Malafaia e seu toque de Midas (ao contrário)

7

Tudo indica que o tucano João Doria é a mais nova promessa – ou produto – que Silas Malafaia pretende vender entre os evangélicos. Além das promessas de prosperidade financeira, o pastor Malafaia é um bom vendedor de ilusões políticas.

É bom contextualizar: depois que a Operação Lava Jato atingiu o PSDB, manchando a imagem de tucanos como Aécio Neves, o prefeito de São Paulo passou a ser visto como a última grande esperança de retorno ao poder dos social-democratas.

Em um passado recente, Silas Malafaia deu total apoio ao também tucano Aécio Neves. “Sou Aécio desde criancinha”, declarou o pastor na época. Ele gravou vídeos e foi bastante ativo no esforço de boa parte do Brasil para tirar o PT do poder.

Mas, como é de seu feitio, Malafaia exagerou (e muito) na dose.

O pastor chegou a fazer uma comparação indireta entre Aécio e Jesus Cristo. Agora Malafaia é Doria “desde criancinha”. E apresenta o mesmo grau de entusiasmo infantil e irrefletido.

Hoje alvo de nove inquéritos no Supremo Tribunal Federal, acusado dos crimes de corrupção passiva e obstrução à investigação de organização criminosa, Aécio luta para não ser preso.

Mesmo com apoio de Malafaia, Aécio naufragou nas urnas e hoje especula uma candidatura humilhante ao Congresso, o que lhe garantia ao menos o foro privilegiado.

Antes de apostar todas as fichas em Aécio, Silas Malafaia já havia “ungido” como salvador outro famoso tucano. Em 2010, Malafaia apoiou o tucano José Serra contra o PT. E chegou a aparecer no vídeo de campanha de Serra, dizendo: “Para ser presidente do Brasil tem que ter liderança, estar acima dos partidos, conduzir a nação. Só temos uma pessoa: Serra, 45”.

Serra perdeu para Dilma. Já em 2012, Malafaia deu apoio irrestrito a José Serra na corrida pela Prefeitura de São Paulo. Serra perdeu para Fernando Haddad (PT).

Na última segunda-feira, 28, o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a abertura de inquérito para apurar denúncia de caixa 2 contra o agora senador José Serra. Não é difícil imaginar que Serra, em breve, estará lutando por sua liberdade.

Se quisesse aprender com as lições do passado, o pastor Silas Malafaia adotaria hoje uma postura mais cética diante de mais uma promessa de salvador nacional que está sendo gestada pelo PSDB, novamente de forma artificial e sem base factual.

Mas o apoio de Silas Malafaia ao recém-criado João Doria é indisfarçável. Mesmo com as eleições ainda distantes. “Desconfio que será um ótimo presidente”, afirmou Malafaia.

Doria: pró-LGBT e contra o Escola Sem Partido

Em toda sua trajetória como figura pública, João Doria jamais participou dos esforços para denunciar os riscos da hegemonia cultural de esquerda. É possível argumentar que ele nunca se propôs a isso e que é apenas um empresário que ingressou na política há pouco.

O problema é que o tucano João Doria tem sido vendido como o candidato antiesquerdista, o político antipetista, o grande gestor e candidato da direita “civilizada”.

Ocorre que, neste caso, a incoerência é enorme. Enquanto presidente do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), organização que conta com cerca de 1.700 empresas filiadas, João Doria viabilizou polpudas doações de dinheiro para as campanhas eleitorais petistas.

Diz a reportagem do jornal Estadão:

“Em períodos eleitorais, Doria costuma fazer doações para candidatos que são arquirrivais dos tucanos. Entre eles estão Orlando Silva (PC do B-SP), vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila (PC do B) e Paulo Skaf (PMDB)”.

Ou seja, nos últimos anos, enquanto lutávamos contra o projeto de poder totalitário do PT, o “ecumênico” João Dória levantava dinheiro para ajudar petistas e comunistas.

Doria nunca foi um antiesquerdista, como é vendido agora, mas alguém muito interessado nas benesses da aproximação entre empresários e políticos importantes:

“Embora não goste do rótulo, o Lide prosperou ao reunir e aproximar CEOs, governadores, ministros, parlamentares e jornalistas em eventos sofisticados e reservados. O principal deles, o Fórum de Comandatuba, realizado em uma paradisíaca ilha na Bahia, sempre foi frequentado por políticos que vão do PC do B ao DEM, passando, é claro, por PSDB e PT. Entre as figuras carimbadas dos encontros estão o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo (PT)”.

É possível ainda contra-argumentar dizendo que o que interessa é tudo que João Doria está fazendo agora que é prefeito de São Paulo. É um argumento. Vamos lá.

