SÍNDROME DE DAVI

6

Há muito tempo tenho notado, estudado e desagradavelmente conferido o aumento desta “patologia” crescente no meio evangélico: A Síndrome de Davi.

“Filha” da teologia da prosperidade, A Síndrome de Davi, além de adquirida pela cobiça, se alastra em pouco tempo em meio ao mundo individualista, egocêntrico e nada prospero dos “evangélicos”, em contrapartida aos seguidores de Jesus; Os seguidores dos passos do Mestre que tratou de mostrar o desejo do coração de Deus.

O Messias que disse que o maior homem entre os nascidos de mulher, era João Batista, disse, inclusive, que no reino qual dera inicio em sua vinda ao mundo, o menor entre todos, seria maior que ele, que já era um exemplo.

Onde está nas palavras e ensinamentos de Jesus, Davi e seu reinado como exemplos?  É certo que o Senhor havia encontrado no gentil pastor de ovelhas e, subsequente Rei de Israel, o homem segundo o seu coração; Um coração voltado e rendido ao Senhor.
Mas param por aí quaisquer motivos para as alegações, tributos ou qualquer “adoração” ao reinado de Davi.

Isso mesmo!

Hoje, Davi se tornou o “exemplo”, o “ideal a ser seguido” e, não importa se você é um pobre e rejeitado, pule a etapa de seguidor de Jesus Cristo, o Deus em sua vontade suprema mostrada ao mundo e vá para o “Reino de Davi”!

Fácil, não é?

Não se fala em João batista; O que antecedeu ao Senhor Jesus, como um exemplo de arrependimento e de volta aos caminhos do Senhor (compreensível; Afinal, negar-se a si mesmo em favor do Reino, não é fomentado), mas fala-se em Davi; “Ele é o Rei” e, se Jesus conquistou uma vida abundante, “o que você está esperando?” “Somos Reis e sacerdotes!” Por isso, devemos passar na frente dos outros, do mundo e do pecador e suas mazelas, esmagando a “cana que já está quebrada”, para conquistarmos o nosso direito ao “Reino”, ao governo deste mundo, à maneira do próprio mundo.

Como os antigos, julgamos ter o direito de “tomar” reinos, governos, bem ao estilo do Rei Davi, afinal é bem mais fácil e corresponde bem mais, aos nossos egos… Para que, o “andar duas milhas” no “sub-evangelho” pregado, que visa o “Eu”?

 

Embasbacado diante deste ensinamento torpe, fico pensando se não já estava claro, todo o exemplo de verdadeira conquista do mundo para o verdadeiro reino de Deus.
“O meu Reino não é deste mundo… ”  João: 18-36

Isto, sem que seja preciso um aprofundar teológico, mostra que também não era segundo a forma humana convencional que atrairíamos o mundo para Deus.
A nossa maneira de vencer o mundo já foi mostrada e todo ser humano, nascido de novo, sabe o que isso quer dizer…

Mas parece se esquecer…

Tentado pela cobiça, o discípulo que deveria continuar a tomar a sua cruz, a “toma”, a partir de “revelações” de pastores e líderes que se juntam em propósitos que nada tem a ver com o evangelho de Jesus, adequando suas vidas e, consequentemente das igrejas, segundo os padrões do mundo e sua concupiscência.

Deus nos chamou para sermos como Jesus.  De Davi, só a  intenção de coração.

Nesse engano, pastores com a ideia de que chegou o momento de avançarmos como Reis nessa terra, têm fomentado um caráter desprovido de amor nas igrejas e cheio de egoísmo e individualismo em seu povo, dentro e fora delas.

Pior que isso, estes, tem trazido ao homem que já não quer saber de nada que se oponha ao seu eu, a ideia de que somos algo com um fim em nos mesmos.

Se nosso fim é sermos como Jesus Cristo, não há engano; Sua meta, todos nos sabemos!

A partir de ideias arrancadas do velho testamento, somos “arrancados” quase que todos os domingos, do evangelho que ao mesmo tempo trás, Vida abundante, prosperidade e a cruz a que cada um tem o dever de levar, para sermos simplesmente lançados no interesse escuso de lideres egoístas que nada mais querem, do que cuidar de seus “Reinados”.

