Num Brasil cada vez mais evangélico, maioria da população apóia ataques sexuais a mulheres. Tem alguma coisa errada…

23

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), órgão da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, divulgou o relatório de uma pesquisa feita com 3.810 pessoas sobre as causas da violência contra a mulher.

O resultado foi estarrecedor: 65% dos entrevistados, incluindo pessoas do sexo feminino, disseram que mulher com roupa curta merece ser atacada sexualmente. Comentei essa notícia com minha esposa, e sua reação foi de perplexidade: “Nem prostituta deve ser atacada”. Obviamente, concordo. Entretanto, o conceito detectado na pesquisa é tido como justificado na sociedade brasileira, e apoiado inclusive por muitas mulheres. Experimente uma conversa informal, na padaria, sobre alguma mulher com roupas curtas que esteja passando ou que more na vizinhança, e repare nas respostas…

Outros dados também revelaram que o mesmo brasileiro que apóia as agressões contra as mulheres “da rua” é contra a agressão doméstica: 91% dos entrevistados concorda que maridos que agridem esposas devem ser presos, apesar de 63% acharem que “casos de violência dentro de casa devem ser discutidos somente entre membros da família”. O conceito de que “roupa suja se lava em casa” é apoiado por 89% da população.

A maioria dos entrevistados, 58,5%, concorda que “se mulheres soubessem se comportar haveria menos estupros”.  Já 54,9% afirmaram que existem dois tipos de mulheres: as que servem para casar, e as que devem ser levadas para a cama.

Todas essas informações causaram espanto à mídia e a boa parte dos internautas. Aí eu me pergunto: por que o espanto? Essa não é a realidade da nossa sociedade? Esse não é o cotidiano com o qual convivemos sempre?

Mas o que me causou maior incômodo foi ligar os seguintes pontos: a maioria dos brasileiros acha que mulher “mal vestida” deve ser estuprada e a maior parte dos brasileiros são cristãos, católicos ou evangélicos. Fora o fato de que a violência contra a mulher é uma coisa que transcende religião, não tem alguma coisa errada nisso?

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fez alarde ao divulgar o relatório sobre religião do Censo 2010, que apontava um crescimento superior a 60% dos fiéis evangélicos em relação ao Censo anterior, de 2000. À época do anúncio, diversos pastores, bispos, apóstolos, sub-deuses comemoraram e cantaram aos quatro ventos que, em pouco tempo, o Brasil seria um país de maioria evangélica…

Olhando para nossa sociedade, até agora não vejo vantagem nesse “crescimento evangélico”, porque cheguei à conclusão que esse crescimento é numérico, não orgânico. Mais pessoas têm aderido à temerária e famigerada teologia da prosperidade. Só. Boa parte dos evangélicos no papel mal conhecem o Cristo.

Minha pergunta é: se nós evangélicos seguimos a Cristo e seus ensinamentos, onde está o impacto do nosso crescimento na nossa sociedade? Nos últimos anos, temos visto a violência como um todo aumentar; a corrupção atingir um nível inédito de engenhosidade e alcance; a indiferença com os necessitados saltar aos olhos nas ruas das cidades; etc. Não estamos sendo sal e nem luz…

Os políticos eleitos pelo voto dos evangélicos se engalfinham com opositores, como se disputassem quem consegue ofender mais a inteligência alheia, exalando desrespeito e soberba. Certo dia, atordoado com uma reflexão semelhante, o pastor Ricardo Gondim escreveu em suas tribunas: “Deus nos livre de um Brasil evangélico”. Foi achincalhado. Mas, respondam-me queridos leitores: estamos nos tornando um povo grande e poderoso, mas estamos refletindo o Cristo e seus ensinamentos onde chegamos?

Falando especificamente da violência contra a mulher no Brasil, muitos dirão que ela está enraizada na cultura popular. Sim, concordo. Mas pergunto novamente: não deveríamos nós, cristãos, ensinar e praticar o amor ao próximo (que resume todos os outros mandamentos)? Se não pudermos ser “sal da Terra e luz do mundo”, influenciando nossa sociedade para o bem, não deveríamos rever a forma como olhamos para o que acontece ao nosso redor?

Os números da pesquisa permitem imaginar que alguns dos que disseram concordar com ataques a mulheres, ou mesmo que existam mulheres para casar e mulheres para levar para a cama, sejam evangélicos. Não seria isso uma contradição, uma vez que a doutrina da maioria absoluta das igrejas é a abstinência sexual para quem não é casado?

Às vezes, sonho acordado com um tempo em que nosso povo terá compromisso histórico com o Reino de Deus, semeando amor e paz através da mensagem do Evangelho e do testemunho de vida. Lutando pela igualdade de gênero, social e étnica; contra a violência; a favor dos mais necessitados; contra a corrupção; a favor da educação de qualidade; contra as agressões ao meio-ambiente; etc.

