Por que as pessoas mentem?

0

Porque são egoístas movidas pelo princípio do prazer, e não se importam com os outros, porque tiveram um modelo na infância que pode não ter sido ideal e assim desenvolveram patologia, baixa auto-estima e pouca tolerância à frustração, um ego fragilizado que precisa ser tratado de forma diferenciada. Além disso podem sim, ter compulsão por mentiras e ter desenvolvido mitomania, ou síndrome dissociativa, que devem ser tratadas com psiquiatras e psicólogos.

Pessoas muitas vezes mentem porque podem ter uma personalidade psicótica, megalomaníaca, e devemos estar atentos, pois, pela ausência de afetos são capazes de passar por cima de qualquer um se for preciso para conseguir o que desejam. Acima de tudo mentem por não ter fé, não ter um Deus verdadeiro para se reportar e para seguir, e mentem como consequência deste engano, pois não há quem lhe ensine que a verdade. Pessoas mentem porque vêem na mentira uma possibilidade de ser o que não, são ter o que não possuem e de alcançar um poder e um status que jamais em sua concepção interna alcançarão com a vida medíocre que acreditam estar vivendo. Para eles, isto é felicidade, é conquista, ou seja, o que é falso se torna verdadeiro na mente dessas pessoas e assim de trabalho em trabalho vão criando mentiras e tornando-as verdadeiras. Em seu falso mundo corporativo. A verdade sobre a mentira é que ela sempre tenta esconder nas mais profundas camadas do inconsciente as armações e maldades e inseguranças humanas.

Mentira no ambiente de trabalho e nos ministérios. Mentira corporativa é muito comum, embora lamentável

A mentira não está propriamente dita na profissão, tem mais haver com o profissional, e as relações qualitativas e quantitativas envolvidas e na maneira como se vêem nesse mercado, está intimamente ligada nas relações entre por exemplo: vendedor/consumidor – produto/poder – dinheiro/status.

Creio ser fator também determinante a motivação, e o desejo nossas ações estão sempre no campo dos motivos é censo comum que, quanto mais pessoas eu conviver no meu dia a dia, quanto mais compromissos assumir para cumprir agenda por exemplo, mais lançarei mão do recurso da mentira para me livrar de possíveis problemas. Ainda que não concorde com elas, ainda que não acredite estar fazendo a coisa certa. E assim a mentira acaba fazendo parte da vida desse profissionais, mas não é a profissão em si, e sim os relacionamentos que delas derivam e a capacidade e repertório de vida desses profissionais bem como, a capacidade que eles adquiriram durante sua formação para lidarem com situações conflitantes, é com o caráter de cada um em particular.

Profissionais que mais mentem em minha opinião são os profissionais da fé que montam seitas religiosas lançam mão de recurso da mentira como fonte de manipulação e alienação da fé das pessoas , muitos não usam a Palavra de Deus como Deus a concebeu, enfeitam, adicionam coisas, com o mesmo intuito do comerciante vender sua igreja e isso é muito triste, já até escrevi um livro sobre isso “Psicopatas da fé”- manipuladores do evangelho, é uma classe de profissionais da fé que usam muitos recursos do mercado corporativista entre eles a que mais se destaca é a mentira, pelos mesmo e velhos motivos.

Não devemos aceitar mentiras, embora sempre estejamos lançando mãos das mesmas

Mentiras são sempre mentiras e não devem ser ditas pois geram graves problemas quando são descobertas trazem descrédito do profissional. Dizer a verdade é sempre a melhor escolha ainda que pareça não ser, ainda que seja dolorida, não gostamos de sermos enganados e é assim que nos sentimos quando estamos do outro lado. Seduzimos pessoas com nossas mentiras e queremos ser amados pelo que somos, mentiras não devem ser aceitas devem ser responsabilizadas conforme sua importância e seus danos somente assim aprendemos ser verdadeiros, a mentira tem o mesmo principio da dependência química, para nos curarmos dela é necessário nos afastar e aqui se afastar de uma mentira é sempre dizer a verdade. Se as pessoas dissimuladas soubessem que se tão somente enfrentassem a sua dificuldade, elas seriam livres do medo de revelar suas reais intenções, poderiam viver melhor e seriam mais livres e felizes. Entendo que a mentira pode causar no mínimo um mal-estar, porém, para a maioria da sociedade, a mentira social, para evitar um mal ainda maior, é atenuante e até louvável em alguns casos. Como profissional e escritora sei que a conseqüências da mentira são sempre piores.

No cenário de competitividade do mercado de trabalho, muitas razões levam as pessoas a inventar pequenas mentiras

Os motivos principais que levam uma pessoa a mentir é para demonstrar conhecimento, segurança, auto- estima, tão necessário no cenário competitivo. O status é um dos mais comuns, pois o profissional sabe que nesse mercado o status pode sim abrir grandes portas.

O medo é um grande gigante da alma e a possibilidade de perder o que conquistamos, de sermos substituídos, de perdermos uma promoção, enfim, são fatores que influenciam na conduta do mercado de trabalho. Na verdade o mercado competitivo é um criadouro de mentirosos que pode se tornar um vício, uma compulsão, se forem reforçados pela gratificação de seu sucesso, podendo o mentiroso acreditar que na vida vale a pena mentir e que ela é necessária. E assim, viver em um mundo frenético esquizofrênico e depois se algo der errado ter problemas seríssimos de má conduta, depressão e auto estima. A mentira é sua grande arma, pois por intermédio dela ele pode inventar um mundo no qual gostaria de estar vivendo. Na verdade, ele busca o prazer e o alívio do desprazer, não se importando com o outro, apenas consigo mesmo.

A competitividade pode estimular as pessoas a mentirem mais no ambiente corporativo, já que se sentem mais pressionadas

Profissionais que não estão preparados para o mercado de trabalho, e que não tenham aprendido e internalizado questões éticas de sua profissão, a pressão da profissão pode sim fazer uma pessoa tornar-se mentirosa, mas a freqüência e a intensidade tem haver sempre com aspectos de vida do sujeito em questão, alguns dizem mentiras porém se preocupam com as consequências que estas podem gerar. Outros não se importam e se divertem e ou ignoram essas consequências, a competitividade impulsiona e estimula o crescimento e com ele se precisar, o profissional cedo ou tarde lançará mão deste recurso. A tendência do ser humano é perverter a realidade a seu favor e acreditam que mesmo que a declaração seja falsa, se ele acreditava nela, não estava tentando enganar, e não estava tentando ganhar vantagem ou prejudicar ninguém, então não houve mentira. Será?

Minha opinião pessoal é que não precisamos mentir, precisamos é aprender adquirir repertórios psicológicos para lidar com situações sendo verdadeiros de forma assertiva. Uma dica é sempre quando não se sabe o que dizer, ficar em silêncio, usar uma frase impactante de deixar o outro pensar na solução, ou simplesmente admitir não saber, mas que pode procurar aprender e fazê-lo. Assim,  além de se tornar uma pessoa respeitável, de confiança, será querida pela pessoa em questão e isso pode valer muitos contatos ou até mesmo fechamento de contratos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here