#MaconhaNão: Rede FALE faz apologia à descriminalização da Maconha. Saiba porque sou contra

17

Ao ouvir a notícia de que a Rede Fale foi até a presidenta Dilma e fez o vexame de encaminhar um documento assinado por mais de 100 pastores que são a favor da descriminalização da maconha, faço aqui um alerta como profissional de saúde mental e coordenadora de uma campanha nacional com mais de 18 audiências públicas oficiais realizadas e mais de 15 debates – fora entrevistas à CBN, Rádio Câmara , emissoras regionais da TV Globo, Record, entre outras – sobre os prejuízos físicos intelectuais da maconha.

Fico muito preocupada com a falta de conhecimento técnico de saúde pública de alguns “líderes” em negligenciar o quanto o organismo de um ser humano é afetado pelas drogas, não somente no aspecto físico e/ou psíquico, mas nas quatro dimensões onde a droga o afeta bio/psico/social e espiritualmente.

Não há conflito da ciência e sim de cientistas que seguem a linha humanista  do relativismo social que propaga a cultura da morte em nosso pais, e que acredita que usar droga é um direito do cidadão, mesmo que essa droga o leve a morte e/ou a destruir seus vínculos afetivos com a família ou cônjuge, por exemplo. Me surpreendo ao ver pastores fazendo defesa da legalização, sem ter o conhecimento, por exemplo, de que pelo menos 20% dos adolescentes que usam maconha acaba com o sistema nervoso central afetado negativamente, trazendo  transtornos psicológicos e psiquiátricos graves, inclusive alguns como esquizofrenia que é uma doença mental grave.

Creio que a falta de conhecimento e a competição entre lideranças está tomando um rumo sem volta. Não podemos de forma alguma seguir uma mídia que, por exemplo, negligencia a saúde mental e física da sociedade. Vergonha é o que senti com essas declarações dessa Rede FALE . Fomos chamados para ser luz e não trevas. As drogas tiram o poder de escolha do ser humano e para escolher Deus eu preciso desse poder.  Como profissional, achei irresponsável  essa ação, e como mulher de Deus só temo pelo futuro do Evangelho.

Abaixo segue algumas das tantas verdades sobre o porque não devemos descriminalizar e/ou legalizar a Maconha e outras drogas. Espero que com essa leitura os ignorantes no assunto percebam a gravidade de se legalizar drogas em nosso Brasil. A igreja deve apoiar cultura de vida e não de morte.

Resumo

Entendemos na prática clínica e em conhecimentos científicos, que a Maconha faz mal à saúde sim, e não é droga inocente, como tentam dizer os seguidores do senhor ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, defensor fervoroso dessa erva canabis sativa.  Pode sim causar dependência e é porta de entrada para outras drogas ilícitas. O que vemos hoje, não é uma preocupação honesta com a população que usa drogas ou com a violência gerada por ela, e sim uma preocupação egoísta com o vício pessoal de muitos e o interesse político por trás dessa disfarçada descriminalização.

Muitos argumentos seguros temos para contrapor essa legalização disfarçada de descriminalização, mas colocarei de forma clara e objetiva apenas alguns, enquanto profissional da área.

Dizer que a droga não faz mal a saúde  ou minimizar esse poder destrutivo comparando-as com outras drogas é um delírio, pois cada droga tem sua significância e suas substâncias, que fazem mal  de forma devastadora à saúde física e mental, aliado ao fato da Maconha ter uma ligação direta com aspectos que vão além de prejuízos físicos, ligados à zona de prazer emocional do cérebro, onde toda a motivação humana para o bem se concentra. Nesta zona de prazer emocional cerebral é onde ocorre a busca de motivos para viver em harmonia. O desequilíbrio dessa instância é que pode nos levar a uma dependência psicológica existencial muito grande.

Maconha faz mal sim à saúde física e mental, afeta o social, principalmente a família, pois quebra vínculos afetivos, destrói relacionamentos, desmotiva as uniões, e serve de modelo negativo para os filhos, que podem usar drogas em decorrência dessa influência.

Quando esses filhos ainda são muito jovens têm  sua estrutura emocional e seu sistema nervoso central ainda  em formação física e psicológica, devido a isso, podem  desencadear  transtornos  psicológicos gravíssimos como esquizofrenia e surtos psicóticos, afetando a memória em várias instâncias, tais quais, o pensamento cognitivo, coordenação motora, a lentidão da percepção, prejuízos na memória a curto, médio e longo prazo, podendo causar  uma  crise amotivacional, que é facilmente constatada  na escola, com notas baixas e perda de ano letivo.  Enfim, nem apologistas e defensores da descriminalização conseguem negar o que a ciência e os profissionais que atuam no tratamento de abusadores de maconha e/ou dependentes de Maconha evidenciam e provam por pesquisas ou em atendimentos práticos em consultórios.

