Porque eu não creio em apóstolos contemporâneos.

54

Há quem defenda que nos dias de hoje Deus tem levantado uma geração apostólica, restaurando “ministérios perdidos” durante séculos através de novos apóstolos, supostamente com os mesmos poderes (e até maiores) que os escolhidos por Jesus na igreja primitiva. Muitos deles chegam a declarar novas revelações extrabíblicas, curas e milagres extraordinários, liberando palavras proféticas e unções especiais, vindas diretamente do “trono de Deus” para a Igreja. Seus seguidores constantemente ouvem o termo “decretos apostólicos”, dos quais afirmam que uma vez proclamados por um apóstolo, há de se cumprir fielmente a palavra profética, pois o apóstolo é a autoridade máxima da igreja, constituído diretamente por Deus com uma unção especial diferenciada dos demais membros.

No site de uma “conferência apostólica” ocorrida há alguns anos, narraram à seguinte declaração de um apóstolo contemporâneo: “A segunda noite de mover apostólico invadiu os milhares de corações presentes nesta segunda noite de Conferência Apostólica 2006. Com a ministração especial do Apóstolo Cesar Augusto a respeito do “Ser Apostólico”, todos ficaram impactados com mais esta revelação vinda direto do altar do Senhor para seus corações. Ser Apostólico é valorizar a presença de Deus, é ser fiel, é crer que Deus pode transformar, é ter uma unção especial para conquistar o melhor da terra e, por fim, é crer que Deus age hoje em nossas vidas. […] Todos saíram do Ginásio impactados por esta revelação, saíram todos apostólicos prontos para conquistar o Brasil e o mundo para Jesus.” [1]

Peter Wagner, um defensor do apostolado contemporâneo, define o dom de apóstolo nos dias de hoje da seguinte forma: “O dom de apóstolo é uma habilidade especial que Deus concede a certos membros do corpo de Cristo, para assumirem e exercerem liderança sobre um certo número de igrejas com uma autoridade extraordinária em assuntos espirituais que é espontaneamente reconhecida e apreciada por estas igrejas. A palavra chave nesta definição é AUTORIDADE, pois isto nos ajuda a evitar um erro muito comum que as pessoas fazem ao confundirem o dom do apóstolo com o dom de missionário.” [2]

Com estas declarações, podemos deduzir logicamente duas coisas: Ou o ministério apostólico contemporâneo é uma realidade na Igreja nos últimos dias, ou estamos diante de uma grande distorção bíblica, na qual precisa ser rejeitada e combatida urgentemente. Se a primeira hipótese estiver correta, então obviamente não devemos questioná-los, além de aceitar como verdade de Deus tudo o que vier dos mesmos. Caso contrário, resta-nos rejeitar totalmente as palavras e as reivindicações proféticas destes apóstolos contemporâneos por serem antibíblicas.

Para ter plena certeza do que se trata, não existe alternativa a não ser partir para a análise bíblica, pois a Palavra de Deus é a nossa única regra de fé e conduta, base normativa absoluta para toda e qualquer doutrina. Portanto, da mesma forma que os bereianos de Atos 17:11 fizeram quando receberam as palavras do Apóstolo Paulo, devemos também analisar esta questão sob à luz das escrituras.

A primeira pergunta que devemos fazer é: existem apóstolos nos dias de hoje? Para chegar à resposta, primeiramente precisamos entender quem foi os apóstolos na igreja primitiva. Para tanto, é necessário verificar o fator etimológico da palavra Apóstolo. Biblicamente, esta palavra significa “enviado, mensageiro, alguém enviado com ordens” (grego = apostolos), é utilizada no Novo Testamento em dois sentidos: 1º – Majoritariamente de forma técnica e restrita aos apóstolos escolhidos diretamente por Cristo; 2ª – Em sentido amplo, para casos de pessoas que foram enviadas para uma obra especial. Neste último, a palavra utilizada provém da correlação verbal do substantivo “apóstolo” e o verbo em grego “enviar” (grego = apostello).[3] Das 81 vezes que a palavra apóstolo e suas derivações aparecem no texto grego do Novo Testamento, 73 vezes é utilizada no sentido restrito ao grupo seleto dos 12 apóstolos de Cristo, apenas 7 vezes no sentido amplo (Jo 13:16, 2Co 8:23, Gl 1:19, Fl 2:25, At 14:4 e 14, Rm 16:7) e uma vez para Jesus Cristo em Hb 3:1. [4]

Podemos perceber que, em tese, qualquer pessoa que é “enviada” para um trabalho missionário é um apóstolo. Porém, os problemas aparecem quando alguém propõe para si a utilização do termo no sentido restrito ao ofício de apóstolo.