João Doria deu apoio logístico e se comprometeu viabilizar recursos financeiros para a Parada Gay em São Paulo, motivo pelo qual foi criticado por vereadores evangélicos. Mas, curiosamente, não recebeu nenhuma crítica do pastor Malafaia.

Neste vídeo, o prefeito João Doria afirma: “Terminamos agora uma reunião de organização e preparação da Parada do Orgulho LGBT, junto com a Secretaria de Cultura, SPTURIS, Secretaria da Saúde, Secretaria de Transportes, vários setores da Prefeitura que estarão apoiando este evento […] Há um benefício na irrigação da economia da cidade”.

Conforme registrado em vídeos como este do Carteiro Reaça, o que realmente acontece durante a Parada Gay em São Paulo é um festival ofensas contra cristãos, profanação de imagens religiosas e atos obscenos até mesmo na frente de crianças.

Mas para o empresário João Doria está tudo bem porque, afinal de contas, a Parada Gay movimenta a economia, com ocupações de hotéis e movimento nos restaurantes.

Como o pastor Silas Malafaia pode justificar a afirmação de que João Doria, apoiador da Parada LGBT, “seria um excelente presidente”? Difícil de entender.

Durante a campanha, João Doria insinuou apoio ao projeto Escola Sem Partido. Mas, depois de eleito, o tucano nomeou Alexandre Schneider como secretário de Educação. O senhor Schneider é ligado ao PSOL e um opositor ferrenho do projeto Escola Sem Partido.

Coerência

Vamos recapitular: Silas Malafaia passou a última década denunciando aberrações como o Kit Gay nas escolas. E agora está apoiando um tucano que deu às costas ao projeto Escola Sem Partido que visa, entre outras coisas, livrar os estudantes desse tipo de assédio.

O Doria que deu às costas ao Escola Sem Partido é o mesmo que abraçou a Parada Gay por “movimentar a economia”. Trata-se do mesmo Doria que recebe apoio do pastor Malafaia.

Há algo de muito esquisito no ar.

Silas Malafaia precisa rever com cuidado a sua postura para não ser visto como um vendedor de ilusões políticas. A única coerência, o único fator preponderante, no seu histórico de apoios políticos é o fato de estar ao lado de tucanos que costumam perder as eleições.

E alguns deles muito enrolados com a Justiça, como é o caso de Aécio Neves, alvo de delação premiada do empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, que entregou uma gravação na qual Aécio lhe pede R$ 2 milhões para pagar a defesa dele na Operação Lava Jato.

O PSDB é um partido de centro-esquerda que protagoniza uma falsa polarização com o PT, de maneira a excluir verdadeiras alternativas políticas contra a hegemonia esquerdista.

Uma pena que, com tantas derrotas acumuladas, Malafaia ainda não tenha aprendido a sua lição e continue nos vendendo produtos que já chegam comprometidos.

7 COMENTÁRIOS

  1. Ao povo evangélico: A prioridade no Brasil, país que no ano passado teve mais de 50.000 pessoas assassinadas e essa escala continua subindo, é aquele que está lutando pela segurança pública e mudanças nas leis frouxas referentes à criminalidade que já domina grande parte do país. Jair Bolsonaro é o único que vem travando essa luta contra tudo e contra todos. Os caciques evangélicos que se julgam no direito de fazer indicações de políticos querem mesmo é desfrutar de sua influência política. Agora, eles se apresentam como os “oniscientes da política”, falando da extrema direita e da extrema esquerda; falando das qualidades que um presidente deve ter… mas estiveram com A. Garotinho (no PPS – extrema esquerda); Lula – PT (extrema esquerda); Eduardo Paes e Eduardo Campos; Lindiberb Farias; Pezão; Pr. Everaldo, cujo partido se alia ao PCdoB; Sérgio Cabral… então agora, estão aptos a indicar candidatos ? Outra: Meus irmãos vocês já viram esses caciques pregarem contra a criminalidade e movimentar o povo por segurança pública… é certo que não! Sabem o motivo porque não se preocupam com a segurança pública? Ora, quem tem carro blindado; quem tem seguranças particulares para guardarem suas famílias, vão se preocupar com a segurança do povo? Na realidade estarão indicando partidos de elite que nada fazem e nada constroem em favor do povo.

