A corrupção de Eduardo Cunha começa com a corrupção do seu pastor

5

Quando digo que a corrupção de Eduardo Cunha começa com a corrupção do seu pastor não quero afirmar que todo pastor é ladrão e corrupto e nem que o seu pastor, caro leitor, também seja.

Na verdade, o que quero dizer é que Cunha não seria eleito caso não tivesse o apoio de um grupo expressivo de pastores conhecedores da sua índole, também não teria alcançado o posto de presidência da Câmara dos Deputados sem o apoio dos mesmos.

Estamos falando de um político envolvido em corrupção faz mais de duas décadas. Mas, o que os pastores têm a ver com isso? Antes de chegar aos pastores, permita-me uma breve introdução da figura de Cunha nos círculos evangélicos.

Eduardo Cunha se diz evangélico e atualmente é membro da igreja neopentecostal Sara Nossa Terra, anteriormente era filiado às Assembléias de Deus. É bastante conhecido por suas participações numa emissora de rádio evangélica sediada no Rio de Janeiro. O jargão: “Afinal de contas, o nosso povo merece respeito” era dito diariamente ao longo da programação da rádio.

twitt malafaia e cunha
Então, chego aos pastores. Cunha recebeu apoio do Pr. Silas Malafaia, presidente da Assembléia de Deus Vitória em Cristo, que mesmo após o nome de Cunha ter sido citado diversas vezes nas investigações da Lava Jato, insiste em defendê-lo pelo Twitter. Vale ressaltar, que Eduardo Cunha subiu diversas vezes ao púlpito da igreja presidida por Silas.

O deputado também contou com o apoio da Assembléia de Deus de Madureira que é comandada pela família Ferreira, Samuel, Abner e Manoel Ferreira. Igreja que festejou a sua vitória e que é acusada de intermediar o recebimento de propinas. (Veja a reportagem) Cunha usou as contas da igreja pra receber dinheiro ilícito, e claro, deixou uma gorda contribuição para os seus amigos que presidem a instituição.

Mas, não foram só estes pastores que apoiaram a campanha de Cunha, mais alguns conhecidos, e, em sua maioria, pastores desconhecidos, que se filiaram ao propósito de eleger tal candidato.

Usando a expressão “crente vota em crente”, posicionaram-se a favor deste candidato, oferecendo a ele o voto do rebanho, em troca de quê? Certamente não foi de graça. Quem conhece os bastidores do meio evangélico sabe que Eduardo Cunha não é lá nenhum santo. Sendo assim, por que colocá-lo em cima do púlpito de sua igreja para falar aos fiéis? Por que incentivar os membros a votarem em um homem de caráter duvidoso, ficha suja, corrupto?

O voto de cajado (parafraseando o voto de cabresto) tem sido prática corriqueira nas igrejas evangélicas brasileiras. Em época de eleição, igrejas são reformadas, trocam cadeiras, som, instalam ar condicionado e etc. Tudo isso a partir de ofertas de candidatos em troca do apoio da pastorada. Sem mencionar que é uma época propícia para o pastor trocar de carro ou de casa, “apenas uma oferta generosa de quem despretensiosamente só quer fazer o bem para a população”. Sem citar também, as negociatas que visam concessões de emissoras de rádios e televisão e liberação de terrenos irregulares para construção de mega templos.

Igreja não é curral eleitoral! Pastor não tem que mandar membro votar em A ou em B, mas deve proporcionar um ambiente de reflexão e de incentivo a cidadania, promovendo uma consciência crítica e política como fruto da pregação do genuíno evangelho, para que seus liderados, em liberdade, possam celebrar a democracia votando no candidato que achar melhor.

Pois é, a corrupção de Eduardo Cunha começa com a corrupção do seu pastor, que se vende, que usa o seu rebanho como capital político, que se aproveita da sua posição para barganhar benefícios. Mesmo sabendo que estão diante de um lobo voraz, apresentam tais homens maléficos à membresia como sendo ovelhas mansas.

Assim diz o Senhor:

“Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos demandarei as minhas ovelhas, e eles deixarão de apascentar as ovelhas; os pastores não se apascentarão mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e não lhes servirão mais de pasto.”

(Ezequiel 34. 10)

Não podemos mais tolerar esse tipo de conduta. Não aceite que o pastor da sua igreja sustente essa máquina podre. A Igreja foi chamada para emperrar o sistema e não para alimentá-lo.

