Página Gospel divulgou mentiras e prejudicou Aline Barros, Ana Paula Valadão e Fernanda Brum.

10

Há um tempo, escrevi um artigo intitulado “Cuidado crente! Nem tudo que você assiste, ouve e lê da dita mídia cristã é verdade”. Meu objetivo naquele texto foi alertar a milhões de crentes que todos os dias, principalmente através da internet, a acessam com o objetivo de se inteirarem sobre os mais recentes fatos do mundo gospel. Nenhum problema neste hábito, o perigo reside em alguns canais ditos cristãos que tem grande visitação divulgarem mentiras e promoverem calúnias contra pastores, cantores e políticos cristãos. Essas páginas não se preocupam em checar fontes ou menos apurar os fatos; o compromisso é o de obter curtidas e compartilhamentos, e é neste ponto que crentes ingênuos são enganados e gente inocente sai prejudicada.

Uma vez escrevi sobre uma importante instituição religiosa com sede em meu Estado, a matéria teve muita repercussão e fui acusado por um portal que se diz defensor da verdade do Evangelho. Afirmaram que eu tinha sido comprado por uma grande empresa para produzir o texto sob encomenda a fim de desviar a atenção de investigações que corriam contra os líderes daquela instituição. Nada daquilo foi verdade e como uma calúnia difamatória dói, pois além de ser ofensa pessoal gera mau juízo coletivo. Pensem como deve ter sido chato, desagradável e totalmente injusto o que passaram Aline, Fernanda e Ana Paula na última semana, tudo por conta de mentiras de gente que também se diz defensores da verdade. Incoerência, contradição, malandragem, maldade; sei lá, faltam-me adjetivos ruins para tal produção de conteúdo infeliz e maldosa.

Esse último caso de sensacionalismo midiático com nome de “crente” foi espalhar uma baita de uma mentira ao povo evangélico. A notícia inverídica foi a de que as cantoras Fernanda Brum, Aline Barros e Ana Paula Valadão participariam da novela Amor à Vida, cantando em um “culto” de celebração de um casamento gay. Essa notícia foi divulgada principalmente pela página Crente Santão no Facebook. O referido subdomínio tem mais de 25 milhões de curtidas e imagine você a quantidade de cristãos que tiveram acesso a essa informação inventada, sabe-se lá por que e por quem. O efeito da notícia manipulada foi bombástico, tornou-se viral e provocou como conseqüência à ira e a indignação de muitos crentes, além de difamações e ofensas as três artistas da música gospel.

Manifestações e represálias começaram a ser vistas e ensaiadas e já tinha até gente organizando quebra-quebra de CDs das cantoras em locais públicos, em sinal de protesto e repúdio por conta do fato inverídico. As inocentes cantoras sofreram ataques, passaram por constrangimentos nas mídias e no fim tiveram que prestar esclarecimentos em notas em seus perfis sociais. Tornou-se necessário se justificarem sobre algo que jamais aconteceu (olha o que uma mentira divulgada por uma página dita evangélica consegue produzir). As dimensões da mentira divulgada cresceram tanto que o próprio autor da Novela Amor a Vida, Walcyr Carrasco, saiu de certa forma em defesa das três ao afirmar que não havia convidado as cantoras para participarem do fim da trama e menos da cena aludida nas divulgações, que mais pareceram divagações de mentes desocupadas.

Como saldo, A imagem das cantoras acabou arranhada, pois as mesmas pessoas que compartilharam a notícia não tiveram o cuidado de compartilhar o desmentido. Essa boataria no Brasil já prejudicou no ano passado a imagem do pastor Marco Feliciano, acusado de ter indicado a “pastora Suzane Richthofen” para presidente da Comissão de Seguridade Social e Família. Qual o interesse de se propagar uma mentira? Seja por brincadeira de mau gosto, por falta de informação ou puramente para criar sensacionalismo, o fato é que a “mentira gospel” continua se espalhando. E ficou ainda pior quando o perfil se identifica como “santão”.

Essa mídia com máscara gospel é irresponsável por que tem se dedicado a espalhar fofocas, sustentar pré-julgamentos e promulgar achismos – mas o juízo para essa gente não tarda (2 Pe 2.3). Como ficam as vítimas (pessoas e instituições) atacadas por este impiedoso “sistema de popularidade a qualquer preço” que forjando mentiras como “provas da absoluta verdade” destroem a dignidade e moral dos vitimados pelos ditos canais? Isso é loucura editorial passível a configurar crime de danos morais e etc. É tempo de refletirmos como seguidores do Evangelho sobre como temos tratado as informações que recebemos pelos meios de comunicação ditos cristãos (1 Ts 5.21). O servo de Deus não deve se alienar do mundo, antes precisa estar “ligado” ao que acontece, de forma coerente, prudente e firmada na verdade (2 Pe 1.12).

10 COMENTÁRIOS

  1. O fundamentalismo em marcha, dentro destes existem até aqueles, que até são capazes de mentir e ferir os do próprio grupo, para o fim comum, denegrir os gays e causar mais ódio e revolta.
    O ponto era atingir o Walcyr Carrasco e desmoralizar a novela, que vem respeitando os evangélicos, e os mostrando de uma forma até respeitosa, coisa que evangélico, não faz mas de jeito nenhum a seus oponentes, pois os demoniza gays, que qualquer que se oponha a suas vontades.
    O fundamentalismo tem assumido acada vez mais uma face medonha, e cruel.
    Deus nos livre de Teocracia evangélica..

    • André, esses ataques a novela e ao Walcyr, é porque o Félix tá fazendo enorme sucesso. Todo lugar que eu vou, eu ouço falar do Félix, é Félix pra cá, Félix pra lá…..

  2. Está tudo tão misturado, que não se sabe mais o que é mentira e o que é verdade.
    Aqui pra nós, nada a ver essas aparições de Evangelicos nas novelas, cada coisa em seu lugar. Daqui a pouco estão convidando, Waldomiro ou Malafaia para fazerem participações especiais também, uma verdadeira salada, que ninguem sabe onde começa nem onde termina.
    As cantoras mencionas já são famosas, já venderam bastante cds, já deu o que tinha de dar.
    Já estão com a imagem desgastada, como a Cassiane que ningúem aguenta mais ouvir
    (desculpe falo por mim, há que goste). Como cristã sinto falta daqueles servos de Deus que não queiram tanto se aparecer, mas deixar a luz de Cristo brilhar. Padre é artista, pastor é artista, cantor gospel é artista, aonde vai parar tanto exibicionismo? pra que isso?

DEIXE UMA RESPOSTA