  2. Ao povo evangélico: A prioridade no Brasil, país que no ano passado teve mais de 50.000 pessoas assassinadas e essa escala continua subindo, é aquele que está lutando pela segurança pública e mudanças nas leis frouxas referentes à criminalidade que já domina grande parte do país. Jair Bolsonaro é o único que vem travando essa luta contra tudo e contra todos. Os caciques evangélicos que se julgam no direito de fazer indicações de políticos querem mesmo é desfrutar de sua influência política. Agora, eles se apresentam como os “oniscientes da política”, falando da extrema direita e da extrema esquerda; falando das qualidades que um presidente deve ter… mas estiveram com A. Garotinho (no PPS – extrema esquerda); Lula – PT (extrema esquerda); Eduardo Paes e Eduardo Campos; Lindiberb Farias; Pezão; Pr. Everaldo, cujo partido se alia ao PCdoB; Sérgio Cabral… então agora, estão aptos a indicar candidatos ? Outra: Meus irmãos vocês já viram esses caciques pregarem contra a criminalidade e movimentar o povo por segurança pública… é certo que não! Sabem o motivo porque não se preocupam com a segurança pública? Ora, quem tem carro blindado; quem tem seguranças particulares para guardarem suas famílias, vão se preocupar com a segurança do povo? Na realidade estarão indicando partidos de elite que nada fazem e nada constroem em favor do povo. Ah… então fui bloqueado ???

  3. Este site é do Silas Malafaia ? Por que não encaram o que postei ? Ao povo evangélico: A prioridade no Brasil, país que no ano passado teve mais de 50.000 pessoas assassinadas e essa escala continua subindo, é aquele que está lutando pela segurança pública e mudanças nas leis frouxas referentes à criminalidade que já domina grande parte do país. Jair Bolsonaro é o único que vem travando essa luta contra tudo e contra todos. Os caciques evangélicos que se julgam no direito de fazer indicações de políticos querem mesmo é desfrutar de sua influência política. Agora, eles se apresentam como os “oniscientes da política”, falando da extrema direita e da extrema esquerda; falando das qualidades que um presidente deve ter… mas estiveram com A. Garotinho (no PPS – extrema esquerda); Lula – PT (extrema esquerda); Eduardo Paes e Eduardo Campos; Lindiberb Farias; Pezão; Pr. Everaldo, cujo partido se alia ao PCdoB; Sérgio Cabral… então agora, estão aptos a indicar candidatos ? Outra: Meus irmãos vocês já viram esses caciques pregarem contra a criminalidade e movimentar o povo por segurança pública… é certo que não! Sabem o motivo porque não se preocupam com a segurança pública? Ora, quem tem carro blindado; quem tem seguranças particulares para guardarem suas famílias, vão se preocupar com a segurança do povo? Na realidade estarão indicando partidos de elite que nada fazem e nada constroem em favor do povo. Jair Bolsonaro e Ana Amélia (vice) em 2018. Já postei la no http://www.youtube.com.br
    Mostrar menos
    RESPONDER

  4. Cadê, povo meu, o enfrentamento da verdade… ? Agora, só falta levar para o santuário o mais novo candidato…depois é a decepção… cadê a sapiência de vocês ? Só sabem debater com iletrados…

    Deus não nos dá espírito de covardia… encaremos a verdade… Jesus é a verdade em cima do telhado, ele nunca se escondeu na omissão..

  5. Thiago Cortês, a palavra de Deus diz que devemos dizer “sim”, “sim”, “não”, “não” e também diz para que sejamos frios ou quentes, porque aquele que for morno será rejeitado. Nesse espaço, está escrito: “deixe uma resposta” – O espaço é da Gospel + 10 anos. Quero dizer que aquele que faz um convite, deve ter a dignidade e a consideração de publicar verdades, que talvez não agradem… mas, verdade, é verdade. Fiz comentários verdadeiros, sou evangélico, independente nas minhas convicções, sem alienação de ninguém. Obedeço a Bíblia, conheço doutras bíblicas, até porque já fiz um estudo sobre o Apocalipse e as 70 semanas de Daniel… estudos maravilhosos que posso e tenho enviado aos irmãos do www. youtube.com.br que me solicitaram. É muito feio e repugnante convidar para deixar uma resposta e imediatamente excluir verdade em desacordo com a nossa cartilha… esse espaço é do Pr. Silas Malafaia ? Porque no verdade gospel também há exclusão de comentários verdadeiros. Enfim, evangélico e povo de Deus tem que honrar o que está disposto na palavra… Jesus é o caminho, a VERDADE e a vida… Finalizando, se o Gospel +10 anos não tem condições de suportar alguma posição, então que seja encerrado esse espaço.. é melhor, porque é uma indignidade tratar um membro do corpo de Cristo, sem a devida consideração, porque a Palavra diz: Não deveis nada a ninguém, a não ser o amor. E respeito e consideração é prova de amor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here