Saúde física e psicológica

A Maconha afeta a memória, pensamento lógico, percepção, coordenação motora, cognição, empobrece os neurônios, diminui a capacidade de raciocínio e pode desencadear a esquizofrenia, além dos problemas emocionas já citados, etc.

Crise amotivacional

A crise amotivacional provocada pela Maconha em adolescentes, crianças e jovens já seria motivo suficiente para a não regulamentação da descriminalização, pois impede o crescimento mental de nosso jovens e afeta diretamente desempenho escolar .

Uso medicinal

Existem medicamentos testados em laboratório e aprovados pelo Ministério da Saúde, com propriedades medicinais muito mais intensas e seguras que a Maconha, não havendo necessidade de colocar a população em tamanho risco. Além do que, os efeitos negativos  cognitivos, físicos, motor não justificam seu uso.

Liberação do álcool e cigarro

O cigarro e o álcool são evidências que a legalização da droga não funciona. Hoje estamos encurralados com o vício do álcool. Financeiramente, nosso país está vivendo as consequências devastadoras desse vício. Fumantes custam 338 milhões somente no tratamento do Sistema Único de Saúde (SUS), gastos com a consequência do uso e abuso do cigarro, fora mortes, prevenção, etc.

Pensamento perverso

Quem financia o tráfico é o usuário de droga. Quem estimula o vício são essas campanhas da descriminalização que tratam a maconha como droga leve, sem levar em conta o poder do vício e as consequências de quem não sabe ainda se defender (crianças). Isso expõe inocentes ainda mais às drogas.

O tráfico não acabará

O tráfico não depende somente da Maconha para sobreviver. Ela é apenas uma das fontes de renda dos traficantes. Liberar a Maconha não abalará o tráfico, todavia, aumentará o tráfico e incentivará o uso de outras drogas mais pesadas. Nem a prisão do maior traficante dos últimos tempos pela Equipe do delegado federal Franscischini, hoje deputado, afetou o tráfico internacional. Ou seja, a Maconha é muito pequena perto do universo chamado drogas .

Potência da Maconha

A maconha de hoje é 10 vezes mais potente que a maconha de ontem , causando muito mais dependência.

Maconha causa câncer, sim

A maconha pode causar câncer, assim como o cigarro (que mata mais que qualquer doença ou acidente por ano), pois suas substâncias se assemelham em sua composição (nicotina, alcatrão, monóxido de carbono, benzeno e tolueno), que comprovadamente causam câncer.

Relação com acidentes

Pesquisadores da Experimental Psychopharmacology Unit, Department of Neurocognition, Faculty of Psychology, Maastricht University, Holanda, demonstram que usuários recentes de Maconha tem a responsabilidade demonstrada nas colisões de três a sete vezes maior do que os não usuários.

Modelo de liberação

A Holanda liberou as drogas e enfrenta o maior problema de saúde pública em decorrência de surtos psicóticos induzidos pela Maconha (que desencadeia a esquizofrenia), e está revendo a questão das drogas e voltando atrás em vários aspectos. Hoje o país é conhecido como destino turístico da droga da cannábis, e esse fato preocupa as autoridades daquele país. Além de que as guerras entre usuários, preconceito, o tráfico diminuiu sim porque a legalização é para todas as drogas, porém os problemas de saúde, sociais, e políticos aumentaram, além de haver contrabando de fronteira estremecendo as relações internacionais. Não podemos ser ingênuos a ponto de comparar nosso país com Holanda, nem em extensão e/ou cultura. Seria improcedente e de uma infantilidade absurda.

Ou seja, não podemos, de forma alguma, enganar a população com inverdades, travestidas de verdade por decorrência do saudosismo de alguns usuários. A Maconha não é a droga mais usada no Brasil, não é a maior causa do tráfico, e não é somente a Maconha que alimenta o tráfico.  A Maconha é, apenas, mais uma entre tantas drogas, existentes no mercado. Legalizar a Maconha não vai acabar com os traficantes, mas vai gerar outros crimes como contrabando, mercado paralelo, falsificação de receitas, etc.

Em Cristo, Marisa Lobo.

Marisa Lobo, psicóloga, é coordenadora nacional do movimento MACONHA NÃO. Com mais de 15 anos de experiência na área, disponibiliza seu curriculum profissional que comprova sua experiência no tema neste link.

Mais informações sobre a não legalização da maconha pelo blog maconhanao.blogspot.com.