Sim, acredito que a pesquisa do IPEA reflete o quanto não estamos nos apresentando corretamente à sociedade; Que nossas igrejas não oferecem tudo que podem para ajudar a comunidade ser melhor; Que estamos preocupados em tomar o poder, mas não saberemos o que fazer com ele quando o tivermos…

Há muito o que se fazer pelo nosso amado Brasil, pois embora estejamos ansiosos pela oportunidade de estar com Ele, por enquanto estamos aqui, numa sociedade que cada vez mais se distancia do amor de Deus.

Política?

A pesquisa do IPEA foi feita entre os meses de maio e junho de 2013 (há bastante tempo), em 212 municípios brasileiros. Como frisei no começo, o IPEA é um órgão governamental. Não duvido da idoneidade da pesquisa, mas acho suspeito que o relatório tenha sido divulgado somente agora, quando os escândalos da Petrobrás vieram à tona… Vigia, irmão!

23 COMENTÁRIOS

  1. quanto maior o numero de cristãos maior a revolta de satanás, nós cristãos não temos nada com isto, e nem interferimos na ou no direito de livre arbitrio

  2. Talvez a pesquisa tenha sido mal interpretada, certamente a grande maioria da população esteja indignada com a total ausência de moral e bons costumes de certa parte do povo brasileiro vítima das três última décadas de lixo cultural, repleto de liberdade sexual, drogas e corrupção em várias esferas, sempre muito difundido pelas grandes mídia e pelas mazelas do estado brasileiro.

    Justificar o crime baseado em trajes é um argumento torpe, porém as sábias mulheres precisam recobrar a conciência e lembrar do seu papel fundamental em nossa sociedade, sobretudo na família.

    O país precisa urgente de leis severas, decência e mais amor a Cristo.

    • Ou seja, vc defende uma TEOCRACIA neh? Assume logo cara.

      Eu não defendo e muitos outros tb não. Pq teocracias são regimes tão ou mais injustos do que governos comunistas. Alias, regimes teocráticos partilham da mesma vontade de matar que existe no comunismo. Quantos o Islã não mata todos os anos? E o que dizer de Uganda que é um país com política evangélica e que recentemente aprovou uma lei absurda.

      • Oi Slash, boa tarde.

        Nem os evangélicos, nem islamitas são exemplos de Teocracia, posto que estes exemplos são regulamentados por homens.

        Houve Teocracia de fato até o profeta Samuel. Até ali, Deus governava diretamente o povo judeu. Mas após Samuel foram eleitos reis (Saul, Davi, Salomão, Josafá, Manassés, Josias etc), e a Teocracia deixou de existir.

        A Teocracia hoje, no meu entendimento, não teria razão de ser, pois as profecias que anunciavam o Salvador do mundo se cumpriram em Cristo. Após Sua ressureição, deu-se início (e hj ainda vivemos nela) à Dispensação da Graça de Deus, onde o Espírito Santo, o Consolador, nos atrai a Cristo, para sermos salvos por meio da fé nEle, afim de sermos justificados de nossos pecados perante Deus, e tenhamos paz com Deus, por meio de Seu Filho:

        ´´Mas, quando vier o Consolador, que Eu da parte do Pai vos hei de enviar, aquele Espírito da Verdade, que procede do Pai, Ele testificará de Mim.´´ (João 15:26)

        ´´Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, Esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.´´ (João 14:26)

        E o apóstolo Paulo exorta:

        ´´E nós, cooperando também com Ele, vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão (porque diz: Ouvi-te em tempo aceitável e socorri-te no dia da salvação;
        eis aqui agora o tempo aceitável, EIS AQUI AGORA O DIA DA SALVAÇÃO).
        (2 Coríntios 6:1-2)

        Hj é dia de Salvação para toda e qualquer pessoa que CRER e entregar sua vida a Jesus. Não depende de boas obra ou de nosso merecimento, somos salvos apenas pela FÉ em Cristo. É o que testifica a Palavra de Deus.

        Nenhuma religião importa, Slash; nenhuma salva. A importância que alguma religião pode ter é no serviço de anunciar a remissão de nossos pecados perante Deus, por meio da fé em Jesus Cristo, que morreu e ressuscitou por todos nós.

        Se vc por conta própria ler o Evangelho segundo o apóstolo João, vai encontrar lá o Amor de Deus por nós, a vinda do Cristo, Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, e Seus Ensinamentos lindos, de amor uns pelos outros, união, louvor a Deus, comunhão e salvação através de Cristo, além da promessa da volta de Jesus para levar consigo todos aqueles que crerem e permanecerem fiéis.

        Abraço, bom fim de semana.

        • Sinto em lhe informar, mas seu deus também foi criado pelos homens. Ou você pode me provar o contrário? Porque se não pode, não tem autoridade nenhuma para falar que os deuses dos outros são criações humanas.