Biblicamente, havia duas qualificações específicas para o apostolado no sentido restrito: 1ª – Ser testemunha ocular de Jesus ressurreto (Atos 1:2-3, 1:21-22, 4:33 e 9:1-6; 1Co 9:1 e 15:7-9); 2º – Ter recebido sua comissão apostólica diretamente de Jesus (Mt 10:1-7, Mc. 3:14, Lc 6:13-16, At 1:21-26, Gl 1:1 e  1:11-12 ). Este fato leva-nos a questionar: quem comissionou os apóstolos contemporâneos?

Depois da ressurreição, Jesus apareceu para os apóstolos comissionados por ele próprio e também para várias pessoas, sendo Paulo o último a vê-lo: “Depois foi visto por Tiago, mais tarde, por todos os apóstolos e, afinal, depois de todos, foi visto também por mim, como por um nascido fora de tempo. Porque eu sou o menor dos apóstolos…” (1Co 15:7-9). No grego, as palavras “depois de todos” é eschaton de pantwn, que significa literalmente “por último de todos”. [5]

Paulo foi o último apóstolo comissionado por Jesus (At 9:1-6). Posteriormente, não encontramos base bíblica para afirmar que exista uma sucessão ou restauração ministerial de apóstolos. Todas as tentativas para justificar uma suposta restauração do ofício apostólico nos dias de hoje, partiram de interpretações alegóricas, isoladas e equivocadas de textos bíblicos.[6] Na história da igreja, não temos nenhum grande líder utilizando para si o título de apóstolo. Papias e Policarpo, que eram discípulos dos apóstolos e viveram logo após o ministério apostólico, não utilizaram esse título. Nem mesmo grandes teólogos e pregadores da história como Agostinho, Calvino, Lutero, Wesley, Whitefield, Spurgeon – entre tantos outros, utilizaram para si o título de apóstolo.

Os apóstolos tiveram um papel fundamental para o estabelecimento da Igreja. Nesta construção, Jesus foi a pedra angular e o fundamento foi posto pelos apóstolos e profetas, conforme descrito em Efésios 2:19-20: “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular”. Esta passagem é o contexto direto de Efésios 4:11“E Ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres”. Ora, se já temos o alicerce pronto, qual a necessidade de construí-lo novamente? Na verdade não há possibilidade, pois tudo o que vier posteriormente deverá ser estabelecido sobre esta base, conforme alertado pelo apóstolo Paulo: “Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei o fundamento como prudente construtor; e outro edifica sobre ele. Porém cada um veja como edifica. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo.” (1Co 3:10-11)

Como fundamento da Igreja, os apóstolos possuíam plena autoridade dada pelo próprio Jesus Cristo para designar suas palavras como Palavra de Deus para a igreja em matéria de fé e prática. Através desta autoridade apostólica mediante o Espírito Santo é que temos hoje o que conhecemos como cânon do Novo Testamento, escritos pelos apóstolos. Além disso, faziam parte das credenciais dos apóstolos: operar milagres e sinais extraordinários como curas de surdos, aleijados, cegos, paralíticos, deformidades físicas, ressurreições de mortos etc. (2Co 12:12). Eu creio que Deus opera curas em resposta à orações conforme a vontade soberana d’Ele, porém não creio que as mesmas aconteçam através do comando verbal de novos apóstolos, da mesma forma que era feito pelos apóstolos na igreja primitiva de forma extraordinária.

Outro grande problema que encontramos no título de apóstolo nos dias de hoje é que, automaticamente as pessoas associam o termo aos 12 apóstolos de Jesus. Quem lê o Novo Testamento, identifica a grande autoridade atribuída ao ofício de apóstolo e consequentemente esta autoridade será ligada aos contemporâneos. Quem reivindica o título de apóstolo, biblicamente está tomando para si os mesmos ofícios dos apóstolos comissionados por Jesus, colocando as próprias palavras proferidas ou escritas em pé de igualdade e autoridade dos autores do Novo Testamento. Afinal, os apóstolos tinham autoridade para receber revelações diretas de Deus e escrevê-las para o uso da Igreja. Se admitirmos que existam “novos apóstolos”, devemos assumir que a Bíblia é insuficiente e que as palavras dos contemporâneos são canônicas, o que é absolutamente impossível e antibíblico!

Não podemos deixar de citar o festival de misticismo antibíblico praticado por muitos apóstolos contemporâneos, tais como: atos proféticos, novas unções, revelações extrabíblicas, maniqueísmo, manipulação e coronelização da fé através do conceito “não toqueis nos ungidos”, judaização do evangelho etc. Além disso, o próprio modo de vida deles mostra o oposto dos originais, os apóstolos de Cristo tiveram vida humilde, foram presos, açoitados, humilhados e todos (com exceção de Judas Iscariotes que suicidou-se e João que teve morte natural) morreram martirizados por pregarem o evangelho. Ao contrário disso, os contemporâneos vivem uma vida com patrimônios milionários, conforto e prosperidade financeira. Quando sofrem algum tipo de “perseguição”, as mesmas são decorrentes à contravenções penais com a justiça.

