Deixem o povo ir

5

Esses dias, uma jovem colocou a seguinte frase no Facebook: “não preciso ir ao templo para me encontrar com o Altíssimo”. Como bem sabemos a Rede tem sido um meio interessante e importante de debates e discussão de idéias para todo tipo de assunto e no lance religião cristã, esse lance ferve.

Acho lindo o fato da moça, tão jovem e criada no contexto eclesial desde sua infância, estar chegando às suas próprias conclusões.

Pra mim, pessoalmente, pouco importa a opinião de alguém ser igual a minha, tampouco convencê-la de algo que acredito. No entanto, esta não parece ser a realidade de um monte de gente, pastores, guias, obreiros, que parecem pouco se importar com a terrível inversão de valores que significa defender seus próprios institutos humanos em detrimento da palavra da graça e da liberdade, o Evangelho.

Para expor um pedaço de meu pensamento sobre o tema, me baseei neste versículo abaixo (teria mais um monte, mas não vou fazer deste espaço um tratado teológico apologético doutrinário, mas somente um texto de reflexão).

“Se alguém me serve, siga-me, e onde eu estiver, ali estará também o meu servo. E, se alguém me servir, meu Pai o honrará” – palavras de Jesus, segundo João.

Temos que ir onde o Senhor está! O Senhor que se manifesta por seu Espírito, que está na terra, não em montanhas sagradas, nem em templos construídos pelas mãos de homens, mas nos corações dos verdadeiros adoradores.

Ora, isto é a Verdade que liberta. Versículos opressores, que ordenam ir daqui pra ali, fornecendo receitas do certo e do errado formam a mais perfeita máquina de doutrinação e domesticação de mentes: a religião!

Surpreende-me o fato de que hoje alguns jovens estejam pensando, refletindo e concluindo por si só o Deus Pai, Filho e Espírito, em sua soberania e controle sobre o cosmos, estando espalhado sobre toda terra e accessível a todo homem.

Instituições humanas, hierarquias, construções – simples ou suntuosas – visões arquitetadas por cegos condutores de outros cegos não passam de estratégias anticristo.

Anti, no sentido de ‘ao invés de’, que acaba sendo o mesmo que anti, no sentido de contra.

Quando a Igreja se torna uma alternativa a Cristo, e sinto em dizer: ‘se tornou’, então, então ela é também anticristo.

Deixe as pessoas tomarem suas decisões, cada qual segundo sua experiência de vida.  Por que, afinal, todos deveriam tomar rumos idênticos? Não é Deus multiforme em sua manifestação e sabedoria?

O pensamento de muitos que hoje são chamados ‘rebeldes’ pode estar correto! Talvez o herege de hoje, seja o convencional de amanhã. Quem sabe?

De fato ninguém precisa ir a um templo para se encontrar com o Altíssimo e todos os que conhecem um pouquinho da bíblia sabem disso.

Aliás, nem é preciso conhecer a bíblia, pois o espiritual se encontra com Deus nos sonhos da noite, nas orações mentais caminhando pela rua, lavando a louça, ouvindo música… E a sua fé vem pelo ouvir! Se não fosse assim, o que seria de nós sem a bíblia cristã?

Vejo que os que defendem a fundamental necessidade de estar congregado no templo (doutrina herdada do ordenamento católico da eucaristia, que foi criada para fazer os cristãos tomar diretamente das mãos do sacerdote o corpo e o sangue de Cristo) estão limitados em sua espiritualidade individual, sendo vítimas de um mediador humano. Ou seja, estão na dependência de um anticristo (um caminho, uma pessoa, um local alternativo ao próprio Cristo).

As exortações que contrariam os pensamentos dos que buscam caminhos diferentes ao dessa igreja corrupta e apóstata ora vigente não passam de tentativas humanas de perpetuar o exercício do domínio (anticristos).

Moisés falou pra faraó: “Assim diz o SENHOR: Deixa ir o meu povo, para que me sirva. E se recusares deixá-lo ir, eis que ferirei…”

Deus quer seu povo no deserto? Deixem-nos ir ao deserto! Não sejam como faraó, que representa todo sistema hierárquico e dominador, o qual impede as ovelhas de Cristo de passar por suas experiências e chegar por si próprias às conclusões devidas.

Deixe as pessoas viver em liberdade, deixem-nas viver por fé, deixe que aprendam, que ouçam, que orem, que busquem! Deixem o povo ir…

COMPARTILHAR
Pastor, músico, compositor, poeta, jornalista, produtor musical, blogueiro, twitteiro, facebookeiro, observador da igreja dos últimos dias à serviço de Cristo.

5 COMENTÁRIOS

  1. É lógico que não se necessita de um templo físico. Adão precisou de um???? não, porque não havia pecado. Jesus não resolveu a questão do pecado???? Estamos na mesma condição de adão, precisamos estar no corpo de cristo, mas o templo como conhecemos não. Jesus foi claro com a mulher samaritana …. o óbvio está aí…..

  2. Pior que é mesmo. Tem gente que vai na igreja só pra mostrar roupa nova. Tem pessoas que vão pra igreja só se tiver algum cargo importante. Tem gente que vai na igreja e fica esnobanmdo os irmãos de menor poder aquisitivo. Tem aqueles que vão a igreja mas o pensamento ta na balada… na farra… no jantar com uma pessoa importante.

  3. Uai, pensei que os templos fossem os locais onde se estabeleciam as ações de evangelização, bem assim de ensinar, passar experiências de uns para os outros.

    Cristo visitava as casas de orações e o templo judeu, disse que criaria uma igreja, só não construindo uma estrutura para servir de local de apoio, tipo um QG(quartel general) em face do pouco tempo aqui vivido, 03 anos, e que a igreja primitiva não tenha se organizado em termos de estruturas físicas em face da perseguição impostas seja pelo império romano seja pela cúpula do judaísmo.

    Mas vejo que agora está tudo errado, parabéns escritor, descobriu a roda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here