Ana Paula Valadão, Sara Sheeva e… Os “50 tons da benção”??

8

Abobalhado, embasbacado; parado sem conseguir me mover… nem ao menos, um passo.

Eu estava mais uma vez em frente ao computador vendo mais uma noticia do “submundo” gospel…

Desta vez, era Ana Paula Valadão em mais um dos congressos de Mulheres… Nada contra um congresso em si…  Na nossa cultura protestante e até na nova “subcultura” gospel, há sua “diversidade” de formas e métodos, na maioria, religiosos, tal como a igreja católica e outras religiões… Não se engane… A diferença está na… Na….

Não, não há.  Não há diferença.   A cegueira é a mesma.

O problema é o de sempre: o cego que pensa enxergar.

 

Mas voltando:

Eu lia o titulo do vídeo da Cantora, que dizia: “Se morrer, Ana Paula Valadão escolhe esposa para seu maridoNo qual, ela falava a seu público de mulheres, sobre uma “fragilidade momentânea” que dissera ao marido…

Veja o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=cXXrIlY8A5c

 

Pois bem… Eu, em nome da responsabilidade cristã e de cidadão, fui ver o vídeo antes de pensar qualquer coisa e me dei mais uma vez, a triste constatação de que, na nossa igreja evangélica, ultimamente, o ruim infelizmente, pode sempre piorar… E como pode!

Ela, mais uma vez, ao fazer uso do microfone e, – o que é bem pior -, de um púlpito que, logicamente não é lugar de formação de grupos alienados (como tem sido), destilou mais uma de suas infantilidades ao “pobre” publico feminino que, até onde temos visto, também é uma síntese da alienação que infelizmente, falando de mundo gospel, não é só feminina…

Sem me aprofundar, é claro, na questão da infantilidade fomentada, ou ainda, da “espiritualidade” com que aliou o caso, dizendo “… Deus usa até as nossas bobices”, às mulheres, quando contou sobre como sua fala terminou, “juntando” (até onde eu e muitos veem, “forçando”) duas pessoas num casamento.

Pobre Ana Paula… É certo que Deus usa o que ele bem quer… Porém, com toda certeza, não precisamos nos tornar idiotas pra isso.

 

É notório o grande número de lideres, tanto homens como mulheres “de Deus”, que veem à público, trazendo um emaranhado de métodos segundo suas experiências pessoais ou “modelos” bem ao estilo de personagens bíblicos…  Ironicamente, o único a não entrar na lista é justamente Jesus Cristo… Estranho, não?

Seguindo o que parece ser mais, uma tática utilizada no nazismo e em outras manobras, estes em muitas atitudes insanas, que nada tem a ver com o evangelho, vem tornando a mente especialmente do publico feminino, uma mente boba, inútil, que, talvez até faça com que a mulher se sinta muito bem, diante do mundo em que vivemos ou das  “necessidades urgentes” do homem sem amor de nossos dias, mas que na verdade, nada se parece com o evangelho de Jesus que é suficiente pra ensinar a homens e mulheres a ter uma vida abundante.

 

Outra líder que, parece perder-se em seu ministério, dado ao grande número de sandices disparadas, é a pastora Sara Sheeva.

Em seu testemunho pessoal até “louvável”, como um exemplo de que uma pessoa pode realmente, não viver pelo sexo, e sim, esperar, trouxe “luz” sobre esta questão; Simples! Porque não parou por ai?  Sua experiência foi pessoal e é um exemplo a se pensar e ponto final.

Daí, criar por conta de sua ideia pessoal e cobiça, sandices como, roupas e formas “adequadas” para uma “princesa de Deus” se vestir, ou ainda, doutrinas inúteis segundo à bíblia, na mente de jovens que em grande parte, não estão dispostas a aprenderem desde cedo a terem um coração como o do seu mestre, mas, sim, estão mais é querendo se sentir “princesas do reino gospel” onde o que manda infelizmente é o dinheiro, é passar muito dos limites do puro evangelho.

E Jesus no meio disso tudo?

O Fato é este: Jesus não está no meio disso tudo.  Ele é a meta desses pobres enganados em suas cobiças?  Pode ser… Mas a bíblia nos afiança de que o nosso coração é enganoso.

O reino de Jesus não trás “Princesas egoicas”, mas trás, sim, mulheres com os pés no chão.

O Reino dele é outro; E, em seu reino, através de sua palavra todas as coisas são corrigidas por seu Espirito e não por métodos, formas ou jugos. O problema é que isso dá trabalho e exige renuncia, não é??

