélicos com sérios problemas com a língua e a santidade que escrevem besteiras influenciados por uma teologia morta, por discordâncias hermenêuticas e por uma sociedade que persegue o Evangelho (talvez buscando ser amigos do mundo, não sei…).
      Que Deus te abençoe e não me odeie, pois Deus manda amar até aos inimigos!

      • “A maioria dos padres, todos os bispos, cardeais e o papa, vivem e disfrutam de toda essa riqueza. Só não deixam herança porque não podem se casar (outra heresia da Tradiçao).”

        O voto perturba muitas mentes, principalmente a dos algozes

        Paulo, na sua visão, deve ter sido um herético por ter pregado e vivido o celibato, quem sabe inclusive a maioria dos apóstolos ?

    • Prezado Mauro:

      O artigo do Estêvão Bettencourt corresponde com a infeliz realidade do neopentecostalismo brasileiro. Porém, como cristão reformado, naturalmente não concordo com a afirmação do autor do artigo, onde conclusivamente diz:

      “Quero apenas refletir e lançar luz sobre a atitude mercadológica, sectária, perversa e direcionada de, comprar e vender o que não se compra com dinheiro, e que e dom gratuito de Deus, e denunciar o que nunca foi, e jamais será o cristianismo genuíno pregado nestes dois mil anos e vivido em plenitude por muitos santos declarados ou não pela minha Igreja Católica.”

      Se fosse assim – sem estender para vários outros exemplos – como fica a questão das indulgências pregadas pela Igreja romana, que mercadejavam a fé e vendiam a salvação? Afinal, é algo que foi praticado pela Igreja romana e se enquadra exatamente no conteúdo crítico do referido artigo. Logo, somente este fato auto-anula a afirmação de “cristianismo genuíno”.

      Mas isso é assunto pertinente para outra ocasião, visto que devemos focar a discussão no tema proposto no meu artigo.

      Só coloquei estas informações para os leitores ficarem cientes de meu posicionamento.

      Em Cristo, Ruy!

  4. Rui, depois que minha esposa me perguntou o por quê de eu estar respondendo a teu artigo, alegando “perda de tempo” e infrutuosidade, e também após o católico dizer-me um montão de bobagens, decido não escrever sobre o resto do artigo.
    Se você crê unicamente em Jesus como seu Salvador, a traves de Seu sacrifício na cruz, pela graça de Deus, mediante a fé, és meu irmão. E não sou Abel nem tampouco sejas Caim, para haver ódio entre nós.
    Que Deus te revele Sua Graça para com Sua Igreja, apesar dos homens imperfeitos (pois homem perfeito não existe) que a dirigem. Bom, Ele foi Quem estabeleceu aos 5 ministérios para esse fim…
    E vigiemos o que escrevemos para não dar mal testemunho aos incrédulos e sectários, pois eles sim precisam ser evangelizados e ganhos para Jesus.
    Fica na paz

    • Alex Sander

      “O catolicismo divide a Gloria de Deus com os santos mortos e com Maria”.

      Espero que dentro ao menos dentro do catecismo católico você consiga provar o sofisma acima.

      Quanto ao conceito de adoração, percebe-se que na sua curta passagem em nosso meio pouco aprendeu.

      ***

      “após o católico dizer-me um montão de bobagens”

      Um bom sinal, isso só revela o quão despreparado está para multiplicar a mensagem de salvação aos homens ou para debater determinados assuntos.

      Pax et Bonum

  5. Ótima matéria e bem oportuna, reflete bem meus pensamentos acerca da ordem eclesiástica. Abomino todo esses chavões e clichês que tem alienado o povo cristão. Precisamos urgentemente fazer como os bereianos.

  6. Até que fim alguém conceituado escrevendo algo que todos os dias verificamos nas igrejas. Deus abençoe sua vida irmão! Continue escrevendo. Pessoal vamos divulgar todos os dias esse texto nas rede sociais e via email. Também somos responsáveis pela presença de certas práticas em nossas igrejas. Ser racional é uma graça dada por Deus aos homens, afinal somente nós sua imagem e semelhança podemos diferenciar o que é ruim do que é bom. A PAZ AMADOS!!

