Deputado João Campos deve retirar projeto apelidado como “cura gay” de votação e rediscuti-lo

30

Eu, Marisa Lobo, psicóloga e presidente do Corpo de Psicólogos Pró-Família, que fui uma das motivadoras da PDC 234/2011, estou pedindo ao deputado João Campos (PSDB-GO), autor do projeto, que retire o mesmo de tramitação no Congresso por vários motivos, entre eles, que com essas manifestações que estão acontecendo no Brasil, o PDC 234 virou mote de uma política oportunista, que está com medo de um apelo midiático (medo de perder a eleição).

Querem mostrar serviço de forma suja e oportunista. Nunca foi intenção, quando criado o PDC 234, de competir com tantos problemas de corrupção no Brasil. Não posso aceitar que um projeto que nasceu para proteger profissionais de serem injustamente acusados, ou de ser deles tirado o direito de liberdade de expressão, seja usado para resolver uma situação de desgaste da política nacional como, por exemplo, a má administração pública e principalmente a corrupção.

Querem servir ao povo o PDC 234 como “placebo” para acalmar os ânimos, tentando enganar aqueles que lutam nas ruas de forma digna por direitos. Querem tirar o foco, dando-lhes uma causa que não é deles, tentando demonizar o projeto, como se esta Nação, este povo, que acaba de acordar, fosse massa de manobra ou “idiotas úteis”.

Eu pessoalmente pedi ao deputado Marco Feliciano (PSC-SP) que não colocasse o projeto em votação porque não era o momento, pois temia exatamente o que está acontecendo agora. Os oportunistas nunca leram o projeto , e se lessem, saberiam que não fala em “cura gay” e/ou trata de gays como doentes, mas fala apenas do cerceamento do direito do profissional e da pessoa que busca ajuda quando essa condição/orientação e/ou opção não seja mais aceita por ela.

Penso que oportunistas viram no projeto hoje uma forma de lucrar com ele (politicamente, socialmente e em causa própria), sem se importar com o outro. As inverdades são ditas e repassadas, e uma mentira se torna verdade. Mas entendo que isso só foi possível porque a resolução 01/199 do Conselho Federal de Psicologia é capciosa e não deixa as coisas claras. Ela acusa o profissional de preconceito em seus artigos (três e quatro) de forma subjetiva sem dar direito a argumentos, e é dúbia em sua interpretação, dando margem para preconceito. É a  resolução quem fala de curar gays, não o PDC 234.

Com esta resolução, a psicologia fecha questão em assuntos que estão em constante mudança, transformação… Gostaria muito de discutir com todos os envolvidos sobre esta questão, mas infelizmente, muitos só querem guerra e fortalecer suas causas e suas candidaturas.

Eu sou a psicóloga que motivou o projeto. Ele não é do Marco Feliciano, é do deputado João Campos, e acredito na intenção do deputado quando o reativou, mas penso que ele ainda deveria ter sido mais discutido e entendido. O que me preocupa no congresso é que nada é discutido exaustivamente, é tudo jogo de interesse. Temo pelo nosso país, mas se o projeto deixa brecha para pensar o que pensam dele, então deve sim ser retirado e ser mais bem elaborado ou ter esses artigos mais discutidos, com quem é de direto.

O PDC virou fato de uma guerra, moral, política e religiosa, e era apenas uma discussão por direitos humanos, do profissional e do paciente.  Por isso, pedi ao deputado João Campos, sabendo da sensatez e da honestidade das suas intenções, que retire imediatamente este projeto e que possamos juntos, entender o porquê de seu nascimento, com olhos de pesquisa e conhecimento, e direitos humanos. O que não podemos é deixar essa guerra fazer com que pessoas de todos os lados, inocentes, continuem sofrendo por se sentirem discriminados por ele. Essa é a principal razão.

Creio que o Conselho de Psicologia já deixou claro que ninguém é proibido de atender homossexuais que não se sentem satisfeitos com sua condição, e a psicologia não nos dá o direito de induzir convicções de orientação sexual, certo? Então quanto a nós profissionais, igualmente não podemos negar o direito desse ser humano de buscar ajuda e procurar mudar uma condição que não seja aceita por ele, seja ela qual for, e promovermos a aceitação da maneira que ele desejar. Exatamente como tenho feito e como três pacientes homossexuais deixaram claro em minha audiência no Conselho de Psicologia, me defendendo dessas acusações mentirosas.

Mais uma injustiça que os militantes da LGBTT tem que corrigir: ninguém pode ser massacrado (como vem sendo) por se declarar ex-gay. É uma postura paradoxal: se luto por direitos, tenho que dar estes direitos a quem quer que seja, por qualquer motivo, e a ciência não pode ser malabarista, tem que saber que eles existem.

Quanto à psicologia, que respeita e incentiva tanto a multiplicidade da sexualidade, não pode induzir a convicções heterossexuais, certo? Porém nem homossexual, nem bissexual, que a psicologia seja a primeira a ser ética, para dar o exemplo e não contribuir com essa indução de orientação principalmente na escola.