Após esta breve análise, concluo que não há apóstolos hoje! O apostolado contemporâneo é uma distorção bíblica gravíssima que reivindica autoridade extrabíblica, da mesma forma que a sucessão apostólica da Igreja católica romana e os Mórmons. Por isso, devemos rejeitar a “restauração” do ofício apostólico, pois os apóstolos contemporâneos não se encaixam nos padrões bíblicos que validam o apostolado, bem como não existe base bíblica que autorize tal restauração.

Sola Scriptura!

Notas:
[1] – Conferência apostólica 2006, site oficial.
[2] – Citado no ítem reforma apostólica do site Lagoinha.com
[3] – Dicionário Bíblico Strong – Léxico Hebr., Aram. e Grego – SBB – 2002, pág. 1214, nº649/652.
[4] – Concordância Fiel do Novo Testamento Grego – Português, Editora Fiel, Vol. I, pág. 84
[5] – Citado no artigo: Carta ao Apóstolo Juvenal, por Rev. Augustus Nicodemus Lopes.
[6] – Para verificar diversas refutações ao apostolado contemporâneo, clique aqui!

54 COMENTÁRIOS

  1. O SISTEMA CONTINUA CONTROLANDO A SOCIEDADE, MANIPULANDO E DISSIMULANDO OS VALORES ELEMENTARES, SOCIAIS E FAMILIARES! A NOIVA DE CRISTO ESTA SENDO IMPELIDA POR ESSE PLANO ARDILOSO DE CONTROLE DE MASSAS, A INVERTER VALORES E A MUDAR O FOCO DO SEU CRISTIANISMO. LUBRIDIADA PELA LEI DE CONSUMO, A IGREJA, SEM PERCEBER, É LEVADA A BUSCAR O SEU PRÓPRIO REINO. A ALTO-AJUDA PARA A SOLUÇÃO DOS SEUS INTERESSES EM PRIMEIRO LUGAR. A VITÓRIA PARTICULAR E PESSOAL TORNOU-SE O NOVO EVANGÉLHO A SER PREGADO. UMA APOSTASIA SURREAL QUE ANULA A CRUZ, O SANGUE DE CRISTO, O SEU SANTO NOME E O MAIS PERIGOSO, ANULA A ETERNIDADE, A SALVAÇÃO! A BÍBLIA REVELA QUE A SOCIEDADE ESTA MORRENDO POR OUVIR O INIMIGO (1 JOÃO 5:19). E QUE O INIMIGO AJUDA O SISTEMA (APOCALIPSE.13:1-18), A CONTINUAR A INVESTIR NESSA REDE SOCIAL MANIPULADORA. A IGREJA NÃO CONCEGUE ENTENDER QUE O EVANGÉLHO DE REINOS PESSOAIS, FOI MINUSIOSAMENTE ARQUITETADO COM O OBJETIVO DE CRIAR CRENTES DESVIADOS, MESMO ESTANDO ELES DENTRO DA CASA DE DEUS!

    • Olá Jorge, muito obrigado pelo aviso. Acabei de revisar o texto, realmente tinha alguns erros ortográficos. Por favor, veja novamente e se tiver mais alguma coisa me avise, ok? Grande abraço, em Cristo!

      Ruy

  2. (Mt. 28, 18 – 20): “É me dado todo o poder no céu e na terra; ide pois e ensinai a todos os povos e eis que estou convosco todos os dias até a consumação do mundo“.

    Que quer dizer isso?

    Cristo tem todo poder, é a primeira parte
    Cristo transmite este poder, é a segunda parte (Lembremo-nos, no mesmo sentido, da frase: “tudo que ligares na terra será ligado no céu e tudo o que desligares na terra será desligado no céu”)
    A quem Ele transmite? Aos apóstolos.
    Até quando? Até a consumação do mundo

    Ora, Cristo transmitiu este poder unicamente aos apóstolos presentes? Não pode ser, pois os apóstolos deviam morrer um dia, como todos os homens morrem. Ele diz: “estarei convosco até à consumação do mundo“.

    Se Ele promete estar com os apóstolos até o fim do mundo, é claro que ele não está se dirigindo aos apóstolos como pessoas físicas, mas como um “corpo moral“, que deve perpetuar-se nos seus sucessores, e hão de durar atá o fim dos tempos.

    A sucessão também é observada nos primeiros cristãos, que nomeavam diáconos e bispos, transmitindo-lhes as obrigações de seus antecessores.

    Jesus Cristo, fundando uma sociedade religiosa visível, que devia durar até ao fim do mundo, devia necessariamente nomear um chefe, com sucessão, para perpetuar a mesma autoridade: “Quem vos escuta, escuta a mim” (Mt 28, 18). Se assim não fosse, Nosso Senhor não teria podido dizer: “Eis que estou convosco todos os dias até o fim do mundo“; devia ter dito que estaria apenas com Pedro até o fim de sua vida. Dessa forma, cumpre-se o que manda a Bíblia: “Um só senhor, uma só fé, um só batismo” (Ef. 4, 5)

    • Meu amigo tudo o que você escreveu aqui está baseado no seu achismo. O amigo do texto foi muito claro e convincente nas suas afirmações com base na Palavra de Deus. Ruy Marinho muito bom o seu texto.