Fico pensando no que mais vão inventar neste “submundo” que chamam de “reino de Deus”…

O que farão mais pra alienar mulheres e homens pelo desejo de seus próprios “ventres”??

Creio que não demora muito, vermos nessa “subcultura” cada vez mais, congressos, eventos, palestras, métodos,  livros e, todo o lixo possível pra atender à expectativa e não à CRUZ que cada um de nós deveria levar… Com ela, é certo, teríamos a mente corrigida, renovada e sã.

Com a cruz, ao invés de Sandices que, além de mostrar alienação, só envergonham o nome de Deus diante do mundo…

“Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios, como está escrito.

Romanos 2 :24

 

Espero firmemente que Deus tenha misericórdia de seu povo e que nos encha de arrependimento, ao invés de nós, nos enchermos de “nós mesmos”…

Caso contrário, teremos nos próximos dias o lançamento de mais um lixo comercial em sua versão gospel: “Os 50 Tons da Benção” – Edição para casais casados.

 

Triste… Que Deus tenha misericórdia.

 

COMPARTILHAR
Rogério Ribeiro é um cristão livre do sistema religioso. É Cineasta, roteirista e cronista. Escreve no blog "edição de amanhã", no "Antireligiosidade (http://antirel.blogspot.com.br/), entre outros. É autor de "Descansado sobre a Relva", livro que fala do relacionamento pessoal com Jesus Cristo, acima de qualquer coisa ou "impedimento" proposto pelo mundo religioso. Observador atento, Rogério Ribeiro aceitou o dever de alertar a igreja e, desde então é um compromissado "atalaia" dos nossos dias, às ordens de um só Senhor: Jesus Cristo.

8 COMENTÁRIOS

  1. Senhor Rogerio Ribeiro qual sua opiniao sobre um Deus que se intrometeu no meio de um jovem casal prestes a unirem em matrimonio para que a moça ficasse gravida , colocando em risco a vida da moça e e fazendo o rapaz levar fama de traido. Só muda os personagens . As coisas de Deus são loucuras aos olhos dos incredulos .
    Francamente quanta amargura em seu coraçao, ou raciocinio lógico demais, será que os milagres as coisas estranhas são só em tempos bíblicos , faz me rir , a sua materia é muito tola , parece daquelas adolescentes invejosas .

    • Maria,
      acredito que milagres acontecem hoje, sim e muitos; e o maior milagre para um servo, é um entendimento claro e de acordo com a palavra e o Espirito de Deus que a vivifica.

      Não sei se entendi bem, mas você está comparando as sandices de Ana Paula com a postura sábia e propicia de Maria??
      Ou ainda, você está comparando as manias de “casamenteiras” de muitas líderes evangélicas com o mover de Deus?? É isso mesmo?? Onde fica o espirito santo e sua ação direta no coração do servo?

      Se critica embasada é pra você um sinal de “amargura”, contra a cantora, então é porque realmente, os níveis de “adoração” a ela já estão altos e já não adianta muito falar…
      Volte-se ao evangelho. Fique em paz.

      • não gosto de atitudes de muitos , mas não estou nem um pouco preocupada em escrever sobre eles, sua critica só vai fazer com que vejam mais este video, vai trazer uma curiosidade ainda maior sobre esta moça, vc ainda esta promovendo. Volte-se ao evangelho????
        Já assisti sim este video a um bom tempo e pelo que sei foi uma conversa de amigos entre e o esposo dela e outro rapaz que ficou curioso ao saber que a moça era bem conceituada aos olhos da Ana e o rapaz resolveu de vontade propria conhecer a moça, pelo que eu vi ja era “bem madurinho” capaz de tomar uma decisao , e eles resolveram se casar por vontade propria, e a Ana ficou até preocupada com certo temor quando soube. Por outro lado que bom né que duas pessoas comuns e amadas por Deus se casaram e estao felizes, que bom que esse relacionamento ta dando muito certo, que bom que ja existe um fruto ou talvez até 2 dessa união, que bom que surgem oportunidades na vida das pessoas, que bom quando temos pessoas ao nosso lado que nos dão a maior força e depois podemos partilhar nossas experiencias de que um dia com pessoas, eu partilho minhas experiencias que foram bem interessantes e nem por isso vi pessoas fazendo igual, mesmo porque Deus tem uma bençao pra cada um de formas diferentes e é tão bom ver as pessoas felizes NÃO É ??????
        Ver as pessoas felizes e ficar feliz com elas é estar no evangelho, ainda que são pessoas que entregaram suas vidas nas maos de Deus esperaram bastante, procuraram não fazer loucuras, casaram-se já maduros e pelo que sei da forma correta, será que eles não merecem ????. As Escrituras dizem: Alegrai com os que se alegram e chorai com os que choram…