Sobre pastores e ovelhas o Senhor diz mais:

“Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas?

Comeis a gordura, e vos vestis da lã; matais o cevado; mas não apascentais as ovelhas. As fracas não fortalecestes, e a doente não curastes, e a quebrada não ligastes, e a desgarrada não tornastes a trazer, e a perdida não buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. Assim se espalharam, por não haver pastor, e tornaram-se pasto para todas as feras do campo, porquanto se espalharam.”

(Ezequiel 34. 2-5)

Segue abaixo um vídeo do missionário R.R Soares tecendo elogios e aplaudindo a conduta de Cunha, porque este tem favorecido as igrejas. Está aí, outro motivo para que os maus pastores façam campanha para gente da laia de Cunha, porque querem obter vantagem, querem eleger deputados que defendam os interesses de suas denominações e não os interesses do povo.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Por Allan Felipe Freitas

COMPARTILHAR
Raquel Elana, formada em Teologia, Pós Graduação em Jornalismo Político/ (Jornalista – MTb 15.280/MG) e Ministérios Criativos pelo IBIOL de Londres, é autora de 3 livros, entre eles: Anjos no Deserto - uma coletânea de testemunhos de mais de 10 anos de trabalho no Oriente Médio. Desde 2012 está envolvida com o trabalho de atendimento aos refugiados da guerra civil da Síria.

5 COMENTÁRIOS

    • Gostaria de parabenizaremos grande jornalista Raquel Elana , por colocar em sua coluna o que nós brasileiros gostaria de publicar.,

      Todossabemos dos conchavos políticos destes pastorecos genéricos , ao abrir seus púlpitos aos merçenarios .,

      Chupa está lutero.,

      • Prezado Sr Lopes, paz.
        Concordo plenamente com o texto da jovem Missionária. Na verdade, muitos de nós “carioca”, gostaríamos de dizer o que ela realmente disse não só para Cunha, mas principalmente, para os Pastores, que permitem, sobre sua orientação à ida deste “especuladores e aproveitadores” ao púlpito.Aliás, púlpito este, que somente deveria ser usado, para publicação da Palavra de Deus. É demérito, para às Igrejas – instituição, se corromperem com QUALQUER CANDIDATO, sendo ele irmão em Cristo ou não. Lutero, não “tem que chupar”, coisa alguma, por atitudes “infantis e inocentes” de alguma gama de pastores.Ademais, estes pastores não estão interessados nas “necessidades” do povo e, sim usá-los para os seus próprios interesses. É lamentável, que pastores se “vendam” para não dizer “prostitui-se” em razão de qualquer vantagens. Precisamos deixar de sermos “ingênuos”, quando estes ditos pastores, desejarem direcionar os votos de seus irmãos. Nós somos livres, para votarmos em quem nós quisermos, sem pedir à bênção e subserviência” há quem quer que seja. Por fim, quero dizer-lhe que sou Ministro do Evangelho, há 33 anos e, NUNCA me deixei levar por este “canto da sereia”, pois o Sr Jesus nos diz algo bem apropriado em Mateus 18;7.

        • Quero perguntar ao querido irmão uma dúvida relacionada a política e ao estabelecimento das autoridades constituídas por Deus. A Bíblia diz que todas as autoridades foram feitas por Deus. Suponhamos que eu por vontade própria tenha votado na Dilma (não votei), pois tenho livre arbítrio, Deus respeita o meu voto ou está me manipulando para votar? Vejo as pessoas dizendo que foi Deus quem colocou a Dilma lá… E o meu voto?

        • Caro Filadélfo., a paz de Cristo e ao amor de Maria., ocorre se tirar mos os pastorecos de Brasília aquilo acaba., pois lá tá infestado de mercenarios.,

  1. Sou cristão protestante desd criança, em 2004 fui consagrado pastor, comecei a frequentar reuniões em convenções, e percebi que não tinha nada de Deus nestas reuniões. depois de muito lutar, no final de 2014 entreguei o cargo, sai de lá enojado com tanta podridão. a verdade é que a maioria dos “evangélicos” é conivente com esses erros, porque eles não reage, e é contra quem reage.eu queria ver se o povo parasse de dar dinheiro para essa gente, se as coisas não mudava.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here