Assim caminhamos em conhecimento, ética e respeito à pessoa humana e às diferenças, sem nos esquecermos de que a pessoa que acredita em Deus faz parte desse universo como maioria que não pode, e nem deve, ser ouvida somente em época de eleição. As suas convicções na construção de qualquer política pública devem igualmente ser ouvidas e respeitadas, coisa que não tem acontecido.

30 COMENTÁRIOS

  1. Acho que não deve ser tirado, mas votado mesmo com rejeição, pois já andou muito e feriu muitos, agora é tarde votem. Estamos nos dias de Sodoma e infelizmente o país desanda com o PSOL e a lésbica do passe livre, mas venceremos, pois maior é o que está em nós do que o que está no mundo, glória a Jesus arriba!

    • A nazista Mara Lobo, se um dia aparecer em um destes protestos, que e stão acontecendo em todo o Brasil, com certeza pederá todos os seus cabelos loiros, pobre criatura essa tal.

      • Sr Andre, você sabe o que foi o nazismo? Chamar uma pessoa de nazista por que coerentemente ela defende o conceito tradicional de família? você não está se expondo ao redículo? Ou você é partidário do ativismo GLBTT?

        • Sou cristão entretanto, não me faço parte desta luta, nazista sim, conheço muito bem o nazismo, onde milhares de judeus, deficientes,homossexuais, foram subtraídos de seus direitos, tidos como abominações e após mortos em fornalhas, tudo para criar um estado, onde todos pensam iguais e sabe as nossas igrejas na época? silenciaram simplesmente, silenciaram e compactuaram com Hitler.
          Independente de pra uma porção da igreja evangélica, os homossexuais serem abomináveis, assim como para nós os católicos também são abominações, não nos dá o direito de cercear os diretos e a dignidade destas pessoas de serem o que quiserem ser, lembra do livre arbítrio, você eu, Feliciano, seja quem for não tem o direito de taxar essas pessoas de doentes e se elas quiserem elas podem sim se casar.
          O casamento é uma instituição “pagã” não pertence a nenhuma igreja, se é que muitas igrejas, budistas e evangélicas inclusivas, já fazem casamento homossexual.
          Não somos donos do casamento, é algo tão simples, mas a igreja é muito ignorante.

          É por causa de pessoas como Silas, Feliciano, Marisa, João Campos, e outros políticos evangélicos corruptos,e que barganham votos, fazem chantagem e todo tipo de falcatrua política.
          E por culpa destes que se fala mal, do teu evangelho e de seu Santo Nome Jesus.
          Jesus volta logo e limpa sua igreja dos fundamentalistas fariseus, que contaminaram a muitos, e criaram um exército de cegos, nazistas, cheios de ódio, e sem nada de Ti.
          Difamam, a tudo que seja contra sua vontade satânica de diminuir o próximo e tirar-lhe o livre arbítrio. Em uma luta de carne sem nada de espirito.
          Amor é algo, que a muito tempo desapareceu do coração deste povo. são sepulcros caiados.
          Vem Jesus e limpa sua igreja, enche ela de fogo e limpa mente, daqueles que estão cegos pelo ódio, pelo próximo. A presença do Espírito Santo sumiu do coração deles, e sua igreja tem sido mal falada, por culpa destes, a muito tempo esqueceram o pobre, órfão e a viúva, se preocupam apenas, em ter um grande rebanho gigante, para ter um maior dízimo, põe suas grandes igrejas, nas grandes capitais, e esquecem as áreas mais pobres (pelo óbvio lá não se tem dinheiro).
          Homens cheios de ouro, jatos e mansões e teu povo passa fome, Jesus tem piedade, e nos livre destes lobos, livra a mente de seus seguidores, que caminham para um abismo de ódio.
          Vem Jesus. Clamamos, vem. pois para ti uma alma vale mais que o mundo inteiro.

    • Vejamos o que nos diz o mais conhecido e utilizado relato sobre Sodoma e Gomorra. As partes em negrito merecem destaque:

      1) Ao anoitecer, vieram os dois anjos a Sodoma, a cuja entrada estava Ló assentado; este, quando os viu, levantou-se e, indo ao seu encontro, prostrou-se, rosto em terra. 20) E disse-lhes: Eis agora, meus senhores, vinde para a casa do vosso servo, pernoitai nela e lavai os pés; levantar-vos-eis de madrugada e seguireis o vosso caminho. Responderam eles: Não; passaremos a noite na praça. 3) Instou-lhes muito, e foram e entraram em casa dele; deu-lhes um banquete, fez assar uns pães asmos, e eles comeram. 4) Mas, antes que se deitassem, os homens daquela cidade cercaram a casa, os homens de Sodoma, tanto os moços como os velhos, sim, todo o povo de todos os lados; 5) e chamaram por Ló e lhe disseram: Onde estão os homens que, à noitinha, entraram em tua casa? Traze-os fora a nós para que abusemos deles. 6). Saiu-lhes, então, Ló à porta, fechou-a após si 7. e lhes disse: Rogo-vos, meus irmãos, que não façais mal; 8- tenho duas filhas, virgens, eu vo-las trarei; tratai-as como vos parecer, porém nada façais a estes homens, porquanto se acham sob a proteção de meu teto. 9) Eles, porém, disseram: Retira-te daí. E acrescentaram: Só ele é estrangeiro, veio morar entre nós e pretende ser juiz em tudo? A ti, pois, faremos pior do que a eles.E arremessaram-se contra o homem, contra Ló, e se chegaram para arrombar a porta. (ARA) – Grifo do autor.