    • Para um não crente você está convicto demais ou tentando perseguir os meus textos.

      Não jogo pérolas pra porcos, e muito menos para aqueles covardes que não se identificam.

      Defina-se !

      • Não preciso me identificar pra você seu idiota. Perolas que perolas? As besteiras que você escreve aqui são tão ridiculas quanto você, que se acha um intelectual. Meu camarada é melhor colocar um nome show do mauro2011. Seu nome só comprova o quanto você é atrasado e burro nas suas ideias. E Ruy Marinho você está certissimo.

    • Sejamos pragmáticos : a quem aproveita estas discussões/divisões doutrinárias ? A Jesus, não. Sua última oração antes de ser prêso foi pela união dos seus. “Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que SEJAM UM,assim como nós.(…) Eu não rogo sómente por estes, mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim. Para que TODOS SEJAM UM, como Tu, ó Pai, o és em Mim, e Eu em Ti. Que eles também SEJAM UM em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste. Eu lhes dei a glória que Tu Me deste, para que SEJAM UM, como Nós SOMOS UM: Eu nêles e Tu em Mim, para que SEJAM PERFEITOS EM UNIDADE”, (João 17.11b,20,21,23).
      E quando censuraram um ‘seguidor’ de fora do grupo : “Mestre, vimos um homem que em teu nome expulsava demônios, e nós lhe proibimos, porque não nos segue. Jesus, PORÉM, disse : ‘Não lhe proibais. Ninguém há que faça milagre em meu nome e logo a seguir possa falar mal de mim, pois quem não é contra nós é por nós’.”( Mc 9.38 ).
      Então por que estamos brigando ? “Por que Me chamais ‘Senhor, Senhor’ e não fazeis o que eu mando ?” (Lc 6.46)

  3. Lamento, mas esse texto é tendencioso e não mostra a verdade bíblica do apostolado na obra de Deus, não vou aqui esboçar uma defesa minuciosa do apostolado, pq basta verificar as dificuldades do apostolo Paulo em reconhecerem seu apostolado pelo mesmo motivo que esse rapaz expos acima, Paulo foi levantado por Cristo pra uma obra grandiosa da mesma forma que muitos estão sendo levantados hj em dia e lá em Efésios 04:11 mostra que "uns" foram levantados para apostolos, por isso descordo completamente desse texto e nada vai parar o mover apostólico nessa terra!!!

    • Amigo, se inveja ou não, isso não importa, mas com certeza ao invés de ficar atacando a igreja de Cristo, acho que muitos deveriam se preocupar mais em ganhar vidas pra Cristo, a visão apostólica entra em lugares onde a maioria tem medo de entrar e, por isso, vidas são resgatadas das mãos do diabo, erros e falhas existem, mas nunca deixarei de defender essse movimento que é autentico e não é religião!!!

    • Helio eu queria saber o que e mover apostolico, o que eu tenho visto sao lobos vestidos de apostolos, onde estao os sinais? so tenho visto escandalos da parte dos apostolos e muitas heresias, as igrejas estao cada dia mais vazias , as pessoas hoje tem nojo dos evangelicos , evangelho virou simbolo de comercio , mercenarios tirando dos pobres, para viver na mordomia , comprar mansoes , avioes , viagens pelo mundo , hoteis 5 estrelas e etc. me desculpe, mas e o que tenho visto.

    • Amigo eu não defendo esses caras e nem tenho nada haver com eles, problemas acontecem em todas as igrejas desde as tradicionais até as mais "liberais", desde as reformadas até as apostolicas, mas independente dos erros ou "roubos" humanos eu não posso deixar de falar nesse mover que cura, restaura, transforma, restitui e que vem do altar soberano do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo!!! Fique na paz do Senhor!!!

    • Helio Barros me fale onde voce esta vendo cura,restauracao , tranformacao , o que eu tenho visto sao pessoas doentes saindo das igrejas pelos escandalos , as pessoas nao tem mais estrutura para suportar os problemas , porque tem ouvido um falso evangelho , onde voce pode comprar o seu milagre com dinheiro , vale tudo nas igrejas apostolicas (e nao apostolicas tambem) festas junina , festa de mascara , musicas eletronicas e etc. vale tudo para "conquistar" as pessoas menos o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo de Nazare.

  4. Devemos cancelar , evaporar ,achincalhar , os pastores os evangelista,os mestres? pois estão todos dentro do mesmo contexto. Ficam procurando chifre na cabeça de cavalo !. niguem vai perder a salvação, se for ganho pra Jesus por um apostolo,evangelista, pastor ou mestre, é muita picuinha , vá ganhar almas pra Jesus e tá acabado!!!.Ha festa no céu quando um pecador se rende a Jesus.Não vejo nem uma heresia se auto denominar apóstolo desde que seja integro e reto aos Olhos do Sr Jesus Cristo.o resto é procurar pelos em ovos!!!!!.

