A epidemia de suicídios entre transgêneros: uma tragédia silenciosa

18

Cirurgias e hormônios têm se mostrado ineficazes: mesmo após inúmeras mutilações, terapias e litros de hormônios, grande parte dessas pessoas decidem acabar com a própria vida!

A epidemia de suicídios transgêneros: forçar uma pessoa a mudar seu corpo para aceitar sua condição contrária a sua biologia tem mesmo sido a grande tragédia silenciosa dos nossos dias.

No dia 18 agosto de 2015 foi publicado um  estudo que chocou a comunidade LGBTTS em todo mundo, mas que no Brasil poucos tiveram interesse em divulgar e/ou traduzir. O estudo diz que “pessoas que sofrem de ‘confusão de gênero’ são estimulados pela cultura atual para ‘serem eles mesmos’, que significa rejeitar o sexo com que nasceram e partirem para uma cirurgia reparativa”. Ou seja, transformar de forma artificial seu corpo à base de hormônios e de cirurgias que são verdadeiras mutilações.

O estudo mostrou que apesar dos esforços sociais para fazer com que o trasnsexual se aceite conforme se “sente”, conforme se “tornou” – apesar da sociedade o aceitar -, está havendo uma epidemia de depressão e suicídios ignorados pela sociedade e pelas áreas de saúde mental e militância do gênero.

Segue abaixo a tradução na íntegra do estudo feito pela Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio e do Instituto Williams, divulgado por Fr. Mark Hodges (LifeSiteNews).

Nos Estados Unidos, como em qualquer país de apoio à ideologia de gênero “Transgênero”, adolescentes são ensinados que o que eles “sentem” é quem eles são e que, para ser feliz e realizado, devem se “tornar” o sexo oposto. Quando Bruce Jenner decidiu se olhar publicamente como uma mulher, ele foi apoiado pela mídia de massa. Até mesmo o presidente dos Estados Unidos, quando Jenner decidiu fazer a cirurgia de castração, aplaudiu-o como uma heroína “corajosa”.

Mas os estudos mostram repetidamente que as pessoas “transgêneros”, que buscam tratamento hormonal e cirurgias para se tornar do sexo oposto, tornam se, na verdade, segundo pesquisas da Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio e do Instituto Williams, pessoas infelizes e não realizadas. Na verdade, explica o estudo, há uma guerra interna entre a vida e a morte, o que está se estabelecendo dentro desse sujeito, continuamente, é uma luta interior levando-o à depressão severa a ponto de muitos quererem acabar com sua própria vida.

Isso é o que a Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio e do Instituto Williams encontrou quando analisou os resultados da Pesquisa Nacional de Discriminação Transgênero. O número de tentativas de suicídio é desolador, assustador, e não depende da aceitação do outro, e sim de si mesmo.

Mais de 41% das pessoas “transgêneros” ativas tentam se matar. Isso é dez vezes a taxa de tentativa de suicídio (4,6%) da média.

E este estudo não é a única prova de que aqueles que procuram viver como se fossem do sexo oposto estão de fato, se matando. Mais de uma dúzia de outros inquéritos em todo o mundo têm encontrado os mesmos assustadoramente altas taxas de suicídio.

Uma pesquisa nacional com mais de 6.500 pessoas trans perguntou: “Você já tentou se suicidar?”. 41% respondeu: “Sim”.

Os sintomas cometidos por pessoas que tentam mudar seu gênero e/ou sexo são: “níveis cronicamente elevados de estresse”, “ansiedade”, e “depressão” são os mais comumente relatados entre pessoas trans ativas. Automutilação por corte é muitas vezes relatado como algo que faz bem, alivia as dores emocionais.

Uma hotline de suicídio dedicada a eles, Lifeline Trans, movimentou mais de 20 mil chamadas em seus primeiros nove meses de operação. Greta Gustava Martela, uma lésbica que fundou o serviço, resume: “Com 41% tentativa de suicídio, você tem que assumir que algo não está apenas dando certo para as pessoas transexuais”.

Os estudos questionam a mídia, que tenta deslocar as altas taxas de suicídio das pessoas transgenero para influências externas, tais como companheiros e rejeição dos pais, mas não consideram a trágica batalha interna, os grandes conflitos internos pelos quais passa uma pessoa transgênero, como o conflito psicológico, uma dicotomia psicológica que passa fazer parte de sua vida.

