Obra de Deus ou Auto-Promoção?

3

O problema é quando o “servo de Deus” acha que Deus precisa dele pra fazer a obra. Quando pensa que sem ele, a igreja não vai pra frente. Ou que se ele não estiver no meio, as coisas não acontecerão.

A obra é de Deus, feita por pecadores fracos realizando o impossível em oração, clamando para que Deus abençoe.

Qualquer coisa fora disso é mera politicagem, falso clima, e auto-promoção para ser O Pastor Bem-Sucedido, da igreja bem-sucedida. Isso não é obra de Deus. É obra do homem que vai ser consumida pelo fogo.

Números não são sinais de sucesso espiritual. Quantidade e dinheiro não é sinal de êxito na obra de Deus. Lembre-se disso. ÊXITO NA OBRA DE DEUS É ESTAR ONDE DEUS QUER QUE ESTEJAMOS FAZENDO AQUILO QUE ELE DESEJA QUE FAÇAMOS, PARA GLÓRIA DELE SOMENTE.

Veja bem onde você está entrando. Se na obra de Deus, ou na obra de algum super pastor se auto-promovendo.

Que nós não nos percamos no meio do caminho!

3 COMENTÁRIOS

  1. OBRA DE DEUS? O QUE É ISTO?

    “Disseram-lhes pois: Que faremos, para executarmos a “OBRA DE DEUS”? Jesus respondeu e desse-lhes: A “OBRA DE DEUS” é esta: Que “CREIAIS” naquele que me enviou” – João 6:28 e 29.

    Vivemos um momento crucial para o cristianismo, onde há correntes religiosas pregando e ensinando muita coisa que não tem qualquer fundamento Bíblico e muito menos lógico para o exercício de uma vida religiosa saudável. O cristianismo gira em torno da “OBRA DE DEUS”, e tudo que se faz ou se pensa é para a “OBRA”. O cristianismo gira em torno desta expressão, mas será que de fato ela está sendo observada conforme ensinam as Escrituras?

    O texto acima, nas palavras do próprio Jesus, é muito claro quando afirma imperativamente que a “OBRA DE DEUS” nada mais é do que “CRER” em Deus, nada mais. O povo estava buscando seguir a Jesus não pelos sinais que haviam presenciado, mas pelo pão que comeram e tiveram a fome saciada. Como hoje, as pessoas continuam correndo atrás de Deus por causa do que ele pode oferecer e não pelo que Ele é ou pelo seus feitos maravilhosos.

    É interessante que Jesus recomenda expressamente que o povo trabalhe, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna – João 6:27. Este texto nos remete a entendermos as contradições encontradas nas práticas religiosas de nossos dias, onde a ênfase é a PROSPERIDADE material aqui e agora. O povão está preocupado com o que irão comprar, o que irão comer, como se divertirão, como será o show do final de semana, qual o tamanho da casas que irão morar, onde passarão as próximas férias, que tamanho será a templo, quanto será arrecadado com o espetáculo, etc. A obra de Deus, que nas palavras do próprio Jesus, é uma ação espiritual, um ato de fé, pois crer é ter fé, hoje, diante da fraqueza e das distorções a que o Evangelho está sendo submetido, transformou-se em questões materiais, principalmente voltadas para as questões financeiras.

    Se fazer a “obra de Deus” é “CRER”, o que vier e o que fizermos hão de ser conseqüência de cumprirmos o que recomendam as Escrituras. O problema é que os cartolas da religião rotularam tudo como obra de Deus, sem conhecimento de causa e sem ao menos saberem o que isto significa. Mas o texto é enfático e não deixa margens para interpretações dúbias ou distorcidas. A palavra “CREIAIS” é objetiva, ela não tem duplo sentido, ou cremos ou não cremos, e assim, com a decisão que tomarmos, estaremos ou não fazendo a “OBRA DE DEUS”.

