Artigos

No meu mandato: o que eu gostaria de ouvir de um candidato cristão

Next Article
A Morte (parte 1)
Comments (7)
  1. Isac Meirelles disse:

    Sou ateu, e gostei de sua postura, como gostaria que todos os políticos filiados a religiões pensassem assim!
    Estão vendo? Isso daí é LAICIDADE, não é uma coisa ruim, não engorda e nem manda pro inferno. =D

    1. Daniel Melo disse:

      Sendo evangélico firme em minha crença em Jesus, concordo com o post e com I Isac, ateu.
      É como gosto de dizer: Politica e crença, religião ou ideologia religiosa não devem ter espaço no nosso governo.

      Orar pelo país é mais do que recomendado, afinal precisamos muito de um agir de Deus para mudar a nossa corrupção. Devemos também dar exemplo como evangélicos, pois como Jesus, nos devemos estar aqui para cumprir a lei humana, tendo os olhos no mundo espiritual.

      LAICIDADE: É quando algo está separado das igrejas, não tem vínculo filiativo com elas, o que não impede de ter uma boa relação, seja qual igreja (ou falta dela) identificar uma pessoa / organização. (explicando de forma simples).

      Gostaria muito de ver um Pastor como esse "Pr. Inexistente" em cada prefeitura desse pais e até mesmo na presidencia da republica. Ja seria um bom começo.
      =)

    2. João Batista disse:

      O Analfabeto Político Cristão
      O pior cristão é o analfabeto político que vive um cristianismo sem Cristo. Ele apenas finge que ouve a Palavra de Deus, não fala de Jesus, nem prega integralmente o evangelho, mas apenas partes fáceis dele. Ele não sabe que o assassinato de nascituros, o kit de sodomização infantil nas escolas, dos privilégios para gays, da facilitação legal da pedofilia, do estupro de menores, da liberação das drogas dependem das decisões políticas.
      O analfabeto político cristão é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que não se mistura religião e política e odeia pastores que apoiam candidatos na política. Não sabe o imbecil que, por causa da sua ignorância política, o castigo dos bons que não misturam religião e política é ser governados pelos maus que gostam de misturar porque tudo o que os malfeitores da vida pública mais querem é que continuemos a nos omitir da política , porque neutro é quem já se decidiu pelo mais forte, porque quem não se ocupa de política cristã já tomou a decisão política de que gostaria de se ter poupado: serve o partido dominante e o pior de todos os bandidos, que é o inimigo da Palavra de Deus, os detratores da Bíblia, o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das mídias seculares nacionais e multinacionais do ‘mundo’ que jaz no maligno.

    3. Daniel Melo disse:

      Não se falou em omissão de política, mas a função da maquina pública não é servir a uma igreja ou religião. É servir ao povo. Evangélicos podem e devem ocupar cargos públicos, afinal representam uma parcela muito grande da população, mas nos temos de entender que nossos líderes, mesmo que laicos, sem espiritualidade, são escolhidos por Deus e nós devemos orar por um bom governo por parte deles.

      O fato é que a mão de Deus não se limita nem depende de quem está no poder. Nenhum presidente é evangélico, entretanto nunca foi tão grande a presença de protestantes na população. Deus não requer isso e pode perfeitamente utilizar até os mais enganadores para cooperar para o bem daqueles que O amam.

      Nosso pais, entretanto está cheio de pastores falsos, que se dizem homens de Deus, mas visam seu lucro pessoal e dentro de suas famílias ou círculos próximos. Pessoas assim são muito asquerosas para eu querer no governo do meu país, por que sujam o nome do povo de Deus e isso sim dificulta muito uma evangelização verdadeira.

      Todos os problemas que você apontou no seu segundo parágrafo são evitados com uma atitude simples de responsabilidade: o voto consciente. Esse voto independe da crença do candidato. Ora, ateus, agnósticos e afins, em sua maioria repudiam atos como pedofilia, estupro, drogas, aborto e essa decadente sodomização das crianças. Podemos perfeitamente concordar com essas pessoas, não é mesmo? Concordar com esse senso moral te afasta de Jesus? Espero que não. Oremos por ela, mas sem as repudiar.

      LAICIDADE não quer dizer falta de Cristo. Quer dizer que não é a bandeira da igreja ou da religião que uma pessoa diz ter que faz com que ela mereça meu voto.

    4. Isac Meirelles disse:

      Não concordo com a parte " são escolhidos por Deus" mas contanto que não tentem impôr a sua visão de fé acima da vontade da população não me incomodo.

      É bem imbecil querer pregar repressão sexual na época em que vivemos.
      Talvez o grande problema dos cristãos atuais é pensar que o pensamento moral, atos morais e moralidade em geral é exclusividade das religiões e pessoas que seguem religiões (mais especificamente a vertente do cristianismo protestante).

      Essa visão é totalmente incorreta e propositalmente deturpada por pastores que querem manipular a grande massa (claro que não são todos os pastores, eu pessoalmente conheço dois que separam bem a sua função de sacerdote em suas comunidades de suas opiniões sobre "coisas mundanas", ambos grandes sujeitos).