17 COMENTÁRIOS

  1. Nem acredito que perdi alguns minutos da minha vida lendo isto. Pensei que fosse algo sério. Vamos lutar contra a descriminalização, mas com base científica e não com essa argumentação inócua. Há tantos estudos contra e vocês publicam isto. Ah… por favor, né!!!

  2. Qual o brasileiro que concorda com essa descriminação? Pensem, um filho, um irmão, um pai, enfim muitos das famílias que tem esses problemas? Vê o seu filho, a quem tanto ama jogado na sarjeta, por causa dessa maldita droga e sem poder fazer nada. Afinal de contas é seu filho e após tantos tratamentos e gastos de suas economias e do governo, olhar e vê o fim do poço para filho e finalmente sua morte, é muito triste, é chorar lágrimas de sangue. Sou a favor de todas as pessoas que lutam pela não aprovação desse monstruoso erro, posto a entrega de uma liberdade defendida por muitos. Veja quando a polícia prende um traficante ele diz logo que é usuário, para se livrar da culpa e não ser condenado pela lei. Todos nós somos livres em fazer o que queremos, mas nem tudo a nossa liberdade deve ser utilizada. Não entendo esse tipo de liberdade em tomar uma decisão em fazer uma coisa que VAI LHE FAZER MAL. Todos nós temos liberdade para fazer o bem e quando procedemos do contrário, os nossos neurônios ou consciência acusa logo. Me lembro muito bem por um problema que tive que enfrentar a anos atrás, quando um parente me pediu para hospedar um seu filho que estava com essa problema de consumo de maconha, mas ele me avisou, concordei em ajuda-la a sair do vício, mas avisei ao meu parente, caso houvesse um desvio por parte do sobrinho, eu lhe mandaria de volta imediatamente, pois tinha filhas e filho pequenos e não queria isso na minha casa. Nos quartos primeiros meses, tudo foi muito bom, o rapaz ia seguindo muito bem e nós (eu e minha mulher)estávamos felizes por que o rapaz havia se curado. Coisa nenhuma, quando voltou, voltou com tudo que era ruim, foi uma volta horrível e não tivemos outra saída senão ter que manda-lo de volta. Isso já está fazendo mais de 25 aos. No retorno para casa dele, ele procurou deixar e hoje tem filhas e filhos que estão se formando. Se nós tivéssemos apoiado essa liberdade dele, hoje ele não estaria como estar. É essa minha ajuda que dou em não apoiar essa brutalidade que muitos estão querendo.

  3. quem apoia as drogas são a escoria da humanidade e são inimigos dos humanos são asseclas de satanás o príncipe das trevas por isto que eles apoiam porque são comandados por diabos, deveriam ser deportados para o oriente médio se possível para terra dos aiatolás e isso que eles merecem não são dignos de ser chamados brasileiros porque são inimigos da pátria

  4. Eu apoio as drogas.

    Mas nada adianta se eu apoiar ou não, pois as drogas já estão legalizadas.

    Faz tempo que o uso de drogas está autorizado, o que não está é o tráfico.

    Por não haver sansão ao usuário, o consumo aumenta, por consequência o tráfico, e este é o que vem realmente atingindo a gregos e troianos.

    Quanto ao texto da ilustre psicóloga em que afirma causar enfermidade o uso de drogas, isto nunca foi objeto de dúvidas, pois as ruas e casas estão superpovoadas de zumbis das drogas.

    Não tem interesse das autoridades em impedir o tráfico, pois se anda este pais de ponta a ponta e ninguém tem seus carros vasculhados, portanto garantindo esse comércio que tem como alvo adolescentes nas escolas e festas, ou seja, idade da afirmação, mas destruídas em nome do lucro fácil, lucro que financia campanhas políticas.

    Somente tem um jeito, o estado cadastrar os usuários, afinal segundo as nossas leis são enfermos, daí inicie o tratamento fornecendo o que costumam usar, mas assistidos por equipes multidisciplinares.

    Legalizar não, mas regulamentar para evitar a ruína, afinal o mundo todo, exceto os os paises que matam traficantes, vivencia de há muito tais problemas, porém não se sentam para combater, e combate não significa nem sempre usar os melhores métodos, basta vê, que picadas de serpentes são combatidas com o próprio veneno delas.

    Quanto a Fernando Henrique, ele não defende por querer a morte do próximo, sim como método de salvar, de evitar que mais crianças sejam levadas para o tráfico e para o consumo, em síntese, quer que se encontre uma saída segura, firme, eficaz, pois o mundo tudo perdeu a luta contra as drogas, mas dá as costas à busca de uma solução inteligente, uma que drible os interesses dos traficantes e dos usuários.