Os fatos falam o contrário. A Aggressive Facility Intelligence Research da Universidade de Birmingham (ARIF) fez uma revisão médica que descobriu que não há nenhuma evidência conclusiva de que operações de mudança de sexo melhore significativamente a vida dos transexuais. Na verdade, muitos transexuais continuam gravemente angustiados e potenciais suicidas após a operação.

Anúncio

Chris Hyde, diretor da ARIF, explicou: “Um grande número de pessoas que optam pela cirurgia [de mudança de sexo] permanece traumatizada – muitas vezes ao ponto de cometer suicídio”.

O estudo CONDENA os esforços sociais e midiáticos, que simplesmente ignoram os graves riscos da fase posterior às mudanças sexuais adaptativas e tornam essa pessoa trans um suicida. Questiona e condena os movimentos militantes que induzem até mesmo crianças em escolas do Ensino Fundamental que as pessoas transexuais estão concretizando seus “verdadeiros” “Eus”, o seu Eu Verdadeiro.

Como Stella Morabito, do The Federalist, escreve: “Os transexuais não têm permissão para falar sobre o seu arrependimento. Não Abertamente. O lobby transgênero suprime a discussão sobre o arrependimento da mudança de sexo”.

Tarde demais

Alguns pacientes transexuais têm dito que eles perceberam, tarde demais, que as operações de mudança de sexo não fazem jus à sua promessa. Alan Finch explica: “Você não pode mudar fundamentalmente o sexo. A cirurgia não altera geneticamente você. É uma mutilação genital […] Foi tudo uma terrível desgraça […] A analogia que eu faço sobre a opção de cirurgia para alguém desesperado por mudar de sexo é que seria um pouco como oferecer uma lipoaspiração para uma anoréxica”.

O campeão de tênis Renée Richards, que passou de macho para “fêmea” nos anos 70, escreveu: “Eu teria me dado melhor ficando do jeito que eu era […] Uma pessoa totalmente intacta… Eu não quero que ninguém tenha-me como um exemplo a seguir […] Eu recebo um monte de cartas de pessoas que estão pensando em ter esta operação, e eu desencorajo a todos”.

Infelizmente, muitos ativistas pró teoria Queer, de desconstrução sexual, de apologia ao gênero trans, e muitos deputados que promovem através de projetos no Brasil, as cirurgias de mudança de sexo, ainda quando crianças, são irresponsáveis ou ignoram que estão levando essas pessoas em conflito direto a morte.

Como psicóloga, concordo com este estudo e peço aos profissionais de bem, que lutem em favor do direito dessa pessoa humana em conflito, não sr empurrada por militância ativista da ideologia de gênero a mutilarem seus corpos. Elas estão sendo cobaias sociais.

Meu repúdio a essa tentativa no Brasil, se normatizar a ideologia de gênero sem o minimo cuidado com a verdadeira essência do ser humano, que tem sido empurrado pela reorientação cultural, a assumir uma condição a través de uma mutilação, que deixa sequelas irreversíveis no corpo e na alma a ponto segundo estudos de levá-lo a desistir de sua vida.

Chega de manipulação a sociedade brasileira não   pode ser usada como cobaia, posso ser recriminada pela sociedade ativista de gênero, ou até mesmo pelo conselho de psicologia, mas não posso em frutar de dizer a verdade, e mostrar a minha preocupação com essa imposição de gêneros que está adoecendo nossa sociedade.

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/gender-confused-suicide-rate-ten-times-national-average

COMPARTILHAR
Marisa Lobo é psicóloga clínica, escritora, pós-graduada em saúde mental, conferencista realiza palestras pelo Brasil sobre prevenção e enfrentamento ás drogas, e toda forma de bullying, transtornos psicológicos, sexualidade da familia, entre outros assuntos. Teóloga, ela é promoter e organizadora da ExpoCristo realizada no Paraná. Marisa é casada, tem dois filhos e congrega na IBB em Curitiba.

18 COMENTÁRIOS

  1. isto é muito simples, as falta de valores morais, que limitam os desejos carnais e apenas de satisfação pessoal e vaidade, conduzem o individuo a um brete impossível de passar, ou poder voltar atras, é sempre uma busca de felicidade nos desejos da carne e estes são efemeros, aquilo que era bom hoje amanhã não é mais, o diabo dita a moda

  2. o que serve para alguns, nao serve para todos.
    entretanto, cada um deve lidar com seus proprios desejos e frustracoes.
    liberdade para que facam as escolhas, e lidem com elas.
    de toda forma, o problema da depressao em homossexuais deve diminuir a medida que sejam melhor aceitos na sociedade, e isso inclui os transexuais.
    durante muitos anos, os negros cometiam mais suicidios nos EUA, devido basicamente ao preconceito que enfrentavam e ainda enfrentam.
    a medida em que a discriminacao racial foi combatida, o quadro mudou.
    creio que o mesmo acontecera aqueles que fogem dos padroes em termos de sexualidade.