    • Caro Souza:

      Para responder a sua pergunta, faça uma análise bíblica destes outros ministérios, da mesma forma que eu fiz sobre o ofício de apóstolo. Você vai encontrar a resposta facilmente. Uma dica: não se esqueça que existe um contexto amplo nas escrituras que é altamente relevante quando verificamos sobre esses ministérios. Por isso, não chegue a uma conclusão somente através de um único texto bíblico, enquanto outros também tratam sobre o mesmo assunto.

      Outra coisa: Não basta “somente” ganhar almas para Jesus. Se fosse assim, nem precisaríamos de Bíblia, muito menos de Igreja, discipulado etc. E dependendo da forma distorcida em que está sendo pregado o evangelho, nem salvação existirá.

      Pense nisto!

      em Cristo, Ruy.

      • Para ganhar almas pra Jesus não precisa fazer teologias , ser um expert em religião
        em conhecimentos de grego e Hebraico, aramaico !. Eu só preciso ser nascido denovo
        ter uma vida de santidade , e saber mostrar o plano de salvação !! Já pensou se todo convertido tivesse fazer teologia ?com certeza teríamos milhões de soberbo arrogantes
        querendo mostrar que sabe mais do que o outro !.oque tem de gente atrapalhando Sr DEUS de fazer obra na igreja é brincadeira! o evangelho é muito simples , tem que ser pregado a tempo e fora de tempo ; por apóstolo,evangelistas,pastores,diáconos, presbíteros, membros etc.etc…

        • Caro Souza:

          Você crê que Jesus Cristo é o Seu Salvador? Que Ele morreu na cruz por você, pagando todos os seus pecados?

          Se a sua resposta for “sim”, afirmo que você já estuda teologia! As respostas para estas perguntas é o que chamamos de teologia.

          Para “saber mostrar o plano de salvação”, o que eu definiria como “evangelismo”, você precisa conhecer as Escrituras. Logo, você estará fazendo teologia.

          O termo teologia vem do grego “théos” = Deus + “logos” = conhecimento. Ou seja, significa simplesmente organizar o estudo sobre Deus, sobre os ensinos bíblicos. Você não precisa ser um acadêmico para estudar teologia, embora reconheça a importância de se dedicar com afinco nos estudos das Escrituras.

          Recomendo a leitura dos seguintes artigos:

          http://colunas.gospelmais.com.br/a-letra-assassina-e-o-ladrao-destruidor-os-perigos-da-superficialidade-biblica_1729.html

          http://bereianos.blogspot.com.br/2010/03/igreja-precisa-de-teologia.html

          Outra coisa: estudar a bíblia não é sinônimo de soberba. O orgulho e a soberba são pecados que devem ser combatidos sob qualquer circunstância, e como somos pecadores, devemos combater estes sentimentos pecaminosos com afinco.

          Para finalizar: quanto mais se estuda a Bíblia, mais certeza teremos que não sabemos nada e que somos totalmente dependentes de Deus para tudo, inclusive para conhecer Sua vontade através da Bíblia.

          Espero que lhe ajude de alguma forma.

          Em Cristo, Ruy!

          • Belo exemplo de Falácia : “Você crê que Jesus Cristo é o Seu Salvador? Que Ele morreu na cruz por você, paganto todos os seus pecados? Se a sua resposta for “sim”, afirmo que você já estuda teologia!”…Mas ‘crer’ é crer, não ‘estudar’…Todo esse ‘racionalismo’ posterior repousa sobra esta premissa falsa. Quantas almas se convenceram com uma simples oração de alguém ou de seu resultado?
            Outra sinistra sutileza é : “…dependendo da forma distorcida em que está sendo pregado o evangelho, nem salvação existirá.” Esta verdade se aplica nesta discussão ? Se alguém receber/aceitar Jesus na hora da morte, perante um ‘apóstolo’, vai pro inferno ?

          • Caro João Batista:

            Absolutamente, não existe falácia na minha afirmação. Ora, para conhecer o plano de salvação, obviamente é necessário primeiro o entendimento do mesmo através das Escrituras. Após isso, a salvação acontecerá para aqueles que o Espírito Santo conceder. Portanto, se teologia significa “théos” = Deus + “logos” = conhecimento, para alguém responder a pergunta que eu formulei, a mesma saberá a resposta pelo simples fato de ter conhecimento bíblico sobre o plano de salvação. Isso é teologia! Na verdade, falácia é afirmar que o “crer” vem antes do “conhecer”, como o Apóstolo Paulo alertou: “Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? (Rm 10:14) Afinal, “a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (RM 10:17).