  7. Ruy,

    perdão por ocupar um espaço pertinente aos seus estudos e conclusões, mas diferente de muitos, você discorda como um verdadeiro irmão em Cristo.

    A minha admiração e repeito pelo seu trabalho.

    Paz e Bem

    • Caro Mauro,

      Agradeço-lhe pela gentileza. Você também tem o meu respeito e admiração por ser cordial e respeitoso em seus comentários. Porém, informo que tive que excluir seus dois comentários referentes ao catolicismo por constatar que o conteúdo foi amplamente copiado – na íntegra – do artigo de Alessandro Lima, do site católico Veritatis. Diga-se de passagem, argumentos já refutados por muitos apologistas protestantes. Uma das refutações está disponível no meu Blog:

      http://bereianos.blogspot.com.br/2012/06/catolicismo-romano-e-suas-argumentacoes.html

      Como informei anteriormente, os comentários desse artigo devem ser focados ao assunto pertinente do mesmo, para não desviar do foco. Agora, se todos começarem a copiar e colar artigos inteiros de outras fontes, não terá a menor ordem, muito menos originalidade e foco nas discussões entre os leitores.

      Se desejar debater sobre a intercessão dos santos da ICAR, indico o link acima que postei do meu blog, aonde te dou total liberdade para colocar seu ponto de vista sobre o assunto.

      Respeitosamente,

      Ruy Marinho.

  8. Eu leio a Bíblia todos os dias por no mínimo 2 horas. Eu não entendo quando uma pessoa se diz cristã e não lê a
    Bíblia. É preciso conhecer o Deus a quem se está servindo. Eu leio, aprendo e coloco em prática o meu conhecimento. Eu agradeço ao Meu Deus por ter me dado a oportunidade de conhecer a Sua Palavra na qual eu creio e obedeço.

  9. Rm 14:10 perfeita esplicacao parabens pelo texto, esses cliches gospeis inuteis, e textos distorcidos sao usados contra os que se levantam contra essas abominacoes ai fora! devemos julgar sim da maneira correta, como diz as escrituras..nojento a distorcao que fazem desses textos tao conhecidos.

  10. RUY MARINHO,
    Seu artigo está excelente! Só faltou você mencionar um clichê que muitos pastores adoram usar para alienar as ovelhas do Senhor induzindo-as a uma obediência cega sem direito a nenhum questionamento. Trata-se de Hebreus 13.17 que diz: “OBEDECEI A VOSSOS PASTORES, E SUJEITAI-VOS A ELES; PORQUE VELAM POR VOSSAS ALMAS, COMO AQUELES QUE HÃO DE DAR CONTA DELAS; PARA QUE O FAÇAM COM ALEGRIA E NÃO GEMENDO, PORQUE ISSO NÃO VOS SERIA ÚTIL”.
    Eles usam esse versículo como pilastra para se apoiarem e como cabresto para controlarem o rebanho do Senhor que eles acreditam serem deles através de um regime ditatorial eclesiástico. Eles se escondem por trás destes versículos para impor esse regime ditatorial emparelhado com suas práticas iníquas e, nós temos que engolir tudo goela a dentro sem direito a nenhum questionamento. Não estou negando a vivência nem induzindo alguém à incontinência deste versículo por parte dos membros ou de quem quer que seja, mas sim a aplicação literal excessiva do mesmo por muitos líderes que usam de má fé o amor de Deus e a liberdade em Cristo. Só vendo para crer!
    MESMO ASSIM TE CONCEDO NOTA 10!

  11. Pessoal, fiz um pequeno acréscimo no texto do artigo. No segundo parágrafo, coloquei uma pequena frase de Calvino por achar pertinente e importante para o assunto em questão.

    Soli Deo Gloria!