      Theodore W. Jennings – professor-assistente no Chicago Theological Seminary;
      1º ponto a se considerar: o texto bíblico diz que todos os homens de Sodoma cercaram a casa de Ló. Ora, em qualquer sociedade, os homossexuais são minoria, portanto, aqueles homens, definitivamente, não eram homossexuais. Sodoma não seria uma cidade tão numerosa e próspera se ali houvesse apenas homossexuais, na verdade, tal cidade nem subsistiria!

      Para refletir: Já conheceu alguma cidade em que todos os habitantes fossem homossexuais?

      2º ponto: Eles exigiam que os estrangeiros (anjos em forma humana) que ali estavam fossem postos para fora a fim de que fossem abusados (v. 5); Sua intenção era fazer o mal, humilhando os visitantes da forma mais vil possível:

      “…Não se pode imaginar desprezo maior das práticas orientais de hospitalidade do que submeter hóspedes de sexo masculino a estupro por outros homens.” Comentário Bíblico, Editora Vida Nova, SP, 2010, p.123
      Para refletir: Por que os homens de Sodoma queriam ser apenas ativos na relação sexual? Por que isso é incompatível com a realidade dos homossexuais de fato?

      Para refletir: já presenciou algum grupo de homossexuais que tenha invadido alguma casa com a intenção de violentar sexualmente algum visitante? Se a resposta for NÃO por que acha que alguns insistem em dizer que os habitantes daquela cidade eram homossexuais?

      John B. Cobb Jr. – Professor Emérito de teologia e co-diretor do Centro de Estudos sobre Processo da Faculdade de Teologia de Claremont, Califórnia;
      3º ponto: Os sodomitas nutriam sentimento de xenofobia, ou seja, ódio a estrangeiros. Ló também era estrangeiro. Os sodomitas ameaçaram fazer mais mal a ele que aos próprios visitantes. (v. 9)

      O texto revela claramente uma tentativa de violência sexual coletiva aos visitantes de Ló motivada pela xenofobia. Naquele sociedade patricarcal, dominada pelos homens, os habitantes de Sodoma desejaram submeter os estrangeiros à situação mais humilhante que um homem poderia experimentar: ser usado como uma mulher; transgrediram, assim, violentamente a lei da hospitalidade, sagrada para os povos semíticos (Êxodo 22.21). Na tentativa de humilhar os visitantes, mostraram-se maus, arrogantes e soberbos. Enxergar homoafetividade em tal gesto de violência demonstra uma completa ignorância ao que de fato a Bíblia diz. Se uma leitura atenta desse relato não bastar para se compreender o real pecado dessas cidades, seguiremos outra regra da hermenêutica, ou seja, examinaremos alguns textos paralelos:

      Ezequiel 16.49 e 50:

      49)Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranqüilidade teve ela e suas filhas; mas nunca amparou o pobre e o necessitado. 50) Foram arrogantes e fizeram abominações diante de mim; pelo que, em vendo isto, as removi dali.

      Lucas 10. 10-12:

      10) Quando, porém, entrardes numa cidade e não vos receberem, saí pelas ruas e clamai: 11) Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós outros. Não obstante, sabei que está próximo o reino de Deus. 12) Digo-vos que, naquele dia, haverá menos rigor para Sodoma do que para aquela cidade.

      James B. Nelson – professor de ética cristã no United Theological Seminary em New Brighton e Minnesota;
      O profeta Ezequiel, em harmonia com o relato de Gênesis, aponta a soberba e o egoísmo como pecados de Sodoma. O profeta também menciona a palavraabominação, que, também nesse caso refere-se à idolatria, como indicam as 9 ocorrências dessa palavra no mesmo capítulo (4ª regra da Hermenêutica: definir o sentido das palavras pelos versos que precedem e seguem a perícope em estudo). No texto de Lucas, Jesus faz um alerta: nem todas as cidades receberiam os discípulos enviados e como exemplo dessa falta de hospitalidade Cristo utilizou a cidade de Sodoma. Nenhuma palavra sobre homoafetitivade consta em tais textos. Há, entretanto, uma referência muito clara sobre a rejeição aos mensageiros divinos. A relação entre o Evangelho e Sodoma é a recusa aos mensageiros divinos.

