HPV e a vacina do Pecado

5

REVOLTA DA VACINA 2 : O HPV cerebral-moralista-religioso

É inacreditável a reação de alguns segmentos religiosos à campanha do governo de vacinação contra o HPV de meninas entre 11 e 13 anos.

Inacreditável!

Mães estupidamente piedosas têm dito: “a melhor proteção é a fidelidade”. Que lindo! Só não inventaram, ainda, proteção contra umas mães dessas.

Equivale dizer: “para não pecar, melhor não nascer”.

Não basta à religião totalitária dizer em quem você deve votar, ela também que dizer que vacina tomar.

E há ainda os que chamam a isso “liberdade’. Não, senhores, isso tem qualquer outro nome diametralmente oposto, menos liberdade.

É por essas e outras que eu temo – com toda honestidade – o avanço dessa turma na esfera das políticas públicas.

É por isso que eu sou totalmente a favor da liberdade de crença como direito individual, mas frontalmente contra o ensino religioso em escola pública e dos postulados religiosos dando as cartas nos interesses coletivos e plurais.

Para a bancada evangélica, a vacina pode ser um estímulo, digamos assim, à ‘afoiteza’ juvenil. É uma sutil castração. Uma circuncisão feminina. Mas, mais que isso: um atentado à saúde pública.

A coleira venceu a consciência! E a loucura, o bom senso!

Se essa turma fosse contemporânea a Cristo, ela teria suprimido dos evangelhos a narrativa do perdão dele à flagrada prostituta pois, pela insana lógica, isso seria um estímulo – com a licença dos pudicos – à putaria.

Cento e dez anos depois, reeditamos a Revolta da Vacina contra a varíola que ocorreu nos primórdios da República, só que de forma ainda mais patética. Certo estava o velho filósofo: “A história se repete, a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa”.

Acho que Freud, em “Totem e Tabu”, foi quem chegou mais perto do deslindamento da embaraçosa primitividade desse tipo de alminha religiosa. Contra isso, não há vacina.

Por Dilson Cunha

COMPARTILHAR
Raquel Elana, formada em Teologia, Pós Graduação em Jornalismo Político/ (Jornalista – MTb 15.280/MG) e Ministérios Criativos pelo IBIOL de Londres, é autora de 3 livros, entre eles: Anjos no Deserto - uma coletânea de testemunhos de mais de 10 anos de trabalho no Oriente Médio. Desde 2012 está envolvida com o trabalho de atendimento aos refugiados da guerra civil da Síria.

5 COMENTÁRIOS

  1. Entendam melhor, o que é esta vacina.
    Na medicina, assim como em várias outras áreas do conhecimento humano, nada é 100%. A vacina contra o HPV não é exceção, e é natural que os pais queiram tirar dúvidas sobre eficácia e riscos. Desde que o governo federal divulgou, em julho de 2013, os detalhes sobre o programa de vacinação na rede pública, retornaram aos grupos de discussão na internet e às colunas dos jornais depoimentos que questionam a necessidade da imunização em massa. Além de argumentos religiosos e temores de que a vacina possa estimular o início da vida sexual entre as meninas, há também médicos que se posicionaram contra.

    Em fevereiro, a Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) divulgou carta informando que, de acordo com o conhecimento científico atual a respeito do tema, a instituição entende que não há evidências de que a vacinação seja mais eficaz que a estratégia atual – o rastreamento por meio do papanicolau, no exame ginecológico.

  2. A vacina tem uma série de efeitos colaterais e em vários países é proibida pelo risco X beneficio que apresenta.

    Mesmo com a vacinação é necessário manter fazendo o exame papanicolau, ela não aumenta as defesas contra a doença e tem uma teórica proteção contra poucas variedades das cepas do vírus que se apresenta em várias cepas diferentes.

    Esse texto é só conversa fiada, quer chamar quem não concorda com a vacina de fundamentalista e sei lá mais o que. Chame a Sociedade Brasileira de medicina de família.

  3. Cada vez entendo menos o que a sra. Raquel Elana prega e crê acho q ela precisa de fato se encontrar e tentar compreender melhor as coisas como o comentário lúcido e esclarecedor de José Carvalho e J Jogramac.

  4. VOLTEI PARA O ASSUNTO, NÃO SEI SE PARA DILSON CUNHA OU RAQUEL ELANO
    PERGUNTA VIRAM AS REPORTAGENS DE HOJE, VÁRIAS MENINAS INTERNADAS APÓS TOMAR VACINA DO HPV.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here