    Ruy

  12. Concordo com tudo que o Ruy Marinho disse em seu bem esplanado estudo, ou seria texto?… Perfeito sua colocação sobre o assunto. Aproveito e sugiro aos irmãos que estão lendo isso, que tentem sugerir aos seus líderes de EBD’s que estudem o assunto em classe, se puderem, claro, vai que…(?)
    Gostaria apenas de fazer uma observação, já pedindo desculpas pela pretensão e falsa modesta. Queria apenas dizer que: Na cabeça de um povo que aprendeu ler a Bíblia sobre a ótica religiosa, onde era pecado tem uma interpretação diferente do seu líder eclesiástico, fica muito complicado agora, depois de décadas, arrancar esse povo do conceito dos “bicheiros”, onde o que tá escrito é o que tá valendo. Ora, os falsos líderes, não usam outro livro para ensinar diferente da bíblia, mas fazem a colocação do texto apenas como texto, que, em muitas vezes, fora do contexto, passam para o povo, e o povo, com medo de fazer outra interpretação por medo ou preguiça, acata como verdade. Lembro-me que á pouco tempo, vi um desses membros de uma dessas igrejas neoalgumacoisaetal, onde tava escrito: “Se tá na Bíblia, eu creio”. Ora, a Bíblia é um conjunto de livros, que como livro, só há texto. Todo texto pode ser lido, mas é o conjunto da obra que aprendemos sobre o autor: Quem ele é, como faz, do que gosta e como se comporta. É comum nos deparamos com pessoas que já leram a Bíblia dezenas de vezes e tudo o que sabem sobre Deus são apenas a informação. O Deus da Bíblia continua na Bíblia, ansiando para sair dela e morar no leitor. A pergunta que cabe aqui é: E como se faz isso? Lendo a Bíblia a partir de Jesus Cristo. Ele é quem a interpreta. É simples percebermos isso, é só lembrar quando Ele falou sobre divórcio, sobre jejum, juramento, julgamento, o sábado…, etc. Lendo a Bíblia sobre a ótica de Jesus, vamos aprender, por exemplo, que: “Ungido do Senhor” tem outra conotação que os religiosos dão. Que pecado não é o que os outros veem e sim o que eu faço diante do Senhor. Que amor, não é a esmola que damos nem a caridade que praticamos…
    Somos uma geração evangelizada com a leitura do Antigo Testamento, por isso, quando lemos o Novo, achamos que estamos falando de um Deus diferente. Mandaram a gente ler o AT, e, esqueceram que fazemos parte do povo gentílico, que assim como os Apóstolos, a Graça nos alcançou para salvação. Ao invés disso, ensinam que: orar no monte faz com que cheguemos mais perto de Deus. Que se fizermos muitos jejuns, além dos demônios não nos suportarem e partirem em retirada com a nossa presença, estamos aptos a darmos ordens aos anjos de Deus. Que, se lermos a Bíblia cinco vezes por semana e orarmos duas horas todos os dias durante a madrugada, podemos pedir o que quisermos a Deus, e, caso Ele demore a nos atender, temos direito de dá-lhe uma bronca.
    Como podemos vê, o povo está condicionado a isso, por isso, mesmo sendo a Bíblia o livro mais vendido de todos os tempos, a sua leitura pura e simples não tira o homem da escravidão dos manipuladores, e eles, como o diabo, torcem as Palavras de Deus como fez o diabo com Eva no Éden e fez com Jesus no deserto. Se mesmo sendo Jesus quem era e é, o diabo não se acanhou em torcer a palavra de Deus, o que não faria a meros homens como nós?
    Que o Senhor Jesus nos ensine a examinar as Escrituras, pois é d’Ele que elas testificam. Paz aos amados.

  13. Parabéns pelo texto, excelente. Infelizmente o povo é manipulado por Não conhecer as escrituras e buscar somente coisas materiais, onde os Falsos Profetas aproveitam dos Analfabetos espirituais para Roubarem até a aposentadoria de alguns senhores(a), lamentável.

  14. Como está escrito: " O meu povo está sendo destruido , porque lhe falta conhecimento" Oseias 4:6a.É hora de falar sim, não devemos nos calar diante de tanta heresia e asneiras pregadas por pessoas que visam o lucro manipulando pessoas em desespero e sofrimento, temos que ir além das quatro paredes das igrejas e pregar o evangelho da cruz, o evangelho puro e simples que Jesus nos ordenou pregar, pois se não fizermos isso, o povo vai perecer mesmo, ensinando a guardar o ensinamento de Jesus.Acorda crentes em Jesus!!!