      Robert K. Johnston – Ph.D., professor de Teologia e Cultura no Seminário Teológico Fuller, em Pasadena – Califórnia
      Até mesmo os livros deuterocanônicos (das bíblias católicas) expressam o mesmo conceito acerca de Sodoma:

      Eclesiástico 16.8

      “Não poupou os concidadãos de Ló, aos quais detestou por seu orgulho.”

      Sabedoria 19.13-17

      13) Sobre os pecadores, porém, caíram os castigos de raios violentos, não sem as advertências que antes lhes tinham sido feitas; mas sofriam justamente por causa de suas próprias maldades, por terem praticado a mais detestável falta de hospitalidade. 14) Houve quem não acolhesse visitantes desconhecidos; outros reduziram à escravidão esses hóspedes que lhes faziam bem. 15) E não só isto: se ainda se aguarda julgamento contra aqueles que receberam com hostilidade a estrangeiros, 16) quanto mais contra os que atormentaram com cruéis sofrimentos aqueles a quem tinham recebido com alegria e que haviam participado dos mesmos direitos! 17) Por isso, foram feridos de cegueira como aqueles, à porta do justo, quando, envolvidos em densas trevas, cada qual procurava a direção da sua casa. (CNBB)

      Há outros textos bíblicos e extrabíblicos que confirmam que os pecados de Sodoma e Gomorra, bem como as motivações para tão degradante tentativa de abuso. Como exemplo, citemos um trecho do Midrash Judaico:

      “Os homens de Sodoma não se orgulhavam de outra coisa senão da fartura e da riqueza que possuíam […]. E eles diziam: Se de nossa terra tiramos pão e minério de ouro, para que precisamos dos forasteiros? Não precisamos que venha a nós qualquer pessoa, pois vem apenas para tomar o que é nosso. Apaguemos, pois, de nossa terra as leis e costumes de ir e vir.” Midrash, San’hedrin 109 – A Lei da Torá, Editora Sêfer, p. 46

      Como vimos, nenhuma só palavra sobre homossexualdiade.

      Para encerrar, leiamos o que dizem algumas traduções bíblicas:

      Eles chamaram Ló e lhe disseram: “Onde estão os homens que vieram à tua casa ao cair da noite? Traze-os para fora. Queremos descarregar sobre eles a nossa fúria homossexual!” Gênesis 19.5 (Grifo do autor) Bíblia Sagrada, Edições Loyola.

      “Não se esqueçam das cidades de Sodoma e Gomorra, e as cidades vizinhas, todas cheias de imoralidade de toda espécie, inclusive a paixão de homens por outros homens.” Judas 7 (Grifo do autor) Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão, 2010.

      Para refletir: quem está manipulando a Bíblia para apoiar suas crenças?

      Leia também “Quem são os verdadeiros sodomitas da atualidade?”
      Muitos que se dizem cristãos neste site são sodomitas, inóspitos ao extremo, ao ponto de agredirem pessoas do evangelho quadrangular por causa de sua bandeira, quase arco-íris

  2. Cara Marisa, discordo.

    As manifestações estão calcadas em temas específicos que afligem a grande massa, a suposta pressão vem da grande mídia, daí a medida desproporcional.

    O pdc 234 pode e deve ser mantido bastando que nos mobilizemos entorno das nossas representações. Os deputados da banca cristã não devem temer absolutamente nada. Quem garante a permanência deles somos nós.

    Paz e Bem

  3. Irmã Marisa,

    O amor de Cristo nos une!!

    Tomara que vcs consigam encontrar uma forma de continuar podendo ajudar quem quiser esta ajuda!! E assim, todos sejam tratados com respeito por suas escolhas: quem quer permanecer na orientação e quem não quer, e tenham resguardado o livre-arbítrio que a cada um foi concedido.

    Não se sintam derrotados pela retirada do projeto, pois é bíblico que o povo perece porque lhe falta o conhecimento. E como se não bastasse, ainda há muitos guiados pelas astutas ciladas do inimigo…

    Que vcs sejam iluminados na construção da melhoria e maior esclarecimento no PDC.

    Fique na Paz do Cristo, paz esta que o mundo não conhece!!

  4. como e que você chama uma senhora de família de malandra –com certeza e assim que você trata sua família –seus pais ou filhos –com certeza você não tem respeito nem por você mesmo –suas afirmação declara isto as claras –poque você não vai onde ele esta e fala pessoalmente pra ela –para com certeza você pegar uma caninha –respeita as pessoas -se você não gosta dela não precisa usar palavras torpe –não concordar não da o direito de querer colocar as pessoas –abaixo de nível –você não tem cara de empresário esta mais para pião de obras –não que os funcionários de obras desmereça –mas e o que trasmite por sua foto –quando e assim deve ser um oreia

  5. Marisa, algum psicólogo que não seja religioso aprovou este projeto? Não te parece profundamente sectário mudar uma resolução com base em preceitos estritamente dogmáticos?