            Sobre a “sinistra sutileza”, só é sinistra para aqueles que querem interpretar o que eu escrevi com incoerência lógica. Se um apóstolo contemporâneo prega extra-revelações antibíbicas para alguém, o ouvinte não estará recebendo, de fato, o evangelho verdadeiro. Com certeza, “dependendo da forma”, não haverá salvação. Como Paulo Romero bem definiu: “Quem crer no jesus errado, embarca em uma salvação errada, e pode desembarcar no céu errado”.

            Em Cristo, Ruy!

  5. O texto é muito bom Ruy, meus parabéns, em alguns aspectos você tem razão, a questão em si discutida sobre este "apostolado contemporâneo "gira em torno de um velho problema em nossas igrejas, chamado cargo, como a palavra apóstolo tem sentido de "mensageiro ou enviado ", seria o mesmo que missionário, mas o missionário hoje não tem valor, apóstolo é um alto grau de posionamento dentro da igreja, um "semi-deus", eu acredito no apóstolado quando é exercido, como era feito pelos apóstolos da igreja primitiva, e não como um "show-man"milionário que oprimi o povo de Deus.

    • “Dai de mão a estes homens, deixai-os, pois se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará. mas se é de Deus, não podeis desfazê-la, para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus”.(At 5.34 ss)

    • Quando censuraram um ‘seguidor’ de fora do grupo : “Mestre, vimos um homem que em teu nome expulsava demônios, e nós lhe proibimos, porque não nos segue. Jesus, PORÉM, disse : ‘Não lhe proibais. Ninguém há que faça milagre em meu nome e logo a seguir possa falar mal de mim, pois quem não é contra nós é por nós’.”( Mc 9.38 ).

      “Por que Me chamais ‘Senhor, Senhor’ e não fazeis o que eu mando ?” (Lc 6.46)

  6. No meu modo de entender é que alguns líderes de igrejas já não se conformam com o nobre título de Pastor ou de Mestre. Na minha infância sempre respeitei o título de Pastor acho bonito esse título. No entanto a vontade de querer ser mais, está levando alguns líderes a querer ter um título cada vêz mais relevante. Ele pensa: “Sou Pastor mais eu não gosto desse nome de pastor. Quero ser intitulado de Bispo. Mas Bispo trás consigo uma imagem ou uma idéia do romanismo. Não quero, ser mais Bispo, quero ser um pouco o “melhor”. Daí alguém sem noção da Bíblia brincando o chama de Apóstolo. E a coisa começa por aí. A idéia de que um
    dia ele foi consagrado a Pastor, já ficou para tráz a muito tempo. Começa assim uma idéia de grandiosidade e que ser Apóstolo o vai recomendar melhor diante de Deus ou do povo. Só resta agora esses “apóstolos” se intitularem de “messias”. O Pastor Ruy tem toda a minha apreciação. No meu modo de pensar, não tem ofício mais nobre e belo do que o título de PASTOR; Pastor de almas e isso já nos basta. A humildade é uma das melhores qualidades no ministério pastoral.

  7. Uma coisa é certa, certos ou errados de se denominarem ou serem denominados apostolos, para cada um de seus atos Deus lhes pedirá a conta,
    quanto a nós, o que faríamos se tivéssemos a mesma posição que esses homens têm? será que ganharíamos tantas pessoas quantos eles têm ganhado? teríamos abençoado a tantos?
    deixemos de lado as picuínhas e discussões insensatas,a salvação que é indiidual, deve ser desenvolvida diariamente,
    se acharmos que um ou outro está errado devemos agir com amor, pois aprendemos isso, e passar a ORAR PARA QUE O ESPÍRITO SANTO DE DEUS OS CONVENÇAM DO ERRO E DE SEUS PECADOS.
    nisto sim devemos usar nosso tempo, ao invés de ataca-los.
    ou seremos um exercito que ataca seus proprios soldados.
    sejamos cristãos meus amigos, senão estaremos sendo IGUAIS AOS ESCRIBAS E FARIZEUS que condenavam até o próprio Jesus.
    Graça e Paz da Parte de Cristo a todos
    Paulo Taylor
    paulotaylor76@yahoo.com.br

  8. Quero saber qual é o lucro e esse retorno é apenas financeiro a um site que promove um tribunal, onde uns julgam os outros e estabelece dentro da Igreja como corpo uma sucessão de julgamentos, abrindo portas para a ação de satanás, e criando a incredulidade.
    Cumpre muito bem, mas não o propósito de Deus, para este meio de comunicação.