    Sempre foi exigido que tenhamos cuidado com a “OBRA DE DEUS”, pois a “OBRA DE DEUS” é considerada como uma lavoura. Sempre ouvi que temos que trabalhar mantendo-a limpa e bem cuidada. A lavoura exige muito cuidado durante todo tempo, até a colheita. Mas diante das palavras de Jesus, fica evidente que qualquer outra atividade é apenas conseqüência de nossa atitude em fazermos a OBRA crendo, portanto não precisamos “FAZER OBRAS” para alcançarmos a salvação, precisamos fazê-las em reconhecimento pelo que Cristo fez por nós.

    Hoje as igrejas eletrônicas e seus donos alardeiam aos quatro cantos que o dinheiro que arrecadam, se é que podemos afirmar isto, é todo usado na “OBRA DE DEUS”, o que é uma incoerência e um absurdo, além de ser uma baita heresia. Qualquer quantia em dinheiro será sim aplicada como resultado do cumprimento da “OBRA DE DEUS” por parte do homem, aceitando-o como Senhor de sua vida. Tudo que o novo homem fizer será em função de sua escolha, não serão obras com atividades relacionadas com a vida material que serão rotuladas como “OBRA DE DEUS”, pois ela é, por conseqüência do sacrifício de Cristo na cruz, uma questão especificamente espiritual. É por esta razão que a Bíblia diz que é pela graça e pela fé que somos salvos, e que as OBRAS, sejam quais forem, hão de ser conseqüência da manifestação do poder de Deus em nossa vida.

    Temos que ter cuidado de nós mesmos e da doutrina Bíblica quando ela diz: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; Persevera nestas coisas; Porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” – I Timóteo 4:16. Paulo exortou a Timóteo que os enganadores iriam aparecer e ele Timóteo, deveria estar atento: “Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados” – II Timóteo 3:13. João também alertou a Igreja a respeito deles, chamando-os de anticristo: “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo” – II João 1:7.

    Quantos hoje toleram o engano e o mundanismo nas igrejas, isto é, mistura com ensinos errados de homens que vivem decretando bênçãos, curas, prosperidades, profetizando mentiras. Nada mais é pecado, jogos, passaram a ser lazer e essa mistura de modo geral com o mundo não passa de prostituição religiosa conforme diz a Bíblia: “Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensine e engane os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria” – Apocalipse 2:20. Hoje há muitos falsificadores da Palavra que pregam as suas mensagens e não a de Deus, e isso foi dito por Paulo: “Porque nós não somos, como muitos, falsificadores da palavra de Deus; Antes, falamos de Cristo com sinceridade, como de Deus na presença de Deus” – II Coríntios 2:17. Tudo isto porque a “OBRA DE DEUS” não foi consolidada na vida destas pessoas com o genuíno CRER.

    O povo queria saber o que deveriam fazer, em termos materiais, para executarem a “obra de Deus”, mas Jesus cortou na raiz a possibilidade de se fazer alguma coisa com o título ou com o rótulo de “obra de Deus”, ela apenas afirmou que toda a obra se resumiria em “CRER” em Deus – João 6:27 e 28. Portanto, se você estiver realmente preocupado com a “OBRA DE DEUS, verifique se você “CRÊ EM DEUS”, se a reposta for positiva, as demais coisas serão resultado de sua fé e de sua decisão em acreditar que Deus é o Senhor de todas as coisas. Do contrario…

    Trabalhar a vida inteira sem se preocupar com o que vem depois é tão inútil quanto trabalhar a vida inteira achando que isso lhe dará o direito de merecer a vida eterna. Já ouviu falar em graça? Pois é, desde quando algo recebido de graça é pago por algum tipo de esforço?

    Carlos

  2. Sucesso é ter um coração humilde voltado para o Senhor , com empenho a obedecer sem questionar o que nosso Deus diz, mais muitos acham que números e crescimento. Infelizes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here