    Uma última dúvida, por que você fez um currículo Lattes se sua produção intelectual é nula? O Lattes é uma plataforma para pesquisadores sérios, não para aspirantes a políticos que se aproveitam da boa vontade alheia.

    Finalmente, creio que você está pronta para a política, pois é notória sua metamorfose para adequar-se conforme a opinião dos seus “amigos” deputados. Uma pena que pessoas sinceras e comprometidas com o cristianismo te sigam tão cegamente.

    • É bem verdade que as ciências humanas e biológicas em algum momento vão conflitar com questões religiosas.

      Se uma pessoa tem sua fé, que não deixe de tê-la, mas que tenha ciência de que não poderá mudar seu campo de estudo ou profissional, com base em convicções religiosas.

      Trocando em miúdos, fica difícil um cara querer ser arqueólogo (Sabe, aquele cara que escava ossos de dinossauros, elo perdido, Lucy, Homem de Neanderthal e etc), se ele não acreditar no evolucionismo, compreendem? É praticamente impossível o cara querer ser arqueólogo se ele acreditar em Adão e Eva.

      Com relação a Dra. Marina, acho que ela chegou em um estágio em que deve escolher, se prefere ser reconhecida como teóloga ou como psicóloga, pois é muito difícil tentar ser os dois ao mesmo tempo, esperando que não encontre um conflito.

  6. “Marisa, algum psicólogo que não seja religioso aprovou este projeto? Não te parece profundamente sectário mudar uma resolução com base em preceitos estritamente dogmáticos?” Era exatamente essa a minha pergunta.

  7. Nós brasileiros já estamos tão pertubados com tanta confusão que já estamos pensando “até onde vai essa briga”. Sabe de uma coisa, nós devemos lutar por coisas concretas em nossas vidas,como saúde, transporte e educação, pois todo ser humano tem seus direitos e procurar questionar ou não aceitar o que o outro quer, não adianta, pois para todas as coisas erradas e certas tem as leis para amparar. Porque essa briga toda. Eu falei antes que o pastor Feliciano iria ter muitos problemas para aprovar tal projeto. A sociedade é heterôgenea (muitos são a favor, mas muitos também são contra). Na minha opinião, achamos que nós evangelicos devemos deixar isso de lado e esperar em Deus o que irá acontecer e não ficar assim, numa luta desenfreada querendo impor mudanças em pessoas que não aceitam. Vamos orar e partir para outros caminhos que não firam o estado laico, o qual devemos respeitar. Vamos pensar em Moisés que teve a coragem de tirar o povo hebreu do Egito, que luta, que coragem, mas ele sabia que Deus lhe deu esse querer, mas não está acontecendo isso, muitos estão querendo ser livres. Nós estamos com tantos problemas que somente Deus sabe e prá que se envolver na individualidade de alguém. Ainda um dia desse vi num saite um jovem dizendo “sou gay”, lhe respondi “que seja”. Quem pode mudar a vontade de uma pessoa? Agora, acho prudente que não haja mudança no seio da família. Um pai hetero não suporta ver um filho “gay” e agora qual a solução para isso? Acho que o jovem ou a jovem devem tomar o seu rumo e evitar discussões no seio da familia, tendo o pai ter que deixar a família, por não aceitar essa situação. E agora que fazer? Famímilia destruida. Pais mentalmente fracassados, angustiados,outros não nem ligam. Essas familias deveriam sim ter apoio de ambos os lados, as leis pudessem ajudá-los de um jeito que não houvesse a destruição da família. Nós sabemos desses problemas, por isso, estão querendo fazer leis e projetos que solucionem essas questões. Vamos deixar a poeira baixar e esperar pelas autoridades qual o destino que eles poderão encontrar, a fim de evitar tudo isso.

  8. Mulher inteligente e capacitada para esse cargo, mas muito perseguida e como Marco Feliciano mal interpretada !!!!!!!!! Que Deus os abençoe!!!!!!!!

  9. Concordo com a Marisa Lobo. Foi uma decisão inteligente. Dar ” munição ao inimigo “, pra quê?
    Só pra constar : nesta página, contei 62 gays ou simpatizantes contra apenas 30 evangélicos e ou simpatizantes. Bom sinal para o gospel mais !!! ( isso se não errei na conta, kk)

  10. não preciso de cura.
    preciso de um namorado!
    O Brasil precisa de psicólogos que não sejam manipulados por um ‘deus’ que nunca se viu pronunciar…
    ;*

  11. Ary, parabéns pelo comentário. Respeito muito religiosos de bom senso como você e creio que isso sim é viver a palavra de Deus. É triste ver as pessoas enfiando suas convicções por nossas goelas e temos que aceitar, não podemos nos revoltar. Psicólogos não são proibidos de tratarem pessoas que os procuram dizendo não aceitar a sua condição. Funciona assim: eles sofrem com a rejeição em casa, nas igrejas, procuram as igrejas por medo do castigo de Deus e aí elas adoecem. A cabeça fica ruim mesmo… E obviamente, por isso, não querem ser como são. Ninguém quer sofrer discriminação, ninguém quer ir pro inferno, né? Os psicólogos devem tratar isso com ética e respeito. Ajudam a pessoa a entender o que ela é e encontrar a melhor forme de viver conforme ela queira ser feliz. A escolha parte do paciente, não do psicólogo.