  15. Os Pentecostais Pira com esse texto, as vezes comparo as 'doutrinas' impostas por igrejas pentecostais com as Doutrinas de Fidéu Castro para com seu povo em Cuba, é uma Ditadura, principalmente a Denominação Assembleia de Deus no Nordeste e Norte do País, basta ver a Manipulação em tempo de Eleição.

    Em meu estado um Deputado eleito com voto de cabresto do povo Assembleiano foi Preso pela PF, por roubo de dinheiro público, vi comentários no face do falso profeta deputado, dizendo que a Culpa dele ter Roubado era do Demônio, e que Deus iria livrar ele dessa, me assusto com a ignorância de alguns Pentecostais.

  16. concordo com o comentário e certamente traduz o tempo em que a igreja de Cristo vive. Nos deparamos com intrigas e brigas pelo poder vindos de grandes "MINISTÉRIOS", além de homens que se julgam irrepreensíveis perante Deus. É tempo de um despertar racional por parte de todos os eleitos do Senhor !

  17. ruy marinho vç esta de parabéns, os assuntos que vç aborda no blog é muito bom!!!!! espero que as pessoas que leem esse artigo, abra a sua mente.e pare de ter os seus lideres religiosos como intocável, inquestionável, e idolatrado.esse negocio de não toques no ungido do SENHOR, caiam por terra, e que DEUS SEJA VERDADEIRO!!!!

  18. Bom dia Ruy Marinho!

    Sábias palavras meu irmão! Gostei de ler o teu texto e perceber o quanto foi biblicamente coerente. Sabemos que em todo tempo a Bíblia nos exorta ao não exercício de uma fé cega. Pelo contrário, nos exorta a agirmos com todo discernimento necessário para não sermos levados por qualquer vento de doutrina. Ao mesmo é lamentável ouvir um líder (Pastor Alexandre) escrevendo com tanta imaturidade. Digo isso porque tanto membros de igrejas tem aceitado tantas coisas que se realizam “em nome de Deus”, tantas “profetadas”, “revelamentos”… Quantos crentes têm agido sem discernimento algum. Engolindo tanta heresia de textos fora de contextos. Quantos crentes têm perdido a visão dos crentes de Beréia. Quantas igrejas ao invés de terem um culto Cristocêntrico, dão lugar ao diabo, e ele passa a ser a atração principal do espetáculo. Tudo isso como fruto de crente que ainda degustam do leite materno!!! Sou membro da Igreja Presbiteriana do Brasil, e aqui não abrimos mãos de exaustivamente estudarmos a Palavra de Deus. Doutrinariamente sabemos que existem vários tipos de fé: Fé Temporal, Fé para Milagres e a Fé Salvadora. Sendo esta última aquela fé implantada por Deus no coração dos eleitos e que os levam a crê em Jesus como único e suficiente Salvador.

    Gostei muito do seu tempo, meu caro Ruy, pois é isso que Deus espera de nós. Crentes maduros com grande base doutrinária. Que Deus continue te abençoando.

    Presbítero Álisson

    • Caro Presbítero Álisson:

      Excelentes colocações meu irmão! Parabéns pela posição bíblica correta referente ao assunto!

      Muito obrigado pelas palavras de incentivo. Fico muito confortado com as mesmas, ainda mais vindas de um irmão Presbiteriano! 🙂

      Grande abraço, em Cristo!

      Ruy

  19. Excelente esclarecimento. Digno de publicação que alcance, no mínimo, 50% do povo de Deus. Este percentual de crentes esclarecidos já seria suficiente pra acabar com os lobos dentro da Igreja e colocar em alerta os bons pastores e líderes que são equivocados. Infelizmente não é interesse dos nossos líderes que esta aura "ungida" caia por terra, o que prejudicaria a obediência das ovelhas. A obediência e submissão a Deus é confundida com o consentimento e concordância ao homem.

  20. Alguns amedrontam os seus membros com esse versículo”não abandonando a nossa congregação, como e costume de alguns …” Hb10.25a Sofri muito tempo numa “neo ” por causada má interpretação desse texto da parte do pastor.Hoje estou numa Presbiteriana , gracas a Deus fiel as Escrituras.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here