  2. Tais condutas bizarras, infantis ou imaturas, tais quais como tocar chifre em culto evangélico (Shofar), queimar incenso, “bandeiraços”, danças, usar uma urna como se fosse a arca da aliança, candelabro judaico em cima da mesa do altar durante a Ceia, colocar a bandeira de Israel ou a Estrela de David nas paredes das igrejas evangélicas, tudo com o propósito explícito de estimular as pessoas no culto a Deus, pode até parecer válido para alguns, mas não para todos. Vemos JESUS na Bíblia pregando em sinagogas e nos lares, mas também o vemos ao ar livre, em bosques, montes, praias etc, uma igreja itinerante, pois como o próprio JESUS disse “As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.” (Mateus 8:20) A Bíblia não diz explicitamente que não se façam tais “bizarrices”; o próprio apóstolo Pedro “deu uma viajada na maionese”, como relata Mateus 17.4: “Senhor, é bom estarmos aqui. Se quiseres, farei três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias”. A experiência de Pedro foi transcendental! Justificou-se seu aparvalhamento, mas e nós? E quanto a Ana e Sara? Tem tido tais experiências como Pedro? Se tais idiossincrasias neo-pentecostais estiverem tirando marginais da criminalidade, drogados dos vícios, crianças das ruas, pessoas da prostituição, curando enfermidades e, o mais importante, colocando novos nomes no Livro da Vida, então Amém! Senão, é mero “jogo de cena”, marketing pessoal ou lobismo barato…

  3. Queridos, primeiro a paz do Senhor para todos!

    Primeira coisa que gostaria de ressaltar é que Ana Paula mulher de Deus não é pobre como foi citado, “Pobre Ana Paula”… E também dizer aqui algo muito importante, antes de conhecer Jesus o ministério Diante do Trono foi como sementes para minha vida, sementes que não se perderam,mas que ao tempo de Deus deram frutos e hoje estou firme com o Senhor, me alimentado todos os dias da BÍBLIA, amo a palavra de Deus, a Jesus e o Espírito Santo.
    Minha opinião, NÃO CONCORDO COM NADA QUE DISSE. Certamente muitas vidas conheceram Jesus por meio do ministério Diante do Trono, e quanto o que foi falado da Pastora Sara, não vejo muitas coisas sobre ela nem pregações, mas acho que ela não está impondo nada e sim sugerindo mais uma maneira decente de se vestir para glória do nome do Senhor. Mas claro que quem afirma o que usar ou não é o Espírito Santo. E em tudo que foi dito, ao meu entender parece que você escritor quis levar o leitor a entender sobre falsos profetas, mas eu sinceramente acho que você não está correto em suas afirmações e lembro que a bíblia diz que as coisas espirituais se discernem espiritualmente. Desperta e vai ler a bíblia e principalmente se aproximar de Deus!

  4. Ana Paula Valadão, a fazer-se de santa deusa casamenteira, não é a única “sacerdotisa” da cristandade a fazê-lo. A quase totalidade dos líderes religiosos têm este chamado carnal e anticristo impregnado nas suas almas; isto acontece aí no Brasil assim como aqui em Portugal, bem como no resto do Mundo. Esses, líderes religiosos juntam e também separam pessoas dos laços matrimoniais, quando só Deus tem poder para fazer (unir 2 almas numa só).

    Vejam só no video incluso neste texto do Rogério Ribeiro, que ela até expõe o seu marido à cobiça e ao adultério, propondo-lhe outra mulher. Ora, isto além de ser espírito de feitiçaria, trata-se de uma profunda falta de consciência d’O Evangelho. Deus tem MI_SE_RI_CÓR_DIA e elucida esta criatura, libertando-a deste espírito demoníaco de religiosidade (pseudo-espiritiualidade), em Nome de Jesus!!+!

  5. Jesus e João Batista criticavam os fariseus de maneira bem suave, cuidando para não ofendê-los, não é mesmo? Afinal de contas “raça de víboras” era um elogio muito comum naquela época!

    É preciso que tenhamos uma visão crítica do que sobrou do cristianismo em nossa época. Apoio o rigor da crítica deste artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here