    Há um parágrafo que o projeto visa retirar da resolução do Conselho Federal de Psicologia onde proibe que psicólogos tratem a cura da homossexualidade. Ou seja, para que não haja entendimento que é uma questão de cura. Retirar isso, é promover uma discussão de ódio antiga onde pais submetem seus filhos a um sofrimento absurdo para deixarem de sentir o que sentem sem querer.

    Por quê promover tanto ódio? Se é salvação que alguns estão querendo para os gays, estão indo pra um caminho errado. É amor que aproxima as pessoas. Sei que nem jesus agradou a todos, mas também não imagino Jesus empinando o peito querendo obrigar as pessoas a amarem Deus e seguirem seus mandamentos.

    Respeito meus pais evangélicos, sou gay e a grande preocupação da minha mãe não é com quem eu me relaciono, mas o que eu possa sofrer com a violência que rola por aí com os gays. Pra ela, é melhor um filho feliz com a vida que leva do que morto sem poder levar vida nenhuma.

    Eu não sei o que algumas pessoas estão fazendo querendo misturando religião com democracia. Já vimos isso com mulheres sendo queimadas como bruxas, crianças apanhando nas escolas por serem canhotas e tantas outras besteiras por conta de religião. Não por que a fé é um erro, mas a forma como as pessoas acham que estão mais próximas de Deus a ponto de tentarem influenciar a vida de outros.

    Nós seres humanos temos uma dificuldade muito grande para respeitar aquilo que não entendemos. Tem pai, tem religiosos que só entenderam quando sentiram na própria pele o que é ver um filho sofrer ou morrer vítima de homofobia.

    Quando eu era moleque, não saia da igreja, rezava e chorava muito por não aceitar uma situação que não escolhi e culpava Deus. Enquanto achava aquilo errado, odiava Deus por achar que havia errado na mão comigo. Quando amadureci, me aceitei e me esforcei em ser um ser humano do bem, nunca me senti tão próximo de Deus.

    Enfim… Tenho fé que isso termine bem para todos… para os religiosos que merecem meu respeito, para as famílias, para os gays e para a nossa democracia.

  12. Só um complemento…
    Parece que não, mas toda vez que um líder religioso ou de qualquer frente se posiciona pela cura gay ou contra gays, etc, alguém sem muito discernimento mental mata um gay por que encontra apoio nessas palavras de quem não vê problema algum defender tão fervorosamente seus princípios.

  13. Marisa,cuidado,o silas malacraia é biçlionário e você pobretona.Quando o pior chegar,vai sobrar para você,coitada.Vai ficar só e abandonada.Impor teocracia gra guerra.Nunca isso vai acontecer aqui no brasil porque o exército não deixa,TALIBAN aqui,não.

  14. Bom dia!
    Eu, gosto do parque de diversão, esses caras gostão da estação de tratamento de esgoto; gosto e gosto. Rm: Cap. 1 do v 18 ao 32.
    Os governos jamais conseguirão satisfazer todos os grupos sócias,.

  15. Vejamos o que nos diz o mais conhecido e utilizado relato sobre Sodoma e Gomorra. As partes em negrito merecem destaque:

    1) Ao anoitecer, vieram os dois anjos a Sodoma, a cuja entrada estava Ló assentado; este, quando os viu, levantou-se e, indo ao seu encontro, prostrou-se, rosto em terra. 20) E disse-lhes: Eis agora, meus senhores, vinde para a casa do vosso servo, pernoitai nela e lavai os pés; levantar-vos-eis de madrugada e seguireis o vosso caminho. Responderam eles: Não; passaremos a noite na praça. 3) Instou-lhes muito, e foram e entraram em casa dele; deu-lhes um banquete, fez assar uns pães asmos, e eles comeram. 4) Mas, antes que se deitassem, os homens daquela cidade cercaram a casa, os homens de Sodoma, tanto os moços como os velhos, sim, todo o povo de todos os lados; 5) e chamaram por Ló e lhe disseram: Onde estão os homens que, à noitinha, entraram em tua casa? Traze-os fora a nós para que abusemos deles. 6). Saiu-lhes, então, Ló à porta, fechou-a após si 7. e lhes disse: Rogo-vos, meus irmãos, que não façais mal; 8- tenho duas filhas, virgens, eu vo-las trarei; tratai-as como vos parecer, porém nada façais a estes homens, porquanto se acham sob a proteção de meu teto. 9) Eles, porém, disseram: Retira-te daí. E acrescentaram: Só ele é estrangeiro, veio morar entre nós e pretende ser juiz em tudo? A ti, pois, faremos pior do que a eles.E arremessaram-se contra o homem, contra Ló, e se chegaram para arrombar a porta. (ARA) – Grifo do autor.