  9. a igreja seria bem melhor se nao houvessem tantos teologos, estive numa igreja durante anos ouvindo pregacoes lindas, maravilhosas,que nao me matavam a fome… nao me davam forcas para continuar…hoje sou sincera que me alimento ouvindo as prregacoes simples o apostolo valdomiro, extremamente simples, aprendi a ter fe, me alegrar na salvacao do meu Jesus… se ele e apostolo ou pastor, pouco me importa, ele me alimenta com a palavra, aprendi a orar nas madrugadas, a chorar na presenca do meu Senhor, a dobrar os joelhos , a esperar no senhor, a ler a biblia de madugrada, a evangelizar… ora vem Senhor Jesus

  10. Essa idéia de Apóstolos contemporâneos já havia surgido no meio da Igreja que se encontrava em Éfeso, e foi repugnada pelo Senhor Jesus:

    Apocalipse 2:2 Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os achaste mentirosos;

    João o vidente na ilha de Patmos contemplou em visões a nova Jerusálem e na muralha da cidade tinha doze fundamentos, e sobre os doze fundamentos o nome dos doze apostólos. Como fica então a situação desses “apostólos” de hoje, se não tem lugar de honra para eles lá na cidade celestial?

    Apocalipse 21:14 A muralha da cidade tinha doze fundamentos, e estavam sobre estes os doze nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.

    Essa onda não cola com a Bíblia!
    Comento sobre esse assunto no meu blog:
    http://camposide.blogspot.com.br/2011/10/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html

  11. Será que sou só eu que estou vendo um monte de cascas de bananas neste texto ?: “Ou o ministério apostólico contemporâneo é uma realidade na Igreja nos últimos dias, ou estamos diante de uma grande distorção bíblica, na qual PRECISA SER REJEITADA E COMBATIDA URGENTEMENTE. Se a primeira hipótese estiver correta, então obviamente não devemos questioná-los, além de aceitar como verdade de Deus TUDO (?!?) o que vier dos mesmos. Caso contrário, resta-nos REJEITAR TOTALMENTE as palavras e as reivindicações proféticas destes apóstolos contemporâneos POR SEREM ANTI- BÍBLICAS”. Afinal, devemos rejeitar por serem anti – Bíblicas ou por virem deles, seja lá o que vier ? Parece que vale qualquer argumento desde que nos coloquemos uns contra os outros…

    • Por que acusarmos aqueles que estão convertendo almas se nem sabemos se eles se julgam apóstolos no sentido amplo ou restrito ? e o tal “fator etimológico da palavra Apóstolo”? “Biblicamente, esta palavra significa “enviado, mensageiro, alguém enviado com ordens” (grego = apostolos), é utilizada no Novo Testamento em dois sentidos: (…); 2ª – Em sentido amplo, para casos de pessoas que foram enviadas para uma obra especial. Neste último, a palavra utilizada provém da correlação verbal do substantivo “apóstolo” e o verbo em grego “enviar” (grego = apostello).[3] Das 81 vezes que a palavra apóstolo e suas derivações aparecem no texto grego do Novo Testamento, (…) 7 vezes no sentido amplo (Jo 13:16, 2Co 8:23, Gl 1:19, Fl 2:25, At 14:4 e 14, Rm 16:7) .
      Podemos perceber que, em tese, qualquer pessoa que é “enviada” para um trabalho missionário é um apóstolo. Porém, os problemas aparecem quando alguém propõe para si a utilização do termo no sentido restrito ao ofício de apóstolo.”
      Alguém já ouviu um deles dizer : ‘Ei! Eu sou um apóstolo no sentido restrito!”…?!?

    • Caro João Batista:

      As “cascas de bananas” são escorregadias para aqueles que não tem atenção aonde pisam. Se você ler o meu artigo com atenção e raciocínio lógico, perceberá facilmente os meus questionamentos e não correrá o risco de “escorregar”.

      O que eu abordo é bem simples de entender e possui pleno fundamento bíblico. Em síntese: se biblicamente a palavra apóstolo possui dois sentidos (amplo e restrito); se o sentido restrito é direcionado exclusivamente aos apóstolos comissionados por Cristo e, se o ofício de apóstolo no sentido restrito cessou; logo, não existem apóstolos nos dias de hoje no sentido restrito! Os apóstolos contemporâneos reivindicam os mesmos atributos que os apóstolos originais de Cristo (revelações extrabíblicas, decretos de palavras próprias, novas unções, atos proféticos etc.). É exatamente este o ponto problemático. Portanto, devemos sim exortá-los e rejeitar todo e qualquer ensinamento que não estiver de acordo com as Escrituras.

      Em Cristo, Ruy!

      • Ok, irmão.
        Concordo que deve-se examinar tudo à luz das escrituras e reter o bem. Por isto é que cada caso é um caso. Não dá prá condenar automáticamente ‘qualquer coisa’ que venha de um desses pregadores do nome de Jesus, até porque “o espírito sopra onde quer” e os Atos dos Apóstolos, na verdade Atos do Espírito Santo, é o único livro dos evangelhos que não foram ‘fechados’. O ‘Inspirador’ do nosso querido doutor Lucas não quis escrever epílogo nem se despedir, dando a entender que ainda estará sendo escrito até o fim dos tempos.
        Mal ou bem, esses pregadores tem o potencial de atrair almas que o Espírito começará a incomodar, até que mais tarde acabarão vindo até A Verdade, O Caminho e A Vida. Se até um kardecista pode dar o pontapé inicial na espiritualidade de um ateu, que dirá o nome de Jesus proferido com a fé dos simples? Jesus sabia disso : ” ‘Não lhe proibais ( ‘porque não nos segue’) (…) pois quem não é contra nós é por nós’.”( Mc 9.38 ). Para nosso Mestre, importava mais nossa união do que diferenças doutrinárias..
        E porque não seguirmos o conselho de Gamaliel ? : “Dai de mão a estes homens, deixai-os, pois se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará. mas se é de Deus, não podeis desfazê-la, para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus”.(At 5.34 ss)