  3. É claro que uma parcela importante de evangélicos respondeu essa pesquisa. Eu não me admiro nem um pouquinho, pois alguns grupos desse seguimento parecem ter raiva de quem não faz parte do gueto deles. Sendo assim, respondem conforme seus baixos instintos se aproveitando do anonimato. Realidade, gente!

      • Olha, se eu pedisse um respaldo para o que eu falei, decerto não haveria.
        Mas o Moisés (que é o Clamando fugindo do faraó), vem me fazer essa pergunta, porque será, hein?
        Olha, meu caro, tudo que é exagerado e extrapola o bom senso, é feio e apelativo, tanto pra mulher como pra homem! Mulher com vestidão, cabelos longos e sem vida, pernas e axilas peludas, tb acho indecente!
        Observando num todo, por exemplo, percebo que certos cantores sertanejos usam calças apertadinhas, propositalmente, para mostrar o volume de seu órgão sexual e deixar as meninas bem piradinhas. Só que elas não os violentam, porque a natureza feminina é outra. Já vi cantores gospel nessa linha tb, viu? rsrs…

        • troca em miudos, quer dizer que andar bem vestida com um vestido comprido é indecente ter cabelos compridos pernas cabeludas e axilas é indecente, entendi, quer dizer , fez como stardust fugindo da cruz, não respondeu a pergunta, simulou uma troca, achas que a mulher deve apelar ou não está e´a pergunta? ha! só para entender ficam piradinhas quando cantores botam calças apertadinhas heheheh, como é facil enganar os baixa renda

      • Clamando,
        Eu acho que uma mulher deve se vestir, em primeiro ligar, para si mesma, para que se sinta bem. Depois, ela deve pensar no marido, namorado e, então, no meio em que ela vai. se apresentar.
        Uma mulher de corpo bonito, sempre irá chamar a atenção, independente da roupa que esteja vestindo. Mas, é claro que existem aquelas que exageram em suas roupas, que são as periguetes de hj. Mas, será que os homens não conseguem se conter e tem que partir para o ataque?
        Aí não sei meu fio, sou mulher e não sei o que dizer.
        Com a palavra os homens!

  4. Sim, tem coisa errada, a começar pelo título tendencioso da matéria!

    O autor conclui que se a maioria da população no Brasil é evangélica, logo os evangélicos são a favor de que mulheres sejam atacadas! Essa é uma das coisas mais esdrúxulas que li por aqui!!!

    É importante tmb não generalizar os evangélicos como adeptos da teologia da prosperidade, Tiago. Eu não sou adepto dela, e conheço ´meio mundo´ de evangélicos que tmb não o são. O que ocorre é que esta vertente tem grande espaço na tv, e com isso pessoas incautas concluem que TODOS os evangélicos são assim. Não, né?

    Por fim, encerro com outro comentário seu, tmb espantoso:

    ´´Os números da pesquisa permitem IMAGINAR que alguns dos que disseram concordar com ataques a mulheres, ou mesmo que existam mulheres para casar e mulheres para levar para a cama, sejam evangélicos.´´

    Ô Tiago, ´´permitem IMAGINAR´´??? Poxa, é muita falta de responsabilidade sua não só tecer devaneios, mas publica-los. Porém, em nome da liberdade de expressão, que deve sempre ser respeitada, acho, sob essa ótica, importante sua publicação.

    Abraço!

    • Jota, meu caro… Permita-se a reflexão, encontrar o que não está bom para ser um fator de transformação.
      Se acha que foi esdrúxulo, mas respeita por conta da liberdade de expressão, então acompanhe o raciocínio e entenda que o artigo é na verdade, um convite à mudança!
      Vamos, juntos, ser sal na terra, e não no saleiro. Vamos ser luz fora da vitrine e iluminar os lugares mais escuros?
      A rejeição às ideias e discussões é o primeiro sinal de que o assunto incomoda!
      Um abraço, fique na paz!

  5. A grande verdade que o crescimento evangélico assim como a própria existência do cristianismo em nosso país não significa nada!!! Não vemos nada de Jesus refletido em grande parcela de seus seguidores, com raras exceções, o discurso que marginaliza as mulheres não é novo, basta analisar o estereótipo criado para as mulheres evangélicas, e a forma que elas são tratas dentro de suas igrejas, ___Saia irmã é a vestimenta correta para uma mulher virtuosa. Dizem alguns. ___ Mulher não é nem para falar nas igrejas. Defendem outros. Se o pastor adulterou com a irmãzinha, a culpa foi dela que tentou um HOMEM DE DEUS, e por ai vai…

  6. CADA DIA MAIS AUMENTAM O NÚMERO DE PA$TORES ESTUPRADORES, E AÍ PARA PROTEGER OS ”HÔMI DE DEUS”, A EVANJECADA APÓIA O ATAQUE ÀS MULHERES. MAIS OU MENOS POR AÍ.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here