Hierarquia ou Anarquia?

5

É difícil, partindo da perspectiva atual, dividir determinados conceitos tão radicalmente entranhados em nossa alma. Falar de organização, administração, ou como alguns preferem “governo” no que tange a liderança da igreja, é esbarrar em lógicas abarrotadas de ideias secularizadas.

Em minha opinião, organizar nada tem a ver com hierarquizar e, embora eu tenha particular antipatia por ambos (organização e hierarquia) – e concorde com o saudoso Chico Science quando disse “me organizando posso desorganizar” – reconheço que para haver a busca de um sistema onde haja justiça, liberdade e igualdade, se faz necessária a organização.

No entanto, está encrustado dentro de nós o hábito ideológico do “manda quem pode, obedece quem precisa”, no coração de um povo que define “subir na vida”, como se significasse pisar nos outros.

Isto é histórico e epi-genético, parece e, infelizmente, a igreja (ao menos, grande parte dela) é somente uma cópia desse modelo do mundo, estando organizada através do conceito de pirâmide, com um líder máximo assentado na ponta de cima, tendo departamentos e ministérios subdivididos, como num organograma empresarial. O pior é que esse modelo vem acompanhado de todos os cruéis requintes humanos que vão desde a ambição por maiores cargos à decorrente politicagem, do puxassaquismo às intrigas, chegando até os golpes.

Golpes que muitas vezes são confundidos com multiplicação, que é quando algum líder menor, almejando o posto superior, faz uso da Livre Iniciativa para estabelecer, então, a sua visão – o que não ocorre sem causar grandes escândalos, confrontos e sérias divisões.

Tudo isso acontece porque, vivendo na Babilônia, não conseguimos mais tirar a Babilônia de dentro de nós, igreja.

É necessária uma transformação, que só pode ocorrer com a interferência direta da Mente de Cristo na vida das pessoas, para que todos sejam livres, iguais e, ainda assim, tratem-se uns aos outros como superiores.

Não é algo imposto! É uma nova disposição mental, um coração livre que se submete a um ideal que se estabelece na vida de um coletivo humano: Igreja!

Vejo aqui fortes relações entre a vivência humana de Jesus com seus discípulos e diversos princípios do anarquismo. Ora, o anarquismo é em síntese a “ausência de governo”, representando o estado da sociedade ideal na qual o bem comum resultaria da coerente conjugação dos interesses de cada um. Amplamente oposto à divisão em classes, o pensamento anárquico é contra toda a espécie de opressão de uns sobre os outros. Com a anarquia a constituição, o direito e as leis deixam de ter razão de existir.

Ou seja, é o fim da Lei, das imposições, das sobreposições e o início de uma experiência livre, igualitária, na qual o vínculo absoluto, mantenedor de unidade e obediência é o amor.

Ele é capaz de fazer as pessoas andarem juntas, serem bondosas umas com as outras, sem render-se à inveja e ao ciúmes, à competição, aos caprichos das ambições rasteiras, o amor torna as pessoas capazes de suportar, sofrer, esperar e acreditar sem perder tempo com suspeitas fundadas ou não, pois no amor está o poder máximo de Deus no homem para a realização de sua Obra na Terra.

Nele, não incorporamos o cargo ao nosso nome, como se recebêssemos uma titularidade ou signo de poder e autoridade, que é a base da divisão religiosa e social entre clero e laicato.

Nele, no amor, que é o conceito de Cristo, existe apenas um modelo organizacional: a fraternidade!

Nela, somos todos iguais, somos todos irmãos, filhos do mesmo Pai, seguidores do mesmo Mestre e possuidores do DNA real, o Espírito Santo. Nesta visão, não há maior nem menor, preto ou branco, homem ou mulher, apóstolo ou diácono, levita ou samaritano…

Utopia? Esqueceram de dizer isto para Jesus!

COMPARTILHAR
Pastor, músico, compositor, poeta, jornalista, produtor musical, blogueiro, twitteiro, facebookeiro, observador da igreja dos últimos dias à serviço de Cristo.

5 COMENTÁRIOS

  1. ENTÃO NÃO GOSTAS DE JESUS E DA SUA IGREJA, PAULO DIZ FAZEI TUDO COM ORDEM E DESCENCIA, EM ATOS SEPARAM PESSOAS PARA O DIACONATO, PARA CUIDAR DAS VIUVAS E DE OUTROS ENCARGOS. ENQUANTO PERSEVERAVAM NA ORAÇÃO E NA PALAVRA, DEPOIS CRISTO DIZ O PAI É MINHA CABEÇA, NÃO FAÇO O QUE QUERO MAS AQUILO DE QUEM ME ENVIOU, EU SOU A CABEÇA DA IGREJA E VÓS MEUS MEMBROS, ENTÃO IMAGINE UM CORPO ONDE O PÉ FICA NO LUGAR DO NARIZ, SEM GRAÇA

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here