    Desde o ano de 2000 defendo a ideia de regulamentar e fornecer, modo de acabar com o tráfico e conscientizar os usuários, o que o tornará em cidadãos atendidos e compreendidos, em síntese, sem precisar do estado arrecadar imposto derivado de entorpecentes, ou seja, do mal do próximo, próximo este hoje falido moralmente, financeiramente e enquanto gente, só abandono, só desprezo, só discriminação, e tendo que adentrar em lugares perversos para alimentar seu vício, vício que mata, porém não tanto quanto o desprezo da sociedade, que se fazendo de santa, não busca meios e caminhos para a solução do seu problema, nem que seja coisa que pareça feia, ruim, errada, pois ela vive de discursos para as massas moralistas, massa providas de grau alto de sandice.

  5. Meu querido irmão Ary Martins concordo contigo e digo não as drogas, pois as mesmas so tras destruição tanto para o usuário como para a família, PARABEM MARISA CONTINUI NESTA FORÇA POQUE DEUS E CONTIGO

  6. Faço parte da Rede Fale e acompanhou pastoralmente os grupos locais dessa rede. Gostaria de pedir esclarecimentos a esse site sobre a veracidade de tal informação, pois mesmo no site do FALE não há sequer uma linha falando em defesa da descriminalização.
    Como parte da executiva da Rede, lamento sequer que tenhamos sido procurados por esse veículo de comunicação para ouvir-nos.
    Saliento que o referido documento que foi entregue a presidente, é apenas uma carta pastores e líderes evangélicos que repassamos para a mesma pedindo que se “estabeleça critérios mais claros e objetivos para distinguir usuário e dependente, do traficante, assegurando ao usuário e dependente o direito constitucional á saúde, educação e projetos de requalificação profissional visando sua reintegração social“.
    No aguardo por esclarecimentos de vossa parte,
    manifestamos nossa estima e consideração.

    • E todo esse artigo aconteceu porque DILMA ROUSSEF recebeu a REDE FALE que é uma das mais sérias e centradas organizações evangélicas deste país. A presidente por outro lado, ignorou a tal carta da referida psicóloga e co-partidários. É hora de checar as verdadeiras motivações por trás desta “guerra santa”. Acredito no trabalho da FALE e da forma como busca o diálogo para refletir o caráter de Cristo. Não gosto dos xingamentos irados sempre presentes nas falas desta senhora.

  7. Está bem claro que as drogas são um caso de saúde pública e não de polícia. O artigo em nenhum momento refuta este fato. Criminalizar é tolice, é usar a força policial e a máquina da justiça para punir pessoas com problemas.

  8. Boa Noite!
    É verdade que a maconha provoca problemas psiquicos como a esquizofrenia conheço uma moça qiue começou a mexer na adolecencia com droga e ficou esquizofrenica.

  9. Aqui tem mais coisas sobre esses canabis-comunistas da Rede Fale –

    Essa conversa mole do Caio Marçal é pura estratégia para que o governo do PT possa legalizar a drogas podendo afirmar que “ouviu os evangélicos”.

    Enquanto a Rede Fale não disser com todas as letras que é contra a legalização da drogas, a denúncia da Marisa Lobo é absolutamente verdadeira.

    TUDO O QUE O PT FAZ A REDE FALE APÓIA. É só conferir. Quando não é puxa-saquismo puro, é disfarçado.

  10. A senhora está certa, as drogas lícitas como cigarros e alcool que no passado eram proíbidas e depois de liberadas destruiram milhares de famílias. Agora essas pragas sem conhecimento querendo implatar a maconha é um absurdo.

    • No passado não eram proibidas. Muito pelo contrário, fumar não só era perfeitamente aceitável socialmente, era preciso fumar para provar que era homem. Falar contra o cigarro era “frescura”, “coisa de quem não tem o que fazer”, “intromissão do Estado em assuntos particulares”.

  11. Marisa Lobo como sempre coerente em suas palavras, sábia e temente a Deus, as drogas tem sido um mal muito grande em nosso país e no mundo, precisamos acordar e ensinar nossos filhos no caminho que deve andar pois satanás está ao derredor esperando a oportunidade para tragar aqueles que não está em Cristo Jesus!!! Oremos e clamamos a misericórdia do Senhor…..

  12. Tolo é acreditar que bebida alcoólica pode e não faz mal(olha é a pior de todas gera mais danos para a nossa sociedade do que qualquer outra droga). Quem acredita que um ator politico como como magno malta financiado por uma industria de bebida alcoólica iria votar a favor da maconha.

  13. Francamente, seus argumentos proibicionistas são de uma indigencia intelectual de dar dó.
    Se Gary Becker (pai da economia comportamental) os visse , provalvelmente rolaria de tanto rir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here