Artigos

O sucesso do Estado de bem-estar social

Comments (9)
  1. souza disse:

    Esses paises Escandinavos estão pagando o preço da secularização, expulsam Jesus e abraçaram
    Kal Maxi , a desorganização social na Europa é o preço da falsa liberdade ! Liberdade ? só em Jesus !
    E satanás , esta fazendo exatamente a mesma coisa com os paises sul americanos !
    Mas ; para preparar o caminho do anti cristo é necessário que haja o caos , e a esquerda , que esta dominando e vai dominar o ocidente, + muçulmanos xiitas ; isto é coisa de mais ou menos 15 anos o caos total estará estabelecido ! é esperar pra ver !!!
    No Brasil , com a onda de uma falsa inclusão social e uma falsa democracia só esta estabelecendo , isto é , incutindo na mente da população a desobediência civil , é só observar no correr dos próximos anos , ai daquele que ganhar a eleição este ano; que não seja o PT ( Partido Trambiqueiro ) , farão um inferno na vida do presidente ! esperem e veras !!!!!

    1. Jeremy disse:

      Você deve estar com inveja porque os escandinavos vivem muito bem e feliz sem precisar de Jesus, Deus ou alguma religião! Aceita que dói menos 🙂

      1. souza disse:

        Não sei quantos anos vc tem , mas ; se ainda for moço novo vai dar tempo pra vc ver o fruto desta semente que esta sendo plantada pelos sem Deus como vc é so esperar , ja esta germinando !!!

  2. Torreal disse:

    belo texto.
    ha que se pensar em todos e nao somente nos mais aptos.
    deixar pessoas a mingua por nao fazerem parte do processo produtivo eh algo cruel e egoista.
    existe riqueza para todos.

    1. Jeremy disse:

      Mas para ter acesso a essa “riqueza” aqui no Brasil é necessário fazer cursos, faculdade, mestrado, doutorado, ter um bom emprego, um bom salário, falar outros idiomas, enfim, ter cultura. Algumas pessoas nem se dão ao trabalho de estudar e depois ficam reclamando que o ”sistema” é cruel e egoísta.

      1. Torreal disse:

        existem varias pessoas, a maioria na verdade, que nao tiveram oportunidade de estudar e vivem na miseria simplesmente por terem nascido em estado de pobreza.
        deixa-los sobreviver passando fome e sem uma minima condicao de se erguerem eh egoismo puro.
        como jah disse anteriormente, ha riqueza para todo mundo.
        nao eh preciso deixar a vida de todos confortavel, mas eh possivel deixar a vida de todos digna.
        tem muito cachorrinho que come melhor que familias inteiras no Brasil.

        1. Paulo Alencar disse:

          É uma pena que este senhor “Johnny Bernardo” tenha se proposto a retocar os argumentos do Thiago Cortês com um texto tão raso e deslocado da realidade. Em primeiro lugar, isto que Johnny chama de neoliberalismo não existe. Na verdade, o sistema liberal é o que existe de fato em países como os EUA. Ele baseia-se na atuação mínima atuação do Estado e nas relações comerciais interpessoais que estimulam o livre mercado, a existência de empresas com aumento de postos de trabalho e desenvolvimento econômico. O livre mercado está baseado na lei da procura e da oferta, onde preços são regulamentados pela uma “mão invisível” que estimula a competição e a diminuição dos preços através da busca pelo consumidor. É uma visão meritocrática: quem se esforçar mais, ganhará mais. Não adianta ver o mundo através da economia industrial do século XVIII. Os tempos mudaram! Hoje, trabalhadores têm incentivos como participação nos lucros, algo impensável antigamente. O capitalismo não é um sistema gerenciado, mas moldável e adaptável as circunstâncias. O Estado do bem-estar social, é puro assistencialismo. Sob a justificativa de ajudar os mais pobres, sobrecarrega a classe média e cria cada vez mais pobres para serem assistidos. O problema é que o Estado não produz riquezas, mas administra o imposto. Mais assistencia se converte em mais carga tributária e isso afeta principalmente os mais pobres (veja o caso do Brasil) que pagam impostos embutidos em cascata. Senhor Johnny Bernardo, verifique o preço de um carro zero no Brasil e nos EUA e verifique que modelo está melhor estruturado: a nossa socialdemocracia que caminha para um socialismo marxista, ou o liberalismo deles que garante uma renda maior e mais qualidade de vida para seu povo?

  3. Paulo Alencar disse:

    É uma pena que este senhor “Johnny Bernardo” tenha se proposto a retocar os argumentos do Thiago Cortês com um texto tão raso e deslocado da realidade. Em primeiro lugar, isto que Johnny chama de neoliberalismo não existe. Na verdade, o sistema liberal é o que existe de fato em países como os EUA. Ele baseia-se na atuação mínima do Estado, aliada às relações comerciais interpessoais que estimulam o livre mercado. Isso cria mais empresas e consequentemente novos postos de trabalho e desenvolvimento econômico. O livre mercado está baseado na lei da procura e da oferta, onde preços são regulamentados pela “mão invisível” que estimula a competição e a diminuição dos preços através da busca pelo consumidor. É uma visão lógica e meritocrática: quem se esforçar mais, ganhará mais (Com o suor do seu rosto você comerá o seu pão. – Gen 3:8). Não adianta viver eternamente alinhando a visão de “Capitalismo” à linha econômica industrial do século XVIII. Os tempos mudaram! Hoje, trabalhadores têm incentivos como participação nos lucros, algo impensável naqueles tempos! O capitalismo não é um sistema gerenciado, mas um modelo relativo moldável e adaptável as circunstâncias. O Estado do bem-estar social, é a destruição do mérito! É puro assistencialismo. Sob a justificativa de ajudar os mais pobres, sobrecarrega a classe média e cria cada vez mais pobres para serem assistidos. Afaixa que trabalha sustenta a faixa que não trabalha. É um modelo que se desgasta e se derrete com o passar do tempo. O Estado não produz riquezas, mas administra a riqueza gerado pelo povo. Mais assistencialismo se converte, ao longo do tempo, em mais carga tributária e isso afeta principalmente os mais pobres (veja o caso do Brasil) que pagam impostos embutidos em cascata em todos os produtos. A interferencia do estado destrói mercados e prejudica o empresariado local. Isso é mais que provado ao longo da história. Senhor Johnny Bernardo, verifique o preço de um carro zero no Brasil e nos EUA e verifique que modelo está melhor estruturado: a nossa socialdemocracia que caminha para um socialismo marxista, ou o liberalismo deles que garante uma renda maior e mais qualidade de vida para seu povo?

    assista a este documentário e volte aqui depois: http://www.youtube.com/watch?v=I0Aq5SQrIEg

  4. Antonio Roque disse:

    A riqueza humana produzida pode e deve ser compartilhada, mas as pessoas precisam trabalhar. Sustentar improdutivos sob qualquer alegação não convence. Creio que devamos apoiar propostas governamentais que valorizem o ser humano através da educação e da ocupação. É isso que dignifica o ser humano. Pessoas desocupadas viram parasitas e não contribuem para o progresso da humanidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Colunas Gospel+ é um espaço de opinião, voltado ao público cristão, com abordagem de diversos assuntos ligados à jornada de fé, sociedade, política, música e muito mais.

Aproveite o conteúdo e compartilhe o conhecimento através das redes sociais.