    Theodore W. Jennings – professor-assistente no Chicago Theological Seminary;
    1º ponto a se considerar: o texto bíblico diz que todos os homens de Sodoma cercaram a casa de Ló. Ora, em qualquer sociedade, os homossexuais são minoria, portanto, aqueles homens, definitivamente, não eram homossexuais. Sodoma não seria uma cidade tão numerosa e próspera se ali houvesse apenas homossexuais, na verdade, tal cidade nem subsistiria!

    Para refletir: Já conheceu alguma cidade em que todos os habitantes fossem homossexuais?

    2º ponto: Eles exigiam que os estrangeiros (anjos em forma humana) que ali estavam fossem postos para fora a fim de que fossem abusados (v. 5); Sua intenção era fazer o mal, humilhando os visitantes da forma mais vil possível:

    “…Não se pode imaginar desprezo maior das práticas orientais de hospitalidade do que submeter hóspedes de sexo masculino a estupro por outros homens.” Comentário Bíblico, Editora Vida Nova, SP, 2010, p.123
    Para refletir: Por que os homens de Sodoma queriam ser apenas ativos na relação sexual? Por que isso é incompatível com a realidade dos homossexuais de fato?

    Para refletir: já presenciou algum grupo de homossexuais que tenha invadido alguma casa com a intenção de violentar sexualmente algum visitante? Se a resposta for NÃO por que acha que alguns insistem em dizer que os habitantes daquela cidade eram homossexuais?

    John B. Cobb Jr. – Professor Emérito de teologia e co-diretor do Centro de Estudos sobre Processo da Faculdade de Teologia de Claremont, Califórnia;
    3º ponto: Os sodomitas nutriam sentimento de xenofobia, ou seja, ódio a estrangeiros. Ló também era estrangeiro. Os sodomitas ameaçaram fazer mais mal a ele que aos próprios visitantes. (v. 9)

    O texto revela claramente uma tentativa de violência sexual coletiva aos visitantes de Ló motivada pela xenofobia. Naquele sociedade patricarcal, dominada pelos homens, os habitantes de Sodoma desejaram submeter os estrangeiros à situação mais humilhante que um homem poderia experimentar: ser usado como uma mulher; transgrediram, assim, violentamente a lei da hospitalidade, sagrada para os povos semíticos (Êxodo 22.21). Na tentativa de humilhar os visitantes, mostraram-se maus, arrogantes e soberbos. Enxergar homoafetividade em tal gesto de violência demonstra uma completa ignorância ao que de fato a Bíblia diz. Se uma leitura atenta desse relato não bastar para se compreender o real pecado dessas cidades, seguiremos outra regra da hermenêutica, ou seja, examinaremos alguns textos paralelos:

    Ezequiel 16.49 e 50:

    49)Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: soberba, fartura de pão e próspera tranqüilidade teve ela e suas filhas; mas nunca amparou o pobre e o necessitado. 50) Foram arrogantes e fizeram abominações diante de mim; pelo que, em vendo isto, as removi dali.

    Lucas 10. 10-12:

    10) Quando, porém, entrardes numa cidade e não vos receberem, saí pelas ruas e clamai: 11) Até o pó da vossa cidade, que se nos pegou aos pés, sacudimos contra vós outros. Não obstante, sabei que está próximo o reino de Deus. 12) Digo-vos que, naquele dia, haverá menos rigor para Sodoma do que para aquela cidade.

    James B. Nelson – professor de ética cristã no United Theological Seminary em New Brighton e Minnesota;
    O profeta Ezequiel, em harmonia com o relato de Gênesis, aponta a soberba e o egoísmo como pecados de Sodoma. O profeta também menciona a palavraabominação, que, também nesse caso refere-se à idolatria, como indicam as 9 ocorrências dessa palavra no mesmo capítulo (4ª regra da Hermenêutica: definir o sentido das palavras pelos versos que precedem e seguem a perícope em estudo). No texto de Lucas, Jesus faz um alerta: nem todas as cidades receberiam os discípulos enviados e como exemplo dessa falta de hospitalidade Cristo utilizou a cidade de Sodoma. Nenhuma palavra sobre homoafetitivade consta em tais textos. Há, entretanto, uma referência muito clara sobre a rejeição aos mensageiros divinos. A relação entre o Evangelho e Sodoma é a recusa aos mensageiros divinos.

    Robert K. Johnston – Ph.D., professor de Teologia e Cultura no Seminário Teológico Fuller, em Pasadena – Califórnia
    Até mesmo os livros deuterocanônicos (das bíblias católicas) expressam o mesmo conceito acerca de Sodoma:

    Eclesiástico 16.8

    “Não poupou os concidadãos de Ló, aos quais detestou por seu orgulho.”