      Mas adquirir conhecimento e senso crítico é vantajoso, seja a pessoa religiosa ou não, e me parece estar em falta na maioria dos evangélicos vide algumas atitudes que tenho observado.

    5. Isac Meirelles disse:

      Além do mais: <a href="http://imgur.com/GgNbp"><img src="http://i.imgur.com/GgNbp.jpg&quot; alt="" title="Hosted by imgur.com" /></a>

    6. Daniel Melo disse:

      Esse ai é o evangélico da mídia. Claro que existem muitos desses por ai nos fazendo parecer monges / freiras. Mas isso não é o reflexo completo que a Bíblia nos traz de como deve ser nossa vida. A mudança de aparência é o ultimo dos estágios de uma mudança de vida que tem de começar internamente, muito internamente, a qual não são homens, mas o próprio Espírito Santo que opera.

      No caso da opinião do Isac Meirelles (bem pontual em muitos argumentos), gostaria de deixar que a questão da moral realmente não é exclusividade protestante, nem cristã, apenas aparece com um nível de importância maior. Isso é simplesmente por que nosso propósito primário de servir a Deus exige o conceito de santidade, que é bem complexo, mas, de forma simplificada, é imitar a Jesus (o único homem perfeito e santo) para que, por meio disso, cheguemos mais o nosso coração a Deus e menos às coisas da carne e dos homens. É somente preservar o que é eterno, priorizando em relação ao que é passageiro. Mas indiferente de como o mundo veja isso em relação aos governos, como eu disse, qualquer um pode ser usado como ferramenta do Reino, estando ou não ciente disso.

      O senso crítico, na vdd, me parece mais um problema de toda a população do que de um único grupo. Só temos sido colocados em foco às vezes por "evangélicos" que nada tem de Deus, como eu disse no post anterior.

    7. Isac Meirelles disse:

      Obviamente discordo de alguns pontos, mas entendo que é seu ponto de vista e visão de mundo pela religião que você pratica, mas respeito isso. E REALMENTE senso crítico está em falta em nosso povo, infelizmente acho que isso é causado propositalmente por "alguém". (nossa "elite")

      Deveríamos ter mais cristãos como você Daniel, parabéns!

  2. Adailton disse:

    este é verdadeiro politico para reprensentar a naçao e nao o cristao

    1. João Batista disse:

      Só faltou dizer que política é coisa do diabo…Já conhecia o “Analfabeto Político” de Bertold Brecht, mas “Analfabeto Político Evangélico” é o primeiro. De qualquer forma perdeu o voto dos crentes e dos ímpios também…

      1. Jonas disse:

        João Batista, fale por você. O texto é bastante coerente e traduz o pensamento de muita gente que está saturada dessa sujeira que instalou-se no meio das igrejas.

        Digo mais, não existe voto dos crentes e voto dos ímpios. Só existe voto de eleitores. Não é o voto que vai fazer distinção entre cristãos e não cristãos, o estilo de vida sim.

        Ah, o tal “Analfabeto Político” discorre sobre alguém que ignora política. Definitivamente, não é o que ocorre no texto acima; portanto, considero um tanto infeliz essa sua comparação. Minha sugestão é que você releia o texto e o interprete corretamente.

        Abraços!

        1. João Batista disse:

          “Analfabeto Político Evangélico” é aquele que não se importa com o privilégio para gays, com o assassinato de nascituros, com o Kit de sodomização infantil nas escolas, enfim, aquele que, como Adão, está entregando o ‘mundo’, de mão beijada, para satanás, outra vez

          1. João Batista disse:

            “Digo mais, não existe voto dos crentes e voto dos ímpios. Só existe voto de eleitores.”
            Fechar a janela e fingir que a paisagem não existe não vai fazê-la desaparecer. Está mais do que provado que o povo de Deus desequilibra qualquer eleição.

  3. Esse sim é o bom administrador, que Jesus falou . vc é representante do povo e não de evangélicos.

  4. Joilson Pereira de Oliveira disse:

    Acredito que mesmo a revolta tem que ser consciente para não se transforma em pretensão.
    Um grande abraço.

  5. Alessandra disse:

    Parabéns! meu sonho que tivessem políticos verdadeiramente cristãos que vivessem o cristianismo genuíno mesmo, e não apenas em busca de interesses pessoais.
    Se você fosse politico, ou candidato certamente teria meu voto.
    Acredito que isso seja uma utopia, infelizmente!

  6. João Batista disse:

    À ESPADA (de Mt 10.34) COM O ‘MUNDO’ (Lc 12.51);
    À PAZ (do “Príncipe”- Is 9.6) COM O SENHOR (de Rm 5.10) !

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

O Colunas Gospel+ é um espaço de opinião, voltado ao público cristão, com abordagem de diversos assuntos ligados à jornada de fé, sociedade, política, música e muito mais.

Aproveite o conteúdo e compartilhe o conhecimento através das redes sociais.