    • Você leu o texto? Ou só o título? Porque na PESQUISA ficou constatado que não é por aceitação exterior e sim interior!!! A pessoa pode ser aceita até mesmo pelo presidente dos EUA como foi falado mas dentro dela, na alma, não tem mudança!! Leeeeeeiaaaa!!

  3. Interessante que essa informação não passa nas organizações globo, mas Marisa, parabéns pelo seu artigo e isso só vem confirmar o que diz a Bíblia, a Palavra de Deus que o salario do pecado é a morte.

    • Marcos,você disse: essas informações não passam nas organizações globo,realmente ela tem que defender o seu mercado,porque o seu filão delas é a prostituição,através,de filmes,novelas,programas ao vivo,e até os seus noticiários,com jornalistas sempre opinando o seu favoritismo,em prol da prostituição,homossexualismo,e demais cenas que vem a desvirtuar a família em nome da globalização,sempre incentivando,as pessoas a abandonarem,os seus conceitos morais e praticarem os atuais,com a desculpa que já estão,caducos,ultrapassados,e outros associam, os seus fracassos aos que ainda resistem,estas praticas imorais,que são uma verdadeira afronta ao ser humano,ao seu corpo,ao seu comportamento,a sua educação,a sua família,sendo que muitos faz uma comparação sem o minimo de verdade,comparar negros com gays,simplesmente um absurdo,o negro nunca foi responsável pela sua cor,tanto quanto aquele,que nasce com algum tipo de deficiência física,nunca esteve em seu querer,mas o homossexualismo,como os próprio dizem e uma opção,ninguém é esta obrigado,a aceitar ou não a sua escolha,se a pessoa escolhe bater com o martelo no seu dedo,quem vai sentir a dor é ele,porque os outros devem acolher a sua opinião,só para ser solidário a ele porque!,foi um acidente!,foi algo fora do seu desejo! agora se eles dizem que são mulheres logo serão mulher,quem disse para eles quem as coisas funciona assim,para que se possa provar,se é verdade ou não o que digo,todo gay se identifica com as borboletas,é fácil que subam em um edifício de uns 30(trinta) andares e salte para voar(sem paraquedas) porque as borboletas voam ,sem paraquedas,e os que fizerem depois relatem aqui qual foi a experiência.
      Repetindo o que você disse Marcos: Romanos 6:23 – Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.
      Enquanto quiserem acreditar contrário as consequências são estas.

  4. As pessoas confundem,felicidade com vaidade,esta tal vaidade,levam elas as extremos,que em muitos os casos sem volta,porque não há felicidade sem DEUS,em nossas vidas,tem muitas pessoas que procuram atalhos,que sempre,os resultados são desastrosos,todo aquele sem DEUS,É VAZIO,BASTA TERMOS O SEU FILHO NOSSO SENHOR JESUS CRISTO EM NOSSAS VIDAS,E AS DEMAIS COISAS VIRÃO.ENTÃO TEREMOS A FELICIDADE COMPLETA.
    Mateus 5:3-14 – Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
    Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
    Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
    Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
    Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
    Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
    Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
    Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
    Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.
    Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.
    Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens.
    Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;

  5. Tania, a comparacao foi em relacao ao preconceito e a discriminacao.
    poderia colocar outros exemplos, mais antigos.
    por exemplo, mulheres.
    sofreram discriminacao, e ainda sofrem.
    mas devido ao combate que travam, a situacao das mulheres melhorou muito, tendo hoje alguns direitos que lhes eram negados ateh o seculo XX, como o direito ao voto.

  6. Pra vocês é fácil falar quando não estão na situação, sofrer preconceito na rua, na escola e em casa Ppor nossa condição sexual. Não vêem que temos sentimentos, que sofremos, amamos e temos dificuldades como todo mundo, se nós gays temos que ser fortes imagine transgêneros. Muitas vezes não suportam tamanha opressão causada por vocês enquanto tudo que precisam ouvir é uma palavra de amor, uma palavra de Deus mas vocês só espalham o ódio, não seguem a Jesus mas sim aos religiosos da época de Jesus.