  12. “Bem aventurados os que não estudaram teologia e creram”.
    “Bem aventurados és tu, Simão bar-Jonas, pois não foi teologia que to revelou, mas meu Pai que está nos céus”.

    • João Batista, vc já está apelando!!!Segue o conselho do Apóstolo Paulo(este sim é apóstolo) 1 Timóteo 4:13 – Persiste em ler, exortar e ensinar. Este conselho do Apóstolo Paulo a Timoteo serve para todos nós.Estude a Palavra para que vc tenha base para argumentar sobre assuntos como esse no qual vc está totalmente perdido, lançando palavras ao vento.

      • Claro que temos que seguir estudando e meditando neste Livro Eterno noite e dia. Você está certíssimo. Só quis dizer que, se todas as pessoas só se convertessem depois de fazer um curso de Teologia, teríamos provavelmente menos irmãos neste Reino de Deus, ainda mais no Brasi, onde pouco se lê, pouco se estuda, e poucos tem disponibilidade de tempo e/ou dinheiro para um curso de Teologia. Não é o Espírito que convence ? Não é a “letra” a que ‘mata’ ? Não é o “espírito que vivifica”? Estamos falando da mesma coisa. Meu irmãozinho me interpretou mal. Paz.

  13. OS CONTEMPORÂNEOS SÃO TÃO PICARETAS E SAFADOS COMO OS DE ANTIGAMENTE. OU JÁ ESQUECERAM QUE O GRUPELHO DE JESUS ERA FORMADO PELA RALÉ, LADRÕES, ASSASSINOS E MENTIROSOS? TÁ NA BÍBLIA: PEDRO ERA UM ASSASSINO, JUDAS ERA UM LADRÃO, PAULO ERA LADRÃO E MENTIROSSO CONFESSO.

  14. Se todas as pessoas só se convertessem depois de fazer um curso de Teologia, teríamos provavelmente menos irmãos neste Reino de Deus, ainda mais no Brasi, onde pouco se lê, pouco se estuda, e poucos tem disponibilidade de tempo e/ou dinheiro para um curso de Teologia. Não é o Espírito que convence ? Não é a “letra” a que ‘mata’ ? Não é o “espírito que vivifica”?

    • Caro João Batista,

      quem te falou que para se converter devemos fazer um “curso” de teologia? Você está equivocado! Em nenhum momento afirmei isso, tanto no artigo, quanto nos comentários. De onde você tirou esta ideia?

      Sobre a “letra que mata e o espírito que vivifica”, creio que a sua leitura desta passagem esteja fora de contexto. Sugiro a leitura de meu artigo que trata justamente sobre 2Co 3:6:

      http://colunas.gospelmais.com.br/a-letra-assassina-e-o-ladrao-destruidor-os-perigos-da-superficialidade-biblica_1729.html

      Grande abraço, em Cristo!

      Ruy

      • De fato, ipsis literis, não disse “para se converter devemos fazer um “curso” de teologia”. Usei o termo ‘curso’ para fazer uma ‘redutio ad absurdum’ e tornar mais claro o equívoco.
        “…para conhecer o plano de salvação, obviamente é necessário primeiro o entendimento do mesmo através das Escrituras. Após isso, a salvação acontecerá…”
        O “entendimento do mesmo através das Escrituras” requer comparação de diversas doutrinas e seus respectivos embasamentos bíblicos, logo… se não um ‘cursinho’, ao menos um seminariozinho…
        Quanto à “letra que mata” e o “Espírito que vivifica”, vc mesmo conhece e usa a mesma interpretação, quando diz :” quanto mais se estuda a Bíblia, mais certeza teremos que não sabemos nada e que somos totalmente dependentes de Deus para tudo”…
        E afinal, se alguém receber/aceitar Jesus na hora da morte, perante um ‘apóstolo’ fazendo capelania hospitalar, vai pro inferno ?
        Também não vi réplica para “estarei convosco até à consumação do mundo“, dirigida aos apóstolos. De que apóstolos Jesus estava falando, se aquela geração não sobreviveu até o fim dos dias ?
        Aguardo humildemente sua finalização para este assunto.
        Shalom Adonai !

  15. De tudo o que dito por todos, é real e verdadeiro, mas intendemos pela luz do evangelho que
    tudo o que está acontecendo é profetico, e um palco está sendo montado para o aparecimento
    do anticristo.

DEIXE UMA RESPOSTA