Em busca do “Reinado de Davi” e suas consequências, estes “pastores” tem no final das contas “matado” a muitos em seus interesses pessoais, como Davi, que em seu desejo sexual aproveitou-se de sua posição para matar o marido da mulher que desejava: Seu fiel soldado.

Pasmado, com o que dia após dia é visto nas instituições evangélicas, na mídia, eu fico a pensar no horror da megalomania dos que se dizem amantes do Reino de Deus, mas que não passam de amantes da imagem do reino de Davi que se adéqua em suas mentes; Começam como Davi mas se esquecem do seu descendente; Jesus Cristo.

Esquecem-se de que o coração de Davi, apontava para o caráter de Jesus, do que ensinava e ensina até hoje, através do Espirito Santo.

Miram-se tanto nesse “Davi” de suas mentes, que terminam como Saul; Revelando sem sombra de dúvidas em suas ações, frutos de que desconhecem o coração do único Rei que é exemplo a ser imitado; Jesus Cristo.

 

Rogério Ribeiro.

 

 

COMPARTILHAR
Rogério Ribeiro é um cristão livre do sistema religioso. É Cineasta, roteirista e cronista. Escreve no blog "edição de amanhã", no "Antireligiosidade (http://antirel.blogspot.com.br/), entre outros. É autor de "Descansado sobre a Relva", livro que fala do relacionamento pessoal com Jesus Cristo, acima de qualquer coisa ou "impedimento" proposto pelo mundo religioso. Observador atento, Rogério Ribeiro aceitou o dever de alertar a igreja e, desde então é um compromissado "atalaia" dos nossos dias, às ordens de um só Senhor: Jesus Cristo.

6 COMENTÁRIOS

  1. Belo texto.É bom saber que ainda existem pessoas conscientes de que riqueza é só um detalhe neste meio protestante.Que Deus nos ajude a entender melhor quem foi o grande Rei Davi mas sem esquecermos que ele tinha uma missão diferente da nossa.

  2. A prioridade do cristão é seguir o novo testamento,ou seja, a era da graça de JESUS
    CRISTO.O velho testamento,da lei moisaica do olho por olho e dente por dente já passou.
    Pois pela lei ninguém foi justificdo.O que serve no velho testamento tem referência no
    novo. É que os falsos profetas fazem confusão entre novo e velho para enganar se
    possível os próprios eleitos de DEUS.Estes fundamentalistas não prestam.,São mentirosos
    e venenosos.

  3. O evangelho do Cristo de Deus é o da cruz,não temos que inventar nada quem quiser se salvar tem que renunciar ao ídolo da cultura humana representada pela estátua do sonho do rei de Nabucodonosor o então rei e imperador de Babilônia,mais que fora acertado por uma pedra sem mãos que o esmiuçou e aquela pedra encheu toda a terra,foi reprovado pela Pedra Angular todos os produtos humanos representados naquela estátua ,é claro que a Soberania de Cristo é sobre toda a criação mais quando se trata da criatura humana esta Soberania instrumentalizada na cosmogonia da cruz pretende dá uma nova vida projetada e consumada na cruz para que possamos viver pelo poder de sua ressurreição aqui na terra fazendo prosperar o seu reino implantado no meio dos homens.

  4. A verdade é que a maioria dos evangélicos está voltada para si mesmo e seus desejos. Homens que são exemplos de resignação, renuncia e dor, não são bem visto como exemplos a serem seguidos no meio evangélico atual. A igreja tem se afastado a passos largos do que é o seu verdadeiro chamado, pregar o evangelho do reino e seguir a Jesus, com exemplo. Ninguém hoje quer ser humilde, misericordioso, preocupado com os outros ou com o bem comum. Todos só querem ser a estrela principal da festa e suas motivações sempre são egoístas. Todos querem ser REIS, ninguém quer ser servo. Porém, maior no reino de DEUS é aquele que serve.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here