    • CLEITON RODRIGUES

      Ao contrário do que muitos pensam, NÃO HÁ OPÇÃO SEXUAL.
      E deve ser mesmo muito difícil para um homem que gostaria de ser mulher.
      Não há realmente um meio de “se transformar” em mulher, dependendo do $$$ que a pessoa tiver dá pra operar, se encher de hormônios e toma sessão de psicólogo para aguentar tamanho stress.
      E a pessoa que tenta ser mulher nunca consegue, creio ser daí a depressão e os suicídios, porque a cirurgia simplemente remove o pênis, ela não cria uma vagina funcional, até porque falta o clitóris, grande instrumento de prazer feminino.
      Tem de pensar bem, umas mil vezes, porque depois não há volta, imagine a pessoa fez a cirurgia e descobre que pouco valeu, que não é realmente uma mulher.
      Não tem orgasmo, não possui útero, os cromossomos são XY, os seios são falsos…
      O que a nova “mulher” tem é simplesmente um BURACO na frente, para nada serve.
      E muitos não suportam o desespero que vem do arrependimento.
      Deve mesmo ser muito duro para quem se sente do outro sexo…
      Mistério, por que há mulheres héteros e homens transsexuais/transgêneros?
      Se a pessoa gostaria de ser mulher, por que então nasceu com corpo masculino?

    • Cleiton, tanto você como eu somos pecadores e o que o SENHOR é melhor para nossas vidas. A primeira mensagem de Cristo foi esta:” Arrependei – vos, porque é chegado o Reino dos Céus” – que bela e boa noticia. O teu pecado não é maior do que o meu, por isto devemos crer na Graça e Ele nos libertará da angustia, tristeza,ansiedade, da falsa alegria, do passado, dos traumas. O Eterno abençoe a tua alma.

    • Claiton Rodrigues,

      Nós Cristãos, temos como regra unica de vida e moral, a Bíblia Sagrada.

      Por tanto, partindo deste pressuposto, o que condenamos é a pratica do pecado, independente de qual seja.

      Neste caso, ocorre agravamento, pois há pecados que são no corpo, e portanto as consequências são interiorizadas e exteriorizadas no proprio corpo; sendo que, à prática homosexual, se enquadra neste principio. Por isso, os que tem tais praticas, sofrem discriminação, preconceito, angustia, depressão, SPA, irritabilidade, baixa auto-estima, e etc.(mesmo não sendo real, as criticas ou oposições, pois para ela, todos e tudo é contra o seu estilo de vida, bastando um olhar ou um gesto, para desencadear uma serie de sentimentos negativos).

      Por mais que uma pessoa, que vive neste estado de pecado e não tem interesse de abandonar a prática, mesmo que a comunidade Cristã que ela pertence, tente ajuda-la, demostre amor, conduzindo-a aos ensinamentos bíblicos; por não existir o desejo real de mudança de pratica, há um sentimento interior e uma opressão espiritual exterior maligina, que sempre se oporá as praticas Cristãs.

      Não existe aprovação por parte da bíblia ou por Cristão algum, simplesmente, tais praticas, são condenadas por Deus, por tanto, Deus não pode amar o pecado.

      Mas diante de um coração quebrantado e contrito, arrependido, Deus não despresará.

      E Ele perdoará todos os pecados e diras: – Vais não peques mais!

  7. Gente, a elevada taxa de suicídio se dá por conta do preconceito sofrido pelos transgêneros. Esse é o problema. Os tratamentos funcionam muito bem.

    Sou cristão e, para mim, estas mortes importam. Ser desonesto quanto a causa das causas é ser irresponsável quanto estas vidas, ou até mesmo responsável por estas mortes.

  8. o numero de suicidios nada mais é o cancer do preconceito e a exclusão social… e nada, nada mesmo a ver com o sucesso q um transgenero pode alcançar com sua transformaçao…o numero de suicidio tb aumentou por haver ódio, conforme aumentou a visibilidade pela luta dessas pessoas..algo q antes nao era falado por muitos nao revelarem sua identidade…

  9. Uma reportagem tendenciosa, deturpada, com um resumo tosco do estudo. Se há altos índices de suicídio em transgêneros é porque pessoas como vcs causam a infelicidade alheia ao discriminarem e promoverem a homofobia. Suas mãos se sujam com o sangue destes suicidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here