    Sabedoria 19.13-17

    13) Sobre os pecadores, porém, caíram os castigos de raios violentos, não sem as advertências que antes lhes tinham sido feitas; mas sofriam justamente por causa de suas próprias maldades, por terem praticado a mais detestável falta de hospitalidade. 14) Houve quem não acolhesse visitantes desconhecidos; outros reduziram à escravidão esses hóspedes que lhes faziam bem. 15) E não só isto: se ainda se aguarda julgamento contra aqueles que receberam com hostilidade a estrangeiros, 16) quanto mais contra os que atormentaram com cruéis sofrimentos aqueles a quem tinham recebido com alegria e que haviam participado dos mesmos direitos! 17) Por isso, foram feridos de cegueira como aqueles, à porta do justo, quando, envolvidos em densas trevas, cada qual procurava a direção da sua casa. (CNBB)

    Há outros textos bíblicos e extrabíblicos que confirmam que os pecados de Sodoma e Gomorra, bem como as motivações para tão degradante tentativa de abuso. Como exemplo, citemos um trecho do Midrash Judaico:

    “Os homens de Sodoma não se orgulhavam de outra coisa senão da fartura e da riqueza que possuíam […]. E eles diziam: Se de nossa terra tiramos pão e minério de ouro, para que precisamos dos forasteiros? Não precisamos que venha a nós qualquer pessoa, pois vem apenas para tomar o que é nosso. Apaguemos, pois, de nossa terra as leis e costumes de ir e vir.” Midrash, San’hedrin 109 – A Lei da Torá, Editora Sêfer, p. 46

    Como vimos, nenhuma só palavra sobre homossexualdiade.

    Para encerrar, leiamos o que dizem algumas traduções bíblicas:

    Eles chamaram Ló e lhe disseram: “Onde estão os homens que vieram à tua casa ao cair da noite? Traze-os para fora. Queremos descarregar sobre eles a nossa fúria homossexual!” Gênesis 19.5 (Grifo do autor) Bíblia Sagrada, Edições Loyola.

    “Não se esqueçam das cidades de Sodoma e Gomorra, e as cidades vizinhas, todas cheias de imoralidade de toda espécie, inclusive a paixão de homens por outros homens.” Judas 7 (Grifo do autor) Bíblia Viva, Editora Mundo Cristão, 2010.

    Para refletir: quem está manipulando a Bíblia para apoiar suas crenças?

    Leia também “Quem são os verdadeiros sodomitas da atualidade?”
    Respostas: Muitos crentes deste, site inóspitos e agressivos, como Malafaia, Marisa e Feliciano.

  16. Olhe o tal, deputado que represente estes fundamentalistas, um dos nove que votou contra PEC 37, cheio de ações nas costas.
    É triste lamentável, e ainda pensão que Deus está nesta luta deles, é de dar pena.

  17. Essa mulher é tão ridícula que pensa que sabe mais que o CFP e a OMS, sem contar os inúmeros Psicólogos de Universidades de renome (que não é o seu caso) que são contra esse absurdo, ela acha que vai criar um consenso vindo de uma “pisicóloga” mequetrefe de uni da vida, que não se lembra quem foi seu orientador na uni da vida, Onde está seu TCC?

  18. Quando tenta-se sustar os art. 3º – parágrafo único e 4º, da resolução CFP n. 01/99, os quais versam justamente sobre a impossibilidade de propor o “tratamento ou cura da homossexualidade” já que a mesma não é tida como doença formalmente desde 1990 (a percepção já é esta desde 1973), verifica-se clara tentativa de proposição de terapias de reversão sexual (cura);
    Nunca proibiu-se ao Psicólogo tratar qualquer pessoa que fosse, o que proíbe-se é a proposição de cura para algo que não é doença, cabe ao profissional o acolhimento do sofrimento decorrente de uma sociedade hetero-normativa e homofóbica;
    Por óbvio nos é garantido constitucionalmente o direito a livre expressão do que pensamos, porém em espaços adequados, uma vez que por exemplo aos psicólogos cabe, não só em respeito as resoluções vigentes, mas também ao código deontológico o respeito aos direitos humanos.
    Aos Srs. Deputados, cabe dentro do espaço do Congresso Nacional o respeito a laicidade do Estado, logo a proposição de um projeto de lei, com bases fortemente religiosas ferem toda a população brasileira, uma vez que não respeita a diferença de crenças;
    Em Dezembro de 2012 eu acompanhei em Brasília a audiência pública que discutiu este assunto, e que contou com a participação desta pessoa que ainda intitula-se Psicóloga, e vi daqueles que se dizem tementes a Deus e defensores da família um discurso de desrespeito, ódio execrável para com seus semelhantes e sinceramente, espero que o meu Deus não seja o mesmo que o deles, pq naquele momento não vi amor nenhum ao próximo e